segunda-feira, 13 de julho de 2009

Desafio...



E.R. Bulwer-Lytton afirmou:


“É difícil dizer quem nos faz mais mal:

inimigos com as piores intenções ou amigos com as melhores”


Lanço-vos um desafio.


Imaginem a vossa relação com o(a) vosso(a) melhor amigo(a). O que fariam nestas situações:


1. Imaginem que viam o(a) parceiro(a) da(a) vossa(o) melhor amigo(a) em intimidades com outra pessoa. Contavam a(o) vosso(a) amigo(a)? Ou, pelo contrário, deixavam que a verdade viesse ao de cima mais cedo ou mais tarde porque o melhor nestas situações é não interferir?


2. Sabiam que a amizade que tinham com o(a) vosso(a) melhor amigo(a) estaria a criar problemas com o(a) vosso(a) parceiro(a). Lutavam pela vossa amizade ou simplesmente afastavam-se sem nada dizer?


10 comentários:

Abobrinha disse...

Dadas as minhas últimas experiências... evito pensar em qualquer dos cenários e tento meter-me fora de sarilhos na medida do possível.

De certo modo (e sem o ser ao mesmo tempo), foi uma resposta.

Storyteller disse...

Que perguntas difíceis a esta hora da madrugada...
há forma de evitar as duas situações?

Eu Mesma! disse...

Eu pessoalmente....

1. assumindo que falo das grandes grandes amigas... contava claro que sim.... falava com ela e explicava o que tinha visto....

2. Amizade sempre em primeiro lugar....

relações há muitas... amigos não..... o namorado chegou depois das amigas... não tem prioridade....

Cristal disse...

1 - não contava.

2 - vitória para o amigo.

Chocolate disse...

Pois é...

Situações de uma vida real não é?

1 - Sim acho que contava porque acima de tudo está uma amizade, e a minha amiga ou amigo iria descobrir que eu sabia, ou pela minha cara ou pelas minhas atitudes não sei esconder!

2- já me afastei de amigos por causa do meu relacionamento e não ganhei nada com isso pelo contrário perdi.
por isso a todo o custo tento manter sempre o amigo.

Pode não ser assim para todos mas para mim é!

BJS

Pétala disse...

1- Eu não interferia,
2- Devo admitir que sou uma eterna apaixonada, o amor leva sempre a melhor comigo! Mas não me afastaria sem dizer nada, gosto das coisas bem resolvidas!
BJ

NI disse...

Já passei pelas duas situações.

Para não fazer um testamento direi:

1 - Fui falar com o "prevaricador" (nos dois casos era um homem) e tentei fazer ver que nenhuma relação sobrevive se não houver respeito e confiança. Resultou de forma positiva de ambas as vezes.

2 - Nunca "trocaria" um amigo. Ponto assente.

Beijos a todos

morningstar disse...

(atrasadinha mas com boa vontade)

1. nunca me aconteceu e espero nunca me ver nesta situação;

2. lutaria pelo amigo, claro.

**
ms

ianita disse...

Na primeira situação... falei com o senhor... a conversa correu melhor do que temia e ainda não sei se resultou... sei que vai resultando...

Tentando pôr as coisas noutro prisma... se fosse eu a traída eu quereria saber... Digamos que já estive nessa situação e, quando soube, doeu-me mais saber que os meus amigos sabiam e não diziam nada do que a traição em si...

Na segunda situação... normalmente só namoro com pessoas com quem tenho relação de amizade... pessoas que eu respeite e me respeitem... seja como for, nunca pus e acho que nunca vou pôr, nenhum namorado à frente dos meus amigos (daqueles que se contam pelos dedos de uma mão)

Beijo

NI disse...

morningstar, chegaste a tempo. E Tens mais sorte que eu. Já me vi nessa situação.

Ianita, completamente de acordo.

Beijos

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso