domingo, 28 de fevereiro de 2010

Resumo do dia...



Passei o dia assim...



E agora estou lixada porque tenho que adiantar trabalho para uma reunião amanhã quando apenas me apetecia isto...

É para aprender a não colocar o prazer antes do dever!

sábado, 27 de fevereiro de 2010

8 horas na pré-história...




Eis como se pode resumir o meu dia...



Graças à EDP aprendi mais um pouco dos meus ancestrais antepassados.



Não pude cozinhar.



Não pude fazer limpezas.



Não pude lavar a roupa.



Não pude passar a ferro.



Não pude ouvir música.



Não pude ver televisão.



Não pude trabalhar porque não podia aceder ao mail porque...não havia net!



Pude ir à casa de banho com a vela atrás.



Tive que aturar um pré-histórico que deve ter pensado que a culpa de não haver luz era minha.



Tenho que me aturar a mim mesma porque estou com um mau humor que nem vos digo...




sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Depois desta semana...

A única coisa que me ocorre é esta!






QUERO FÉRIAS ...

O arqueólogo!

O arqueólogo é o melhor marido que uma mulher pode ter;
quanto mais velha ela fica, mais interesse ele tem por ela.

Agatha Christie



Então se tiver este aspecto...




Oh minha querida Agatha, a duas semanas de fazer 45 anos, nem imaginas o quanto me folga saber que o meu marido, que não é arqueólogo, vai perder o interesse por mim...


Mas Agatha, o meu marido não é arqueólogo. É um facto. Mas não é burro...




É por estas e por outras que me orgulho de ser portuguesa...



Tenho evitado falar da tragédia que se abateu sobre a Madeira.
Quando se trata de tragédias sou mais de agir do que falar. E, dentro das minhas possibilidades, agi.

Mas há histórias que tocam. Como esta!

Durante dois dias tentei entrar em contacto com a minha querida Teresa. Para os visitantes mais recentes direi que a Teresa, juntamente com o Francisco Pensador, foram co-autores deste blogue. Depois entendeu-se que cada de nós deveria ter o seu próprio blogue. Na passada segunda-feira a Teresa, finalmente, conseguiu entrar em contacto comigo. Felizmente está bem.

Um beijo enorme para ti Teresa. Este post é para dizer que estamos contigo e com todos aqueles que vivem este momento difícil.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

O que dizem quando são os primeiros a falar?






"Depois de se fazer amor, o primeiro a falar diz uma tolice."

Henri Montherlant


Ora muito bem, será que o Henri tem razão?


Em conversa com algumas colegas sobre este tema fiquei a saber que a maioria diz: "estou com fome, vou comer qualquer coisa". Será isto uma tolice?


É o que vamos ver...



Entretanto fiquem com um tema que é dançado de uma forma espectacular por um casal que costuma passar a passagem de ano comigo.




Quem é a mulher que gostaria de casar com mais do que um homem?


Esta questão foi levantada a propósito do último post do Rui e, com a devida autorização, "transportada virtualmente" para esta sala de estar.

Pelos vistos um tal de António Cheinho entende estar-se perante uma discriminação ao autorizar o casamento entre os homossexuais e não autorizar o casamento entre um homem e várias mulheres.

Os argumentos aduzidos são, em síntese, os seguintes:


* o casamento entre homossexuais só é permitido em oito países, enquanto a poligamia está autorizada em pelo menos 27 países, não contando com o mundo Árabe;

* Segundo as estatísticas, um em cada dez Portugueses são "gays", enquanto a percentagem de cidadãos que gostariam de ter mais do que uma mulher é de um em cada seis.

O Rui, com todo o seu sentido de igualdade/paridade, exclama: "Já agora, ... E porque não, a poligamia / poliandria, para os 2 sexos ?"


Já manifestei a minha opinião. Mas quem era a doida da mulher que estaria na disposição de aturar dois homens? Um já dá uma carga de trabalhos desgraçada e ainda nos pedem para aturar outro?



Em prol da minha sanidade mental, recuso-me, terminantemente, a aturar outro homem...


Mas, tudo bem, essa é a minha opinião. Quero é saber a vossa. Já se sabe que um em cada seis homens portugueses anseiam ter, pelo menos, duas mulheres. E as mulheres?


Vamos já saber...

A tentação...




Dois anos mais tarde será que mudaram de opinião?



O tema de hoje é... tentação.


"Acredito que se um homem vivesse a sua vida plenamente, desse forma a cada sentimento, expressão a cada pensamento, realidade a cada sonho, acredito que o mundo beneficiaria de um novo impulso de energia tão intenso que esqueceríamos todas as doenças da época medieval e regressaríamos ao ideal helénico, possivelmente até a algo mais depurado e mais rico do que o ideal helénico. Mas o mais corajoso homem entre nós tem medo de si próprio. A mutilação do selvagem sobrevive tragicamente na autonegação que nos corrompe a vida. Somos castigados pelas nossas renúncias. Cada impulso que tentamos estrangular germina no cérebro e envenena-nos. O corpo peca uma vez, e acaba com o pecado, porque a acção é um modo de expurgação. Nada mais permanece do que a lembrança de um prazer, ou o luxo de um remorso. A única maneira de nos livrarmos de uma tentação é cedermos-lhe. Se lhe resistirmos, a nossa alma adoece com o anseio das coisas que se proibiu, com o desejo daquilo que as suas monstruosas leis tornaram monstruoso e ilegal. Já se disse que os grandes acontecimentos do mundo ocorrem no cérebro. É também no cérebro, e apenas neste, que ocorrem os grandes pecados do mundo. "

Oscar Wilde, in 'O Retrato de Dorian Gray'


Devemos ceder à tentação? Não cedemos à tentação porque temos medo de nós próprios?


Mas o medo não é, em si mesmo, um desafio?


Vocês cedem facilmente à tentação (e esqueçama tentação de um bom chocolate que não é disso que estamos à falar...)?


quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

A primeira vez...


Então, vamos começar?

- Não sei, estou com medo!

- Medo de quê?

- Medo de doer.

- Um dia tens mesmo que deixar.

- Acho que não.

- Confia em mim. Eu vou devagar.

- Como é que fico?

- Deita-te para trás.

- Nesta posição.

- Sim, abre só mais um pouco.

- Assim?

- Sim!

- Aiiiiiiiii! Está a doer!

- Agora não posso parar!

- Nãooooooo! Não aguentooooooo!

- Abre mais.

- Está a doer!

- Aguenta!

-Aiiiiiiii dói!

-Está mesmo quase...

-Auuuuuuuuuuh!

- Prontoooooooooo, já está!

- Ufa! Que alívio!

- Até não fomos mal.

- Ah! Está a sangrar.

- Sangra sempre um pouco.

- E se não parar?

- Claro que pára.

- Como sabes?

- Tenho experiência.

- Olha, está a parar.

- Eu não disse?!

- Óptimo, quanto é que te devo?

-Por arrancar um dente? Nada pá, somos amigos!





Nota: Como hoje estou sem inspiração fui buscar esta ao baú das recordações.

Pensamento da semana...



Dedicado a alguns "chicos-espertos" que crescem como cogumelos...

Fumar é como fazer sexo oral...

Uma campanha publicitária pelos direitos dos não-fumadores defende que fumar é como ser obrigado a fazer sexo oral (aqui).


Para Marco de La Fuente, responsável pela campanha realizada gratuitamente pela agência BDDP & Fils, a mensagem é:

'O tabaco é uma submissão'. Ora, acrescenta este senhor, no imaginário colectivo, o sexo oral é o símbolo perfeito dessa submissão".

Oh Marquinho, onde foste buscar essa ideia que o sexo oral, no imaginário colectivo, é submissão?
Palavra de honra que às vezes penso que não pertenço a este mundo...


Nota: Isto já para não falar das fotos que fazem parte da campanha...
É que a mão do homem na cabeça de adolescentes dá-me umas certas voltas ao estômago, mas o problema deve ser meu...




Aos Srs. Presidentes de Câmara deste País..

Clicar para ampliar



É que, nem pensem em colocar um equipamento público desta natureza.


Isto se não quiserem assistir a milhares de mulheres à beira de um ataque de nervos!


Mais a mais, a balança deve estar com alguns problemas porque eu peso 70 Kg bem equilibrados e sou bem mais avantajada do que a menina da foto. No meu caso quanto dava? 80 KG?


Está mal... e não havia necessidade!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Casamento II




A M. perguntou-me por mail qual o segredo para manter o meu casamento há quase 24 anos.

Isso deu-me o mote para o presente post.

Em tom de brincadeira costumo dizer que a longevidade do meu casamento se deve a uma paciência infinita de parte a parte (mais da minha, óbviamente) e de crises de surdez temporária (pois há coisas que mais vale fingir que não ouvimos).

Dalai Lama escreveu:


"Dê a quem você ama: asas para voar,
raízes para voltar e motivos para ficar"


Penso que é este o segredo para o sucesso de uma relação.


Já o afirmei repetidas vezes, nunca fomos, nem somos, um casal perfeito (nem acredito que tal exista).

Mas, acima de tudo, sempre fizemos questão de ultrapassar as crises. A
mbos nos recusamos a aceitar o caminho mais largo e curto. E o caminho mais difícil é tolerar perdoar, cuidar, esperar....


Porque não subestimamos o poder de um ombro amigo, de um carinho, de um olhar honesto, de um sorriso cúmplice. Porque somos a antítese um do outro, logo completámo-nos.


Porque ambos somos amigos incondicionais, cúmplices e leais. Porque vale a pena fazermos a caminhada juntos.


Qual é o segredo para uma relação durar? Não sei... digam vocês...



Ouça lá...



Já não é a primeira vez que o Sr. me prega uma partida dessas.

Eu sei que é capaz de achar engraçado ver uma quarentona a ter que se despir no local de trabalho.

Mas, palavra de honra, para a próxima que o Sr. Pedro se lembre de proceder a uma descarga de águas mesmo por cima de mim, eu vou aí em cima e dou-lhe um enxerto de porrada...
Chiça!


segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Pois é...




Nos últmos dias são muitos aqueles que têm estado sentados nesta sala de estar a conversar sobre se é possível amar alguém para sempre.

Eu sempre gostei de ter a minha casa cheia de pessoas que se sentem à vontade para ter uma boa conversa.

E como hoje tive um dia bem complicado estou a precisar de me sentar no sofá e apreciar um bom diálogo.

O tema, claro está, não é pacífico ( aliás, diga-se, em abono da verdade, que é um tema recorrente).

Eis o pensamento que vai servir de base à próxima conversa:


"Você pode amar muito uma pessoa e ir para a cama com outra."
Leila Diniz


E, não se esqueçam: em matéria de afectos há muitas zona cinzentas e todas as opiniões são válidas prque não há verdades absolutas.


Boa conversa...




O ídolo...

Clicar para ampliar

Esta é dedicada à Pinxexa que, apesar de ser uma quarentona (muito bem conservada, diga-se), tem aquilo a que eu chamo uma verdadeira "panca" pela Hello Kitty.



domingo, 21 de fevereiro de 2010

F. C do Porto 5 - Sporting de Braga - 1

Os jogadores avisaram...

São piores que uma mulher despeitada!

E eu só tenho pena de não estar no estádio nesta altura.

Quem sou eu?




Há uns tempos atrás disseram-me que eu era uma pessoa contraditória.

Que era difícil de conhecer e entender.

Não respondi, apenas sorri porque a pessoa para chegar a essa conclusão já tem que me conhecer um pouco. Tanto como eu me conheço a mim própria.

Assumo, sem qualquer tipo de problema, que sou uma pessoa difícil de conhecer e de entender. E, sim, sou uma pessoa contraditória.

Se o espelho mostrasse para lá do que somos no exterior, provavelmente apareciam vários reflexos...
Sou capaz de enfrentar o maior desafio com uma calma surpreendente, e perder a calma só porque uma pessoa passa à minha frente numa fila.

Sou capaz de ver partir para sempre uma pessoa que amo e não verter uma lágrima, e desatar numa autêntica choradeira a ver um filme romântico.


Sou capaz de estar uma semana sem falar com ninguém, e convidar meio mundo para uma jantarada em minha casa.

Sou capaz de me esquecer de pentear o cabelo antes de sair de casa, mas não me esqueço dos aniversários de quem gosto.


Na verdade, não sei muito bem como sou, porque todos os dias cresço...
Florbela Espanca tem uma frase que se aplica bem ao tipo de pessoa que sou:

"Sou uma céptica que crê em tudo,
uma desiludida cheia de ilusões,
uma revoltada que aceita, sorridente,
todo o mal da vida,
uma indiferente a transbordar de ternura"




sábado, 20 de fevereiro de 2010

O que mais te magoou até hoje?




Esta foi a questão que me colocaram durante uma conversa no talk.


Pergunta simples para uma resposta complicada. Foram tantas as situações que me magoaram ao longo de quase 45 anos.


A resposta que dei foi que nunca me deixei aprisionar pelo passado de forma a viver da melhor maneira o presente. E é verdade que todos os dias luto para viver o presente da melhor forma mas, não é menos verdade, que a pessoa que hoje sou resulta do meu passado.


A minha forma de estar, de pensar, de ver o mundo, de encarar os problemas, é o resultado desse passado.


Se hoje encaro os 10 Kg a mais que tenho com humor é porque me cansei de chorar quando na escola me chamavam "gorda", "barril" "Miss Piggy" (ok, este cognome ganhei à custa de um valente murro que preguei a um engraçadinho que na sala de aula se lembrou de me chamar gorda quando eu estava com uma paixão assolapada pelo colega dele. Ora, miúda de 12 anos que se preze não se podia ficar face a um insulto dessa natureza).


Continuando,


Se hoje encontro o meu refúgio na solidão e viajar para um local bem longe, mesmo estando rodeada de uma multidão, é porque foi a forma que eu encontrei de fugir da sensação de abandono quando, ainda criança, saí por uns tempos da casa dos meus pais para ser criada pela minha avó.


Se hoje encaro a morte com toda a naturalidade, é porque desde cedo fui perdendo as pessoas que amava.


Se hoje não tenho grandes expectativas e ultrapasso as desilusões, é porque aprendi muito há doze anos atrás: estava grávida de oito meses e devido a uma taquicardia estive uma semana internada nos cuidados intensivos de um hospital. Durante essa semana, ligada a fios e máquinas cujo nome não me dei ao trabalho de decorar, apenas tive a visita de uma amiga no 2º dia. Mais nenhum familiar e/ou amigo me foi visitar. Apesar disso, sobrevivi física e psicológicamente. A lição que retirei? Várias: de que não tinha tantos amigos como pensava; que não podemos restringir a nossa vida à família porque ela, por vezes, não está disponível ou apenas nos procura quando precisa de nós e, acima de tudo, nunca demonstrar que nos podem magoar. Tive a minha filha e durante sete meses assumi tudo sózinha, recusando qualquer ajuda que então todos se prontificaram a dar. Tinha que provar a mim própria de que conseguia. E consegui.



O que mais me magoou até hoje? Muitas coisas...mas, sem elas, não seria a pessoa forte que hoje sou. Não me levantaria da maneira que me levanto sempre que a vida me prega uma rasteira. Porque só ficámos no chão se quisermos e não quando os outros quiserem...
E vocês? O que mais vos magoou até hoje?



Adenda ao post do casamento...



Nunca pensei que o post em questão desse o diálogo que se está a estabelecer. Mas fico contente.
Esta adenda dedico à "só uma mulher" e tem a ver com o vídeo do post anterior. É que o texto de Toquinho / Vinicius de Moraes / G.Morra / M.Fabrizio, retrata, de alguma forma, a minha postura face à vida.



Numa folha qualquer
Eu desenho um sol amarelo
E com cinco ou seis retas
É fácil fazer um castelo...

Corro o lápis em torno
Da mão e me dou uma luva
E se faço chover
Com dois riscos
Tenho um guarda-chuva...

Se um pinguinho de tinta
Cai num pedacinho
Azul do papel
Num instante imagino
Uma linda gaivota
A voar no céu...

Vai voando
Contornando a imensa
Curva Norte e Sul
Vou com ela
Viajando Havaí
Pequim ou Istambul
Pinto um barco a vela
Branco navegando
É tanto céu e mar
Num beijo azul...

Entre as nuvens
Vem surgindo um lindo
Avião rosa e grená
Tudo em volta colorindo
Com suas luzes a piscar...

Basta imaginar e ele está
Partindo, sereno e lindo
Se a gente quiser
Ele vai pousar...

Numa folha qualquer
Eu desenho um navio
De partida
Com alguns bons amigos
Bebendo de bem com a vida...

De uma América a outra
Eu consigo passar num segundo
Giro um simples compasso
E num círculo eu faço o mundo...

Um menino caminha
E caminhando chega no muro
E ali logo em frente
A esperar pela gente
O futuro está...

E o futuro é uma astronave
Que tentamos pilotar
Não tem tempo, nem piedade
Nem tem hora de chegar
Sem pedir licença
Muda a nossa vida
E depois convida
A rir ou chorar...

Nessa estrada não nos cabe
Conhecer ou ver o que virá
O fim dela ninguém sabe
Bem ao certo onde vai dar
Vamos todos
Numa linda passarela
De uma aquarela
Que um dia enfim
Descolorirá...

Numa folha qualquer
Eu desenho um sol amarelo
(Que descolorirá!)
E com cinco ou seis retas
É fácil fazer um castelo
(Que descolorirá!)
Giro um simples compasso
Num círculo eu faço
O mundo
(Que descolorirá!)...

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Lições de vida...




Regina Brett quando fez 90 anos de idade escreveu numa coluna as 45 lições que a vida lhe ensinou.

Não vou colocar as 45. Mas deixo-vos com algumas para o fim-de-semana.


1. A vida não é justa, mas ainda é boa.
2. Quando estiveres em dúvida, apenas dá o próximo pequeno passo.
3. A vida é muito curta para perdermos tempo a odiar alguém.
4. O teu trabalho não vai cuidar de ti quando adoeceres. Os teus pais e amigos vão. Mantém o contacto.
5. Paga as tuas facturas do cartão de crédito todos os meses.
6. Tu não tens que vencer todos os argumentos. Concorda para discordar.
7. Chora com alguém. É mais curativo do que chorar sozinho.
8. Quando se trata de chocolate, a resistência é em vão.
9. Sela a paz com o teu passado para que ele não estrague o teu presente..
10. Não compares a tua vida com a dos outros. Tu não tens ideia do que se passa na vida deles.
11. Se um relacionamento tem que ser um segredo, tu não deverias estar nele.
12. O que não te mata, realmente torna-te mais forte.
13. Nunca é tarde demais para se ter uma infância feliz. Mas a segunda só depende de ti e de mais ninguém.
14. Quando se trata de ir atrás do que tu amas na vida, não aceites não como resposta.
15. Acende velas, coloca lençóis bonitos, usa lingerie elegante. Não guardes para uma ocasião especial. Hoje é especial.
16. Prepara-te bastante, depois deixa-te levar pela maré...
17. Sê excêntrico agora, não esperes ficar velho para usar roxo.
18. Ninguém é responsável pela tua felicidade além de ti.
19. Encara cada "chamado desastre" com estas palavras: Em cinco anos, vai importar?
20. Escolhe sempre a vida.
21. Não te leves tão a sério. Ninguém mais leva...
22. Envelhecer é melhor do que a alternativa: morrer jovem.
23. Tudo o que realmente importa no final é que tu amaste.
24. O melhor está para vir.
25. Não importa como tu te sintas, levanta-te, veste-te e aparece.
26. Produz.
27. A vida não vem embrulhada num laço, mas ainda é um presente!!!



O casamento...


"Se uma pessoa diz a outra que a ama, a própria linguagem supõe a expressão "para sempre". Não tem sentido dizer: - Amo-te, mas provavelmente só durará uns meses, ou uns anos, desde que continues a ser simpática e agradável, ou eu não encontre outra melhor, ou não fiques feia com a idade. Um "amo-te" que implica "só por algum tempo" não é um amor verdadeiro. É antes um "gosto de ti, agradas-me , sinto-me bem contigo, mas de modo algum estou disposto a entregar-me inteiramente, nem a entregar-te a minha vida".

Mikel Santamaría Garai

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Hoje foi daqueles dias!






Em que chego a casa cansada do trabalho e que, analisando bem, de produtivo não teve nada.



Apenas espero que, finalmente, consiga dormir umas horas porque as minhas amigas insónias já estão a fazer estragos...


Os esganiçados, também conhecidos por "bicos de pés"...




Durante anos considerados como as "raças malditas" e perseguidos injustamente, hoje são vistos como um exemplo a seguir e o seu reconhecimento resulta sobretudo do respeito pela norma constitucional de que ninguém deve ser prejudicado em função da raça.


Livres de perseguições persecutórias, hoje constituem uma raça em forte ascensão na nossa sociedade, a par de uma outra já com certificado de qualidade: "os chicos-espertos".


É vê-los todos contentes quando são nomeados, não pelas suas qualidades profissionais que isso agora não interessa nada, mas pelas suas qualidades de hipocrisia, de manipulação e de traição.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

O silêncio





O silêncio é por vezes o maior orgulho que se pode mostrar.
Bjornstjerne Bjornson



Sou tudo, menos orgulhosa.

Mas utilizo tantas vezes o silêncio como grito...


Obrigado. Seja lá quem fores...

Lembram-se deste post?


Pois acabo de saber que o Tiago conseguiu um dador compatível. Apenas sei que é português.


O Tiago ainda vai ter uma dura luta pela frente porque a doença tem os seus truques e na semana passada lembrou-se de dar um novo ar da sua graça. Mas ele vai conseguir ultrapassar mais esta partida porque agora ele sabe que a esperança não é uma palavra vã.

É contagioso?






Estou com um péssimo humor, não durmo desde sábado (as insónias voltaram), e tenho uma série de sentimentos que precisava de deitar cá para fora mas, como sempre, vou guardar dentro de mim... Gostava, pura e simplesmente, de me deixar. De me esquecer.


Por isso, hoje não estava para escrever nada. Ia-me limitar a fazer a habitual viagem pelos blogues que diariamente gosto de ler.


E cheguei à conclusão que deve existir uma espécie de virose no ar que está a provocar mau humor, tristeza e mais uns condimentos que provocam uma azia desgraçada...

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Traição!




Em Julho de 2008 falou-se nesta sala-de-estar de "traição".

Na altura, teve-se como ponto de partida um trabalho realizado pela psicóloga clínica brasileira, Katia Cristina Horpaczky, sobre o tema, e no qual se poderia ler o seguinte:


“ Na maioria das vezes, a traição acontece quando o relacionamento não atinge mais as expectativas. A pessoa trai porque está em busca de algo mais que a relação não esta oferecendo. É nessa fase que o diálogo entre o casal quase não existe....
(...)
Essa atitude pode provocar no parceiro que traiu um sentimento maior de dor e remorso.
É muito difícil suportar a infidelidade, a dor de ser traído, de ser enganado. Por isso, há a dificuldade de perdoar e superar o ocorrido".



Todos concordaremos que a infidelidade, quando descoberta, tem as suas consequências, as quais podem conduzir ao fim de um relacionamento porquanto gera sentimentos de insegurança e desconsidera a pessoa atingida pela traição.

Mas, e porque já decorreu algum tempo sobre a discussão deste tema, será oportuno voltar a reflectir sobre o mesmo.


Assim, o desafio que se coloca é o de saber se, no nosso íntimo, queremos saber que fomos traídos? Ou, pelo contrário, mesmo suspeitando, preferimos pensar que está tudo bem?

Preferimos saber pelo nosso parceiro de que ele nos traiu? Ou, pelo contrário, preferimos saber por terceiros?

E se soubermos? Qual é a nossa reacção?

Conversamos e perdoamos?

Não damos hipóteses a qualquer desculpa e terminamos a relação?


Sem pretender influenciar as vossas respostas, até porque em matéria de afectos cada um de nós tem uma forma muita própria de os gerir, será provavelmente oportuno deixar-vos com mais um extracto do referido trabalho:


"(...)
Diante da constatação da traição, vale a pena, antes de tomar uma medida precipitada, de ter uma crise nervosa, conversar com o parceiro e esclarecer toda a situação. Se a traição aconteceu, é porque algo não vai bem na relação, está faltando alguma coisa.
A pessoa traída não deve nesse momento se sentir culpada e nem vítima da situação. O mais importante agora é descobrir o que levou o seu companheiro a agir dessa maneira. Escute o que ele tem a dizer e faça uma avaliação da situação, se vale à pena continuar ou não.
É muito difícil perdoar uma traição. Perdoar ou não depende de cada pessoa ou do tipo de relação que existe. Caso a decisão seja por perdoar e continuar o namoro, não relembre o assunto a cada discussão. Usar a traição sempre como arma em outras discussões só trará desgaste para a relação. Perdoar é esquecer.
Se não houve esquecimento, não houve perdão. Então, o melhor a fazer é terminar o relacionamento.
(...) "

E aqui fica um dos meus temas favoritos...na voz inconfundível de Luther Vandross



Pensamento do dia...

Cada um tem o seu próprio conceito de divertimento.

Mas uns demoram muito mais a crescer...




segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

O que tem de ser...tem muita força!




E nada melhor do que passar o dia de férias que tirei na cama.


Não, não estou doente. Apenas cansada depois de mais uma noite de insónias e uma enorme vontade de estar na sornice...


domingo, 14 de fevereiro de 2010

Francesinha




Porque o prometido é devido, aqui fica a receita da francesinha:


INGREDIENTES:

Francesinha (individual):
2 - Fatias de pão de forma;
3 - Fatias de fiambre;
7 - Fatias de queijo;
1 – Linguiça;
2 - Fatias de paio;
1 - Bife 150g a 200g.


Molho (4 pessoas):
1 - Sopa de marisco;
1 - Sopa de rabo de boi;
3 – Cebolas médias;
6 - Dentes de alho;
2 - Folhas de louro
Salsa q.b.;
Azeite q.b.;
Sal q.b.;
Piri-piri q.b.;
Farinha tipo ”Maizena” para engrossar q.b.;
2 - Colheres de sopa de polpa de tomate;
1 - Cerveja;
1 - Cálice de brandy, ou whisky ou água ardente;
1 - Cálice de vinho do Porto;
1 – Copo de vinho branco (maduro ou verde).


Confecção:

Francesinha – da base para o topo:
Fatia de pão de forma (1 uni.);
Fiambre (1 uni.) + queijo (1 uni.);
Paio (1 uni.);
Bife (1 uni.);
Fiambre (1 uni.) + Queijo (1 uni.) + Paio (1 uni.);
Linguiça aberta (1 uni.);
Fatia de pão de forma (1 uni.);
Queijo (5 uni.);

Depois de colocado o queijo, levar ao forno para que este derreta e gratine!
Preferencialmente, grelhar a linguiça e o bife.

Molho:
1. Colocar num tacho o azeite, os alhos picados, a cebola picada, as folhas de loureiro, sal e salsa;
2. Deixar refogar, acrescentando um pouco de água e mexendo de vez em quando;
3. Quando começar a alourar, adicionar a cerveja, a polpa de tomate, o piri-piri, as bebidas espirituosas, o vinho do Porto, o vinho de mesa;
4. Deixar ferver aproximadamente 10 minutos, mexendo de vez em quando;
5. Retirar as folha de loureiro;
6. Ralar tudo muito bem com a varinha mágica;
Preparar as sopas, de marisco e rabo de boi, separadamente e de forma individual,
8. Acrescentar as sopas ao “molho” principal (estrugido);
9. Ralar novamente com a varinha (cerca de 2 minutos);
10. De forma a apurar, deixar ferver 10 minutos, mexendo continuamente e servir bem quente;
11. Se necessário, engrossar o molho com farinha tipo “Maizena”.

Originalmente, a francesinha era servida de forma simples, todavia, actualmente é, ou pode ser, servida e/ou acompanhada por ovo frito e batata frita.

O principal segredo da Francesinha, está na confecção do molho. A proporcionalidade quantitativa das diversas bebidas (cerveja, espirituosas, vinho do Porto, vinho de mesa, entre outras), que compõem o molho vai provocar a maior ou menor “acidez ou doçura” do mesmo, bem como o paladar final.


Bom apetite!


Ah, não se esqueçam, a acomompanhar a francesinha, uma boa cerveja...




E no dia dos namorados...estou só.


Confesso que não contava passar este dia assim, mas não estou propriamente só...estou a ouvir este menino:




E a frase vencedora do dia dos namorados é...







“Eu nunca disse que te amo, mas os meus olhos sempre me traem.”

Rui da Bica

A todos os que concorreram muitos parabéns. As frases eram óptimas e não tenho qualquer dúvida que serão aproveitadas por muitos durante o dia de hoje.

E, não se esqueçam, coloquem a frase vencedora (ou todas), no vosso blogue.

Feliz dia dos namorados...para quem o vai aproveitar...

Eu vou continuar com as minhas limpezas e depois passar uma roupa a ferro!





sábado, 13 de fevereiro de 2010

Falta pouco...






Para ficarmos a saber qual a frase vencedora do passatempo sobre o dia dos namorados.



A votação está renhida.



À frente está a frase do Rui Bica , mas a Storyteller e o Otto Pluma não deixam os seus créditos por mãos alheias e estão no alcance da vitória.



Memos de duas horas para votar. Vamos lá ver se há uma reviravolta...


Cá para mim, o Manel não vai ter direito a dia dos namorados...



sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

É só para avisar que...

1. Podem votar até amanhã na votação que está a decorrer na coluna do lado direito.

2. Impulsivamente meti um dia de férias pelo que vou ficar no quentinho da minha casa até terça-feira.

3. O Senhor Ben Harper vai estar no "Marés Vivas" e a menina, obviamente, vai lá estar.

4. Desejo a todos um grande e quentinho fim-de-semana...



Só para que conste...




Se eu gostasse de frio, tinha optado pelo Polo Norte.

Fosga-se, está cá um frio!

Estava bem era na caminha...

Entretanto, continuam e votar na vossa frase preferida. Eu ainda não votei.


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

A votação já começou...

Agora é só votarem na vossa frase favorita.
A votação decorrerá até sábado, dia 13 de Fevereiro.
No domingo, dia dos namorados, todos os que participaram terão que publicar a frase vencedora nos respectivos blogues.
Aos participantes...boa sorte!




O murro...



"Não há terror num murro, somente na antecipação dele."

Alfred Hichcook



Só tive esta sensação enquanto aguardava pelos últimos suspiros agonizantes do meu pai. Nessa altura ansiava pelo valente murro. Quando ele chegou apenas senti serenidade.


Durante o dia de hoje a sensação voltou e não retiro os olhos do telemóvel ansiando pelo murro...


Já vos disse que detesto antecipações?

Hoje é o último dia...




Para participar no desafio que foi colocado esta semana.


Recordemos as regras:


Têm que escrever uma simples frase, e apenas uma, onde terão que demonstrar tudo o que sentem pela pessoa que gostam.


Amanhã decorrerá a votação para a melhor frase.


O prémio: todos os participantes terão que publicar no dia dos namorados a frase vencedora.


Até ao momento, estão a concurso as seguintes frases:


Eu Mesma:

"Meu amor... não me tires o tapete!"


Só uma mulher:

“Amo-te pelo que tu és, não pelo que eu quero que tu sejas..”


Sadeek:

“Amo-te”


Rui da Bica:

“Eu nunca disse que te amo, mas os meus olhos sempre me traem.”


Otto Pluma:

“Amor, com apenas as tuas quatro letras, mexes com o resto do meu abecedário.”


VCosta:

“Gosto de ti porra..."

"Eu faço a cama..."


"Eu espero...”


Adenda às 9.58: Segundo o autor, estas são as ideias. A frase é: "


Amo-te, não de sempre... mas para sempre!"


Djinn:

“Amo-te pelas tuas imperfeições”



Vamos lá colocar essa imaginação a funcionar...



Nota - Decidi dar um prémio suplementar: publicar a verdadeira receita da francesinha!



quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Goggle Buzz



Acabei de aderir ao Google Buzz
.


Não me perguntem porquê. Se eu ainda não me entendi com o Facebook...


Medo de perder...


Paulo Coelho escreveu a seguinte frase:

"Quantas coisas perdemos por medo de perder"

Já estão a imaginar o tema de hoje... O que é que já perderam com medo de perder?

E não terá sido o medo de perder que vos impediu de ganhar?

Eu sei que para uma quarta-feira bem podia ter escolhido outro tema qualquer para conversarmos, mas ainda estou sob efeito de uma longa noite de insónias...e, quando não durmo, vocês já sabem como fico!

Já agora, não se esqueçam de continuar a participar no desafio sobre o dia dos namorados. É só até amanhã. Sexta-feira é para votar na melhor frase...

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Enganando o galo...


Vocês já assistiram, a cinco homens adultos a festejar o facto de um galo cacarejar? Não? Então não percam a oportunidade...

Só para que não caiam de pára-quedas no vídeo a que vão assistir, acrescenta-se que o mesmo documenta uma experiência da empresa holandesa de electrónica Philips, feita com um galo de fazenda chamado Simon.

"O objectivo era testar o produto "Philips Wake-up Light" (lâmpada para acordar) e o desafio era o seguinte: se, dentro do galinheiro, a lâmpada conseguisse fazer o galo cantar antes de alvorecer, então seria o sucesso.

Montaram então toda uma parafernália electrónica de áudio e vídeo perto do galinheiro - o Rooster Control Center (centro de controle de galo).


Interligaram sensores, cabos de rede, caixas de som, câmeras, fotómetros, tripés e células fotoeléctricas. A lâmpada em teste se acenderia às 3h00m da matina, não como uma lâmpada comum, de repente, mas lentamente, aos poucos, como se fosse o sol nascendo, em "fade up".
Generosos, membros da equipa optaram por instalar até um móvel com caixa de música para dar mais conforto a Simon na hora de dormir".

À hora aprazada, a lâmpada acendeu como previsto. E o resultado... bem... o vídeo em anexo vale a pena ser visto.

Com isso, a empresa disparou o seu concurso de ideias criativas: "Quem consegue desafiar a Philips?".


Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso