quinta-feira, 29 de junho de 2017

Pensamento do dia...

Imagem da net

 
"Estou orgulhoso do meu coração,
Tem sido jogado, esfaqueado,
enganado, queimado e quebrado,
mas de alguma forma ainda funciona..."
(Desconhecido)
 
 
A música de hoje é desta Senhora:
 
 
 

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Num dia de Março de um ano qualquer....

O filme mais visto nesse dia foi este:

Imagem da net

E a música mais ouvida nas rádios de todo o mundo foi esta (por isso é que gosto tanto dela):



Se querem saber o que é que o pessoal mais viu e ouviu no dia em que nasceram, podem consultar aqui.

E até ficam a saber quantos minutos já viveram... eu já vou com qualquer coisa como 27,506,670 minutos (a acreditar neles que nem fiz a conta porque me perdi logo).

Estivesse eu sózinha em casa...



...e não no trabalho, e esta menina estava a cantar esta música em altos berros.

Hoje, definitivamente, é dia não!

Pensamento do dia...


Imagem da net
 
A música de hoje terá sido, muito provavelmente, a música que mais ouvi na minha adolescência. Era através de um aparelho igualzinho a este que a ouvia.
 
Imagem da net
 
 
 
 

terça-feira, 27 de junho de 2017

Quatro palavras...para um espectáculo memorável!



Somos um Povo Único....

Imagem da net

O que a vida me ensinou...

 
Imagem da net


Cabe a nós escolher as possibilidades e as oportunidades que que vida nos oferece.

A música de hoje é uma das minhas preferidas e que está, inevitavelmente, na lista.




Porque hoje me apetece dizer isto...



"Escolhi você sabendo...
dos teus defeitos, escolhi você sabendo...
que não és perfeita. "
 Claudiano Clemente


E, ao contrário da música de hoje, há acordos inquebráveis...

Em vez de cacos velhos podemos construir peças únicas em cada um dos reencontros!


 

segunda-feira, 26 de junho de 2017

...

 
"Um dia desses, eu separo um tempinho
e ponho em dia todos os choros
que não tenho tido tempo de chorar"
 
Carlos Drummond de Andrade
 
 
Há dois anos fui ver o João Pedro Pais. Quando ele começou a cantar este tema tive que abandonar a sala.
 
Sou uma verdadeira tristeza...é o que é...
 
Já vos disse que detesto ser como sou? Não? Digo agora.
 
 

A procura...

 
"Não deixará de desejar o amor.
Simplesmente, por alguma razão, parará de procurar"
Magnus Bane

   

Mas o amor procura-se ou é ele que nos encontra?

A música é esta.





domingo, 25 de junho de 2017

O que a vida me ensinou...

"Não quero alguém que morra de amor por mim... Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando. Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo, quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.
Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim...
Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível...E que esse momento será inesquecível...
Só quero que meu sentimento seja valorizado.
Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão...
Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim,
e que eu sempre dei o melhor de mim... e que valeu a pena!!! "
(Mário Quintana)

 
Não é uma visão dura da vida. Nem um queixume pela vida não nos dar aquilo que desejámos. 
 
É apenas uma visão mais madura do que a vida nos pode dar.
 
A música? Só podia ser esta.
 
 

Porque hoje me apetece dizer isto...


Imagem da net


"Lembras-me uma marcha de lisboa
Num desfile singular,
Quem disse
Que há horas e momentos p´ra se amar

Lembras-me uma enchente de maré
Com uma calma matinal
Quem foi
Quem disse
Que o mar dos olhos também sabe a sal
[refrão]
{as memórias são
Como livros escondidos no pó
As lembranças são
Os sorrisos que queremos rever, devagar}

Queria viver tudo numa noite
Sem perder a procurar
O tempo, ou o espaço
Que é indiferente p´ra poder sonhar
[refrão]
Quem foi que provocou vontades
E atiçou as tempestades
E amarrou o barco ao cais
Quem foi, que matou o desejo
E arrancou o lábio ao beijo
E amainou os vendavais
"
 Luís Represas


Porque há aquele(a)s para quem só restam as memórias...de um tempo que há muito acabou!

sábado, 24 de junho de 2017

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Bom S. João...


 
Ai meu querido S. João
como vou festejar?
Com o sono que tenho
só quero um colchão! 
 
O raio da perna não ajuda
E o cansaço também não
Resta-me ver o fogo no rio
pelo écran da televisão.
 
 
De alguns anos a esta parte que deixei de ir para o meio da "confusão". Geralmente passo a noite em casa de amigos e só saímos para ir ver o fogo.

Este ano um problema na minha querida pernita esquerda impede-me de ir ver o fogo. Eles vão e eu fico a ver na televisão.

Para quem pode comemorar o S. João, divirtam-se...

quinta-feira, 22 de junho de 2017

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Não, não e não...


O "meu" ator preferido não pode pura e simplesmente dizer que não vai trabalhar mais. (notícia aqui)


Imagem da net


Fiquem com aquela que é a cena mais dramática (e violenta) do filme "O último dos moicanos".




terça-feira, 20 de junho de 2017

O maior problema...


...da Anatomia de Grey é....como se pode dizer isto...
 
Não sei se os homens são bons médicos mas que são homens muito bons, isso não tenho qualquer dúvida!
 
Vai daí, em vez de estarmos atentas ao argumento, o episódio chega ao fim e já nem me lembro dos diálogos. Está mal...


 
 
A música é esta:

 

...

 
Farias hoje 75 anos.
 
Partiste 30 anos antes. Disse que podias partir porque sabia que estavas a sofrer. Mas tu sabias  que é difícil deixar partir quem amámos. Foste tu quem me ensinaste isso. Lembras-te?
 
Eras tu que me ouvias, que me aconchegavas os lençóis e me dizias para ter sonhos cor-de-rosa. Que olhavas para mim, me abraçavas enquanto dizias para eu não ligar àqueles que me chamavam feia e gorda. Dizias que eles tinham inveja do meu olhar doce. Só tu para veres maravilhas onde elas não existem.
 
Ensinaste-me a acreditar que todos nós temos direito ao arco-íris. Que um dia encontraria a minha alma gémea nem que fosse velhinha. Porque não importava o tempo mas a forma como o aproveitávamos.
 
Ensinaste-me a acreditar que somos todos iguais quando me deste as "Grandes Esperanças" de Charles Dickens. Que mais importante que a instrução era a educação. Que mais importante que o dinheiro eram os afectos.
 
Ensinaste-me que a grandeza de um homem está na forma como se levanta depois de uma queda e a nobreza na forma como ajudámos quem cai.
 
Deixei-te partir... mas fica a saber que estou aborrecida contigo. Queria-te ao meu lado. Queria ter aquelas nossas conversas infindáveis que terminavam sempre com a mesma frase: "Ni, tens mesmo a mania da contradição".
 
Queria ter-te ao meu lado no dia dos meus anos porque não permitias que eu não tivesse o meu dia.
 
Queria continuar a sorver avidamente os teus conhecimentos de autodidacta e os teus sábios conselhos.
 
Pai, estejas onde estiveres (dado que, ao contrário de mim, acreditavas que existia algo para além deste espaço onde se luta contra tudo e contra todos), parabéns. Come uma fatia de bolo, bebe um bom vinho, canta e espalha a tua boa disposição, o teu sentido de humor único, o teu sorriso que aquece...sabes, dizem que tenho o teu sorriso. Parvoíce. O teu sorriso é único. É essa imagem que estou a ver agora.
 
Lembras-te desta música? Foi com ela que me ensinaste a dançar (sabes, nunca mais dancei esta música com ninguém, é a nossa música).
 
Até logo Pai. Dorme bem.
 
 
 

sábado, 17 de junho de 2017

...

Imagem da net

Recomeça o drama dos incêndios.

E, infelizmente, recomeça da pior maneira.

19 vítimas mortais até ao momento.

Absolutamente terrível.


 
Adenda às 09.00 h:
 
E a manhã nasce com números que nos deixam sem palavras: 43 mortos e 59 feridos.
Um número avassalador! :(
 

Porque não gosto de Nicholas Sparks...

Porque 99% dos livros dele terminam mal.
 
Ora são amores impossíveis, ora são doenças que acabam com os amores que deixaram de ser impossíveis.
 
Oh Nicholas, diz-me lá uma coisinha: tiveste alguma desilusão amorosa? Raios e coriscos...
 
Eu sei. Devo ser a única pessoa que não gosta dos livros deles (e que continua a ler). 
 
Mas, fosga-se, para amores impossíveis e doenças já basta a vida.
 
Ok, ninguém me mandou ver o filme "Dear John". Mais uma corrente de lágrimas... Chiça!!!
 
Mais vale ver o futebol. Pode ser que os Sub-21 me dê mais alegrias....

Mas antes vou fazer um bolo de chocolate para me animar.

Olha a novidade...mais uma dos Signos...

 
Alguém se lembrou de fazer um estudo para descobrir qual o melhor sítio para se passar férias sozinho(a).
 
E o melhor sítio para os Peixinhos, assim como eu estão a ver, é....
 
BALI
 
Imagem da net
 
 
Digam lá que o pessoal do signo de Peixes não tem bom gosto. Ah, e ainda por cima justificam  a escolha pelo facto de sermos empáticos e amistosos. Tudo coisinhas boas. Só não temos é dinheiro porque, segundo o nosso signo, temos a mania de darmos o que temos e o que não temos e depois ficamos a ver o mar e os navios mas pela televisão...
 
Mas imaginem umas férias sozinho(a)s neste paraíso e a ouvir esta música:
 
 
 
Se quiserem ver o vosso local de férias para irem sozinho(a)s podem ir até aqui.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Das Mamas...


Imagem da net
 
(Francisco, tiveste sorte porque não encontrei nenhuma imagem de "mamas na sopa")


O título deste post era "dúvida existencial" mas um "engraçadinho" tratou de se antecipar.

Mas não será por causa disso que deixo de ter a minha dúvida e que se prende com o seguinte: o que raio leva milhares de mulheres a fazer uma mamoplastia de aumento? Eu entendo que algumas mulheres se sintam menos femininas quando têm mamas pequeninas (sim, "inas"). O que já não consigo entender é que optem por autênticas "mamonas" (sim, daquelas em que um homem precisa bem de duas mãos quando só devia bastar uma).

Minhas caras amigas, permitam um conselho de quem sabe bem da matéria. As mamas grandes têm grandes inconvenientes:

1º Provocam dores na coluna;
2º Não conseguimos encontrar soutiens sensuais porque têm que ter a sustentação e blá, blá, blá...;
3º Com o calor é ver aparecer borbulhinhas vermelhas em baixo da gordurinha acumulada em forma de balão (como o rabinho dos bebés, estão a ver?);

e, não menos importante,

4º As consequências da força da gravidade (ou da falta dela) e que provocarão, inevitavelmente que se coloque o prato da sopa a meio metro de distância não vá o diabo tecê-las porque no meu caso de certeza que chegarão ao umbigo.


Tivesse eu dinheiro para plásticas e faria mas era uma mamoplastia redutora...

E aqui fica uma música que ´para dançar não dá jeito nenhum ter mamas enormes a não ser para puro deleite dos senhores...

Pensamento do dia...


Imagem da net
 
 
"Amizade verdadeira não é ser inseparável.
É estar separado, e nada mudar."
E.Gusmão
 
 
Fiquem com o grupo que me acompanha esta tarde...

...


Em casa, sozinha, a gozar um dia de férias.

Sem fazer nenhum.

Eu diria, um momento quase perfeito.

A música de hoje? Desculpem lá, levam com esta que é a que estou a desafinar...e a dançar (terrível hábito).


...


Estava triste mas foi um espetáculo único...

 
 
 
A música que mais gostei? Esta:
 
 
"(...)
E era aquelas coisas tontas, as afrontas que eu digo e que me arrependo,
A voltarem para mim, como se assim tivessem remendo.
 

E era eu, um passarinho caído no ninho à espera do fim
E eras tu, até que enfim, a voltar para mim.
(...)"
 
 


quinta-feira, 15 de junho de 2017

Paradoxos...


Imagem da net


"Ciúmes, o dragão que mata o amor sob o pretexto de mantê-lo vivo."
Havelock Ellis
 
 
Algures no ano de 2012, afirmei aqui que não sou uma pessoa ciumenta, que nunca fiz uma cena de ciúmes. Pelo que, concluía, "há quem diga que só tem ciúmes quem ama. A ser assim, nunca amei."

Cinco anos depois, continuo a afirmar que não sou ciumenta. porque quando se confia não há lugar ao ciúme. Mas que nome se dá àquela sensação de, apesar de confiarmos (até porque não há motivos objetivos para desconfiarmos),  nos sentimos menos importantes do que já fomos? Em que nos sentimos "substituído(a)s"?.
 
E começamos, literalmente, a inventar. Porque razão está a dar mais atenção àquele(a) do que a mim? Porque fala mais com ele(a) do que comigo? Porque o(a) elogia mais?
 
Vulnerabilidade.

Actuamos como se fossemos o centro do mundo. Como se o mundo se resumisse a duas pessoas.
 
A vulnerabilidade não é mais do que falta de confiança em nós próprios.
 
E eu, pura e simplesmente, detesto sentir-me vulnerável, porque tal significa que me vou refugiar naquele mundo onde ninguém entra.

Não quero, mas sinto! Às vezes...

A música? Só podia ser esta:



quarta-feira, 14 de junho de 2017

Pensamento do dia...



"Com o tempo a gente aprende que nem sempre é preciso dizer tudo
 para falar o que se pretende."
Luciano Brandão


Eis a razão porque gosto de mensagens encriptadas.

A música de hoje é deste menino que tem músicas que me embalam...



 

...

 
Eu sei que gosto de brincar e que, por pior que esteja, tento sempre ter um sorriso nos lábios e, acima de tudo, ser educada.
 
Mas já afirmei várias vezes que não imponho a minha presença a ninguém. Fala comigo quem quer, está comigo quem deseja. Ponto!
 
Tenho muitos defeitos, demasiados até, mas ser mentecapta não é um deles. Sei ver quando estou a mais e/ou quando não sou desejada. Magoa? Pois...mas nunca demonstrar é ponto de honra.
 
Feito o desabafo...
 
Ontem estive com o "meu" Pedro e lá derramei umas lagrimazitas durante a minha música preferida (talvez porque me faz recordar que a vida é feita de perdas).
 
Amanhã, vou estar com este "menino".
 
 
 
E mais esta música que é de uma ironia absolutamente deliciosa...
 
 
 
 

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Bom...


Imagem da net


Não tenho a certeza se o meu FCP contratou um bom treinador.

Mas tenho a certeza que contratou um treinador bom....

A música? Pode ser esta que estou agora a cantar (aos berros)!



Pensamento do dia...


Imagem da net


"Podemos ter chegado em diferentes navios.
Mas hoje estamos no mesmo barco"
Martin Luther King
 
 
Fiquem com uma das minha músicas preferidas e que nunca passou por aqui porque a letra diz muito de mim e é "minha".
 
  
 

domingo, 11 de junho de 2017

Porque hoje me apetece dizer isto...

 
Imagem da net
 
 

Não há nada mais importante do que força de uma palavra, de um olhar, de um toque, de um afago, ou de um simples sorriso para nos dar o conforto que precisámos.

Fiquem com uma das músicas que fazem parte do meu top ten. A forma como ele arranca aqueles sons da guitarra...

 

Passados dois anos, o que mudou?

Em junho de 2015, escrevi:

 
"Porque, uma vez mais, saio da minha zona de conforto e avanço. Desta vez sem saber exatamente para onde vou..
  
E precisava de te ouvir dizer que eu ia conseguir vencer mais este desafio. Precisava de saber que estarias aí a amparar a minha queda se tropeçar. Precisava de ouvir uma das tuas parvoíces que me fazem rir. Precisava de ti. Tão simples quanto isto. Mas sei que vou estar só nesta decisão."
 
Obviamente, tive que tomar a decisão sozinha.
 
Tratava-se de uma decisão relativa à minha vida profissional. Apesar de me manter na empresa onde estou há mais de trinta anos, ia para um serviço novo e, ainda por cima, para uma área que não gosto. Mais, ainda, ia deixar um trabalho que me realizava profissionalmente. E, admitamos, é difícil recomeçar aos 50 anos. Mas tinha que avançar...
 
Dois anos passaram e o balanço é positivo.
 
É verdade que continuo a não gostar da área mas encarei essa dificuldade como um desafio e fiz como sempre fiz em termos profissionais: encarei de frente e não virei a cara à luta.
 
O balanço é positivo porque cresci como profissional. Mas, acima de tudo, é positivo porque sei que o meu trabalho é reconhecido quer pelas chefias, quer pelos colegas.
 
Se era isto que ambicionava quando iniciei a minha carreira? Não. Mas eu era uma jovem cheia de sonhos. E a vida sempre se riu dos meus sonhos...
 
A música que estou a ouvir é esta:
 
 
 
 

sábado, 10 de junho de 2017

A verdade da mentira...

Imagem da net

"É árdua, sem dúvida, a tarefa de nos construirmos...
Quando fingimos ser o que não somos...
E esse caminho não pode trazer
- nem a nós nem aos outros - nada de bom.
Não é autêntico. Acontece-nos por vezes que temos objectivos
que exigem de nós aquilo que ainda não somos capazes de dar.
Nesses momentos, devíamos compreender, simplesmente,
que aquilo não é para nós;
que ainda temos de crescer;
que nos falta uma determinada porção de esforço e de luta"


Paulo Geraldo



Usamos as palavras para transmitir o que sentimos, o que queremos, o que entendemos.

Usamos as palavras com as nossas verdades mesmo quando estamos a mentir a nós próprios.


Usamos as palavras para fazer de mentiras as nossas verdades.


Mas, no fundo, a verdade e a mentira, quando usadas através das palavras podem ser, apenas, duas faces da mesma moeda. O que para nós é uma verdade irrefutável, para outro é a mentira mais absurda.


E a verdade e mentira que damos a nós próprios através dos sentimentos? Muitas vezes interpretamos as palavras dos outros segundo a verdade que gostaríamos acreditar. Por exemplo, quando pretendemos acreditar que somos verdadeiramente importantes para alguém sem nos preocupamos de ver a verdade nas palavras desse alguém.


Ou mesmo quando acreditamos ser aquilo que, de facto, não somos. Mas é a nossa verdade. Ou será que é mais uma mentira que assumimos como verdade?
 
A música "fétiche" de hoje é esta:
 
 
(Post em modo repeat)

...


Tenham um grande fim-de-semana.
 
Eu espero passar os dois dias na caminha a descansar.
 
Fiquem com um tema que faz parte da dita lista... que fala de um sentimento que eu prescindia bem. A saudade... principalmente quando são de bons momentos...
 
 


sexta-feira, 9 de junho de 2017

Eu sou demais...


Está dito!
 
Contra todas as expectativas, vou entregar o trabalho feito, com direito a pausa para ir comer qualquer coisa e ver um pouco Portugal a jogar.
 
Depois volto ao gabinete para ultimar os documentos finais.
 
Tinha-me comprometido a entregar até à meia-noite de hoje. E assim será.
 
 
E como sou demais, a música é esta (ok, não sou assim tão demais...).


Adenda:

Trabalho terminado. Como contava terminar mais tarde tenho que aguardar pela meia-noite pela "boleia" para casa. Mas não fico aborrecida É que, não sei se já disse isto aqui, mas adoro estar no meu trabalho à noite. Da minha janela vejo a "cascata sanjoanina" (hoje com direito a fogo de artifício). Sem telefones a tocar, sem pessoas a entrar e a sair (a não ser o segurança que, de quando em vez, vem ver se estou bem)...é um sítio calmo. Uma pequena maravilha!
 
 

Estou prestes a dar-me por vencida...



Seria a primeira vez que não conseguia entregar um trabalho na data prevista.
 
O meu corpo diz-me para parar. Já nem os comprimiditos milagrosos obrigam um órgão mafioso a trabalhar em condições.
 
Mas, para já, a mente recusa-se a parar. E ela é que manda. Quer dizer, só me deu autorização para parar uns minutos para relaxar, tomar um descafeinado (cafeína, neste momento, é esticar a corda com o mafioso), ver as últimas notícias e depois voltar à carga.
 
Ah, e ouvir música. Como esta:
 
 

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Fosga-se....

Imagem da net


Eu sei que o meu paizinho era descendente de mongóis mas, garanto-vos, falo português.
 
Hoje, a exemplo de ontem, tive o cuidado de ir ter com o segurança cá do burgo e alertá-lo que só sairia por volta das 9 da noite.
 
Isto, para ele não ter a infeliz ideia de fechar o quadro da luz enquanto eu estivesse a trabalhar.
 
Resultado? Não adiantou nada.
 
Pelo menos deu para repor as doses de cafeína e nicotina...
 
Neste momento são estes meninos que me estão a fazer companhia:
 
 

E o impossível aconteceu...


Imagem da net


Sei que o objetivo era trabalhar até cerca das 5.00 da manhã para conseguir dividir os processos pelos dois dias que me faltam para terminar o trabalho.
 
Sei que o trabalho tem que estar concluído até amanhã.
 
Sei que era perto da meia hora da manhã quando mandei uma mensagem à filhota mais nova a desejar uma boa noite.
 
Sei que acordei depois das 6.00, sentada numa cadeira e com a cabeça na secretária.
 
Sei que estou com um tau desgraçado porque, como se não bastasse não ter adiantado o trabalho como queria, estou cheia de dores no corpo.
 
 
Não sei quando e como adormeci!!!

 
A música? Uma que mereceu o seguinte comentário: "a música dos sonhos que toda mulher sonha em ouvir do seu amado". Sim, apesar de estar com o tau, continuo numa de romantismo. Estou lixada...
 


quarta-feira, 7 de junho de 2017

Resumo do dia e da noite que se aproxima...



Pausa no trabalho para repor as doses de cafeína e nicotina.

Sim, ainda estou no trabalho e estarei mais uma hora e pico.

Quando chegar a casa, retomo o trabalho e vai ser até de madrugada como ontem.

Vai ser assim até sábado. Acreditem, já vejo as letras no computador a dobrar!

Resumindo...está a ser uma semana espetacular...

Para me acompanhar, imaginem fui buscar a música sertaneja... estou mesmo mal!

Valham-me os raios e coriscos!

Pensamento do dia...



"Não é saudável criar expectativas, crie porcos !
Se tudo der errado, contudo estará comendo bacon sem decepções."
expectativas
 
 

Sempre defendi que a melhor forma de não apanhar desilusões era ser pessimista. Desta forma, se algo de bom me acontecesse o prazer e a alegria eram maiores porque não estava a contar. Se não acontecesse, bom...também não estava à espera.

O problema é que algumas vezes deixo-me tentar e caio na esparrela: sou optimista. Mas a vida, a tal que tem um sentido de humor lixado, trata logo de me dar o corretivo. 

 Mas ontem à noite, mesmo sabendo isso, deixei-me tentar... levei a lição que merecia.

 Toma lá Ni Maria para não te armares em optimista!

  
A música? O menino que me está a fazer companhia esta madrugada.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

terça-feira, 6 de junho de 2017

Porque hoje me apetece dizer isto...



"Everywhere I look I see her smile
Her absent-minded eyes
And she has kept me wondering for so long
How this thing could go wrong

It seems to me that we are both the same
Playing the same game
But as darkness falls this true love falls apart
Into a riddle of her heart

She's so vulnerable, like china in my hands
She's so vulnerable, and I don't understand
I could never hurt the one I love
She's all I've got
But she's so vulnerable
Oh so vulnerable

Days like these no one should be alone
No heart should hide away
Her touch is gently conquering my mind
There's nothing words can say

She's colored with all the secrets of my soul
I've whispered all my dreams
But just as nighttime falls this vision falls apart
Into a riddle of her heart, yea

She's so vulnerable, like china in my hands
She's so vulnerable and I don't understand
I could never hurt someone I love
She's all I've got
But she's so vulnerable
Oh so vulnerable
Don't hide your eyes"
 
Roxette

 


 
 

Hoje...


Enquanto estou a trabalhar, estou a ouvir estes meninos que também fazem parte da lista...


segunda-feira, 5 de junho de 2017

Porque hoje me apetece dizer isto...



Porque hoje me sinto como as folhas que passam de vermelho a castanho para serem pisadas...

 
 
Eu já me contentava com uma única notícia boa...

Oh Ni Maria...e uma bofetada, não?



Imagem da net


No momento em que escrevinho isto, estou de saída do trabalho.
 
São quase 20.00 h. e estou particularmente cansada porque voltaram as insónias e estar desde as 8.30 horas a trabalhar forte e feio não é fácil para uma mulher que já ultrapassou o meio século de vida.
 
Estava a começar a arrumar as coisas quando recebo um telefonema.
 
Sem entrar em pormenores, acabo de desligar o telemóvel e começo a dizer: "parva, parva, és uma parva" (a parva sou eu para quem ainda tem dúvidas).
 
Então não é que assumi um compromisso que me vai obrigar a levar trabalho para casa e a trabalhar todas as noites desta semana até às tantas da manhã.
 
Tenho consciência que, ao contrário da generalidade dos meus colegas, não tenho compromissos familiares mas também tenho consciência que me sinto no limite.
 
Esta teoria que adotei de viver um dia de cada vez não é tão fácil quanto pensava.
 
Como diria o meu paizinho: "isto ou vai ou racha". Cheira-me que vai rachar...para o meu lado!
 
A música? Deixem-me chegar a casa, tomar um bom banho para refrescar os neurónios e depois escolho.

Adenda:

Como o prometido é devido, e eu cumpro sempre as minhas promessas mesmo que isso me prejudique, fiquem com a música que estou a ouvir neste momento:

 
 

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso