terça-feira, 17 de novembro de 2009

Esta é dedicada ao JP...


" Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra, é bobagem.
Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela...

Um dia nós percebemos que as mulheres têm instinto "caçador" e fazem qualquer homem sofrer ...

Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável...

Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples...

Um dia percebemos que o comum não nos atrai...

Um dia saberemos que ser classificado como "bonzinho" não é bom...


Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você...


Um dia saberemos a importância da frase: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas..."

Um dia percebemos que somos muito importante para alguém, mas não damos valor a isso...

Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas ai já é tarde demais...
Enfim...

Um dia descobrimos que apesar de viver quase um século esse tempo todo não é suficiente para realizarmos
todos os nossos sonhos, para beijarmos todas as bocas que nos atraem, para dizer o que tem de ser dito...

O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutamos para realizar todas
as nossas loucuras... Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação.

Mário Quintana

16 comentários:

Abobrinha disse...

"Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você.."

Isto fez-me lembrar uma das primeiras cenas do "ele não está assim tão interessado"... estranho é como isto foi escrito por um homem! É que é dos maiores disparates que se pode dizer!

Eu Mesma! disse...

texto fantastico...

:)

NI disse...

O que é estranho: ser disparate e ter sido escrito por um homem? Porquê? Um homem não escreve disparates? :)

Eu Mesma, concordo.

Abobrinha disse...

Ni

O resto do texto está engraçado, embora não faça o meu género (é muito lamechas). Só acho aquela frase em particular disparatada.

Em relação a ser escrito por um homem, acho estranho porque realmente é pensamento típico de mulher. Como naquela cena do filme de que falei, que demonstra o início de muitos equívocos de mulheres em relação a homens: ele trata-te mal porque na realidade gosta de ti.

Acho que se alguém não me liga... realmente não pensa em mim! E devo agir em conformidade, que é o que tenho feito. É que eu tenho tido muitas perdas a este nível e é esta a única opção saudável. Há a opção (errada) de pensar que os outros pensam em mim, mas não é verdade. E não gosto de mentiras nem enganos.

Desculpa estar a ser um pouco cáustica, mas tens que reconhecer que tenho a minha razão.

Rui da Bica disse...

E um dia descobrimos que já é tarde demais e quanto de parvos fomos, por deixar perder tanta coisa, que nos poderia ter tornado mais, ou ainda mais, felizes !...

Muitas vezes, procuramos demais, quando a evidência está "AGORA" à frente dos nossos olhos !...
.

NI disse...

Abobrinha, não estás a ser cáustica. Já nos conhecemos e temos feitios diferentes mas respeitámo-nos mutuamente e é o que mais prezo em qualquer relação.

Provavelmente a tua forma de lutar contra as desilusões e as perdas é muito melhor a que a minha. Aliás, eu tenho um enorme defeito: não esqueço as pessoas de quem gosto mesmo que me façam mal nem considero uma perda a não ser que a pessoa me diga. Fico, pois, sempre num impasse quando a pessoa desaparece e nada diz.

Mas ao fim de 44 anos já deu para interiorizar que por mais esforços que faça não consigo mudar a minha forma de estar e de ser.

Sou assim. Quem gosta, fica. Quem não gosta vai. Pelas perdas que tenho tudo acho que são mais aqueles que não gostam do que aquelas que gostam.. :)

Beijo

NI disse...

Rui, algo que sempre me desconcertou foi a procura, às vezes insana, da satisfação que logo a seguir nos deixa insatisfeitos. Isto é, nunca estamos satisfeitos mesmo quando obtemos aquilo por que lutamos.

NI disse...

Rui, é curioso que estava a terminar o meu comentário e aparece este pensamento de Mário Quintana na coluna da direita:

"DA ETERNA PROCURA

Só o desejo inquieto, que não passa,
Faz o encanto da coisa desejada...
E terminamos desdenhando a caça
Pela doida aventura da caçada."

Abobrinha disse...

Ni

"Pelas perdas que tenho tudo acho que são mais aqueles que não gostam do que aquelas que gostam.."

Como já te disse, isto não é verdade! Se há por aí pessoas muito boas, também as há que não o são. Há que distinguir as duas! Às vezes (a maiorias das vezes?) as pessoas vão-se embora só porque sim! Ou porque lhes dá jeito. Ou porque naquele momento não lhes dá jeito. Não é necessariamente por algo que sejas ou tenhas feito. A não acho que seja tarde demais para mudar. É diferente se não queres, mas acho que devias. Poupava-te muito sofrimento.

NI disse...

Eu sei. Mas apesar de não ser masoquista, é a minha forma de ser. tentar ser outra pessoa que não eu é violentar-me. Acredita que tentei.

:)

Nota - E acredita que levo muito a sério as tuas palavras.

Bj

Rui da Bica disse...

Segundo o meu entendimento do que leio, o desejo não será a finalidade (a coisa desejada), passando a ser um “meio” para a atingir. Uma vez alcançada estaria perdido o interesse. O seu alcance deixa de ser um fim, ou será um fim descartável.
O desejo de alcançar o objectivo é mais forte que a sua concretização, que uma vez alcançada, perde o interesse.

É como que dizer que o prazer (desejo inquieto) do pescador ou do caçador, está apenas no acto em si, o da perseguição do objectivo, que uma vez alcançado (pescado ou caçado) é para descartar.

Não me sinto estar de acordo. Sinto-o como um desabafo de frustração por não se ter conseguido chegar ao verdadeiro valor da coisa desejada, depois de alcançada.

O meu sentido de alcance do valor supremo (coisa desejada) está na concretização e não no meio para a atingir. Doutro modo sentir-me-ia frustrado.

Seria um pouco como considerar o prazer superior à felicidade.
O prazer conterá uma pequena parte da felicidade, enquanto que esta é composta de uma imensidão de prazeres.
.

Missanguita disse...

"Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você... "
Não é bem, bem assim...

JP disse...

NI!
Mas que surpresa!!! :)
Um post só para mim... obrigado!
A miúda da imagem é bem gira... mas afinal o que disse o Mário? ;)
Beijo

NI disse...

Rui, para mim a felicidade são pequenos instantes e/ou momentos. Apenas isso!

Missanguita, pode acontecer. Acredita.

JP, ainda bem que me fiz entender. No post, a miúda era o mais importante, ahahahahahahah

Beijos

JP disse...

NI,
duas notas...
O primeiro parágrafo é verdadeiro, confirmo; e gosto muito do último parágrafo... igualmente verdadeiro.

NI disse...

Subscrevo.

O primeiro é verdadeiro. Confirmo.

O último? Ando desde o início a dizer isso :)

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso