domingo, 16 de julho de 2017

Segundo dia do marés vivas...

 
É difícil destacar um espectáculo de ontem. Estiveram todos à altura.
 
Amor Electro não desiludiu.
 
Os Expensive Soul fazem sempre excelentes espectáculos ao vivo. A dor no raio da perna impediu-me de ficar até ao final.
 
Scorpions, é a segunda vez que assisto a um espectáculo deles e no mesmo espaço. É incrível como ainda conseguem manter aquele ritmo. Nenhuma surpresa mas deu para viajar através dos tempos.
 
Lukas Graham, para mim, a boa surpresa da noite. Excelentes músicos (a parte de metais estava fantástica) e grande voz. Encaixou na perfeição naquele pôr-do-sol único.
 
Parte negativa do dia de ontem: O Marés Vivas precisa de um espaço maior. No espetáculo dos Scorpions foi tal a confusão que quando dei por mim vi-me sozinha e só no final consegui reencontrar-me com a minha cara metade.


Hoje, à espera de uma confusão ainda maior, vou ver este menino:




6 comentários:

Clementina disse...

Scorpians! Grandes! :)

NI disse...

Sim, Clementina. Continuam a dar um grande espectáculo.

:)

AFRODITE disse...


O meu filhote foi ver os Scorpions... e também não veio nada desiludido.
Do terceiro dia ainda não consegui ver nenhuma reportagem.

Beijinhos enviados numa "bottle"!

(^^)

NI disse...

Afrodite, o terceiro dia foi...cansativo.

Já não aguentava das pernas, ahahahah

Beijo

Rui disse...

Sabes que nunca fui a nenhum destes eventos ?... Nem neste local, tão pertinho de casa nem em qualquer outro !
...Mas admiro quem aguente de pé tantas horas seguidas e no meio de tanta gente !
Eu não consigo imaginar-me, por muito bons que sejam os intérpretes ! :))
Feitios ! ... e talvez mais qualquer coisa ! ehehehe

Beijo

NI disse...

Rui, acredita, nem eu sei como aguentei das minhas pernas. Houve uma altura em que pensei sentar-me no chão como muitos mas depois comecei a imaginar que era preciso um caterpiller para me levantar, ahahahah

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso