domingo, 4 de dezembro de 2011

Do jantar blogueiro...


Como elemento mais velho do grupo presente no jantar de ontem, deveria fazer um post digno desse nome sobre o evento. Mas depois de ler os relatos do Puzz (o desgraçado que, mais uma vez, me teve que aturar), da S* e do Gonçalo, vou dizer o quê?


Posso apenas acrescentar que tinha razão quando disse que ia ser divertido e, acima de tudo, gratificante conhecer novas pessoas e novas formas de pensar.


Fico à espera do próximo...



Nota - Ao contrário do que afirmam as "más-línguas" não fui eu quem deu mais gargalhadas. Penso eu de que...

8 comentários:

S* disse...

ahahah Oh NI, mas as tuas gargalhadas são fenomenais. :D

Eli disse...

Se calhar provocaste tantas gargalhadas boas que a imagem que temos é de te ver a rir connosco... aquele riso bom de quem ouve a partilha com coração aberto. Obrigada.

:)

Puzz disse...

em defesa da Ni, as gargalhadas mais enérgicas tinham origem no lado oposto da mesa...

Ni, é sempre um prazer partilhar conversas contigo.

izzie disse...

Então?
Não é sabido que gargalhada puxa gargalhada? ;)

As lembranças já estão num cantinho especial que me faz sorrir sempre.
Agora é repetir, repetir, repetir, para que o Natal esteja sempre connosco! :)

Beijinho,

Puzz disse...

...Natal, Carnaval, Páscoa...

ana disse...

Lá tenho eu que desempatar. Afinal, quem ria mais :p Hehe Ni, eu ouviiii!

Devo dizer que não só as gargalhadas. Apesar de estarmos em lados mais opostos da mesa, aquele bocadinho de conversa, soube pela vida! Soube melhor que a mousse hehe

Concordo com a Izzie, temos que repetir.

E quero de novo agradecer as lembranças, o carinho que elas traziam, e dizer que foi um prazer conhecer essa jovialidade e alegria. Espero que nos encontremos mais vezes.

Um grande beijinho ;)

Miguel disse...

Xiii!!!
Nem disseram nada!!!!
Cambada!
Já dou uns carolos na S* e no Puzz...
Não se faz!

:|

Puzz disse...

só vejo uma solução para isso Miguel... Marcar outro :D

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso