segunda-feira, 8 de março de 2010

Não será no meu tempo!




Mas espero que um dia não seja necessário comemorar o dia internacional da mulher.


Tal significará que a igualdade de oportunidades é uma realidade.

9 comentários:

Miguel disse...

E, no geral, já não é?

Acho que estamos bem mais próximos de ter de fazer um dia do homem...

Mas não devia haver nenhum... Mas a culpa é sem duvidas dos homens e não das mulheres!
Uns bocós!!!!!

Eu Mesma! disse...

pois mas também...
acho importante existir este dia mesmo para relembrar... quando algumas igualdades nem sequer eram imagem...

Abobrinha disse...

Eu Mesma

Ainda hoje nos faltam muitos direitos e oportunidades na nossa sociedade. Se formos ao resto do mundo... é que nem vale a pena falar: é lutar pelas outras mulheres que, não têm o que nós já tomamos por garantido, mesmo sabendo que ainda nos falta muita coisa.

só uma mulher disse...

Concordo com o que já aqui foi dito.. pelo que resta-me dizer... porque não lembrar a "mulher" todos os dias, "comemorá-la".. esta coisa dos dias (ainda que eu entenda o simbolismo deste)...

E Miguel.. não seja ciumento... Dia do Homem, 6a feira, pode ser?

:P

1 beijinho a todos

Miguel disse...

... eu não vos vejo a defenderem direitos iguais para os pais e para as mães...

É essa dualidade de critérios que é muitas vezes usada na sociedade... e dá no que dá!

Fizessem leis justas para as pessoas e não a pensar em homens ou mulheres, brancos ou pretos, altos ou baixos, gordos ou magros, deputados ou meros cidadãos...

Neste caso especifico, vocês perdem a face quando assistem ao abismo entre como são tratadas mães e pais e não dizem nada... porque vos convém!

Ora, há coisas que também convêm a certos homens pequeninos de espirito que sem isso nunca chegariam longe...

Não vejo a diferença!

Mas, "prontos", eu nem sou de cá!

só uma mulher disse...

Todos somos importantes e Todos devemos ser respeitados.. tudo o que é levado ao exagero, obviamente perde o seu sentido..

*

só uma mulher disse...

Sinceramente, entendo o que tu dizes Miguel.. falando no meu caso (que tem tudo de anormal).. que só não dou mais ao outro lado.. porque ele não quer.. e ambos, quer seja o pai ou a mãe, têm exactamente os mesmos direitos.. uma criança para crescer feliz, precisa de ambos.. dentro disto à as excepções..

1 beijinho

Miguel disse...

D,

Não falo do teu caso, nem do meu, nem de nenhum em particular.

Falo do que é o habitual acontecer e isso é os pais ficarem privados do dia-a-dia com os filhos.
E podia-te até falar de muitos casos onde as mulheres/mães vivem à custa das pensões que os pais dão, supostamente, para as crianças... mas nem toco nesse assunto!


Se me disseres que há pais que até agredecem ficarem pouco tempo com os filhos... ok, há!
Não deixam de se fazer de vitimas mas é isso que querem mesmo. É um pouco a situação das mulheres fazerem tudo na casa, ou ficarem com os filhos quando estão doentes...
Usam isso para se fazerem de vitimas em muitos casos (nao todos, claro)...

*

só uma mulher disse...

Este teu ultimo paragrafo.. muitas vezes somos nós mulheres, as grandes culpadas das situações que vivemos em casa.. muitas querem fazer tudo e não deixam margem para o outro lado intervir, se fizer mal, da próxima faz melhor... o que acontece.. ele afasta-se e desinteressa-se... assim tipo: queres ser tu a fazer.. então faz! mas também não vale ser uma professora, ou seja, eu vejo uma relação como uma partilha, pelo que devemos também esperar que pelo menos o outro lado saiba onde estão as coisas arrumadas.. afinal de contas vive lá em casa... quem diz isso diz como tratar das crianças e ir às compras.. levando a conversa ao exagero... alguns não sabem sequer o que é um Hipermercado.. Jesus!

(oops e fuji do tema)
sorry Ni

1 beijinho

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso