domingo, 16 de fevereiro de 2014

Cartas de Amor...*



Imagem da net


 
"Todas as cartas de amor
são ridículas.
Não seriam cartas de amor
se não fossem ridículas.

Também escrevi, no meu tempo,
cartas de amor como as outras,
ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
têm de ser ridículas .

Quem me dera o tempo,
em que eu escrevia
sem dar por isso, cartas de amor ,
ridículas.

Afinal,só as criaturas
que nunca escreveram Cartas de amor
É que são ridículas…"

 
Fernando Pessoa


Vamos lá confessar...
 
 
Hoje em dia está na moda a mensagem por SMS, MMS, mail, ou as simples trocas de palavras num sistema de conversação on line qualquer.
 
Mas as velhinhas cartas de amor. Sim, aquelas que se escrevem numa folha seja ela banca, amarela ou verde. Seja a tinta azul ou preta. Seja acompanhada com uma simples gota de perfume ou da marca de uma lágrima que teimou cair...

Sim, as velhinhas cartas de amor, as tais ridículas que só são escritas por quem não é ridículo. 

As que são escritas por quem tem a coragem de abrir a "caixa de pandora" com os "pedaços de alma". Já escreveram alguma? Já receberam alguma?
 
Antes que me perguntem: Já escrevi algumas mas nunca enviei. Nunca recebi nenhuma mas já me fizeram um poema.
 
 
A música pode ser aquela que, para mim, é uma das melhores de Nick Cave. Esta...
 
 
* Modo copy past da autora
 

3 comentários:

Same Old Guy disse...

Escrevi a primeira e última ainda não tinha 10 anos!!

...custou-me um grande par de estalos e um trauma prá vida!

Ainda hoje não consigo escrevê-las.

Receber..!? Não. Sou feio :p

Same Old Guy disse...

Beijoooooooooo*

Nikita disse...

Eu cartas, cartas, não tenho.
Tenho aquilo a que costumo chamar "coisas de amor": papéis, bilhetinhos, postais,...

E sabe-me pela vida sempre que os leio. Alguns já sei de cor o que dizes, mas sempre que passo os olhos por eles, sabem-me a palavras frescas ;)

Beijo grande

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso