sábado, 7 de abril de 2012

Paletes de cor...



Conhecem aquelas músicas que sempre que as ouvimos sentimos uma "lagrimazita" teimosa?

Eu sei que sou daquelas estúpidas que chora quando se emociona a ver uma cena de um filme, a ler um um livro ou a ouvir uma música. Mas sei que é "defeito de fabrico" e passados 47 anos já não são aceites devoluções.

Uma das músicas é esta. Porque a vida tem um princípio, um meio e um fim. Com curvas e contracurvas.

Mas, também, porque somos nós que escolhemos as cores com que pintámos a nossa vida mesmo que no final do nosso arco-irís apenas se encontre a serenidade como o grande tesouro...




5 comentários:

Utena disse...

Podemos chorar as duas?
Esta música também me comove

pedro ferreira disse...

NI, encontrar a serenidade como tesouro é um realmente um grande tesouro. Acho que gostava ter esse tesouro atrás do meu arco íris quando tivesse 47 anos. Porque serenidade implica um sentimento de paz interior, isso é claramente um tesouro.

Um abraço

Pedro Ferreira.

Petra disse...

Ohh NI: mais uma a chorar...

pedro ferreira disse...

Só mais uma coisa NI, grande música.

GATA disse...

O "arco-irís" que me faz chorar é o da Judy Garland n'O Feiticeiro de Oz.

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso