sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Como...

é que se consola uma jovem de 13 anos que chega a casa e vê o seu animal de estimação a morrer?

A minha filhota mais nova tinha um gato que ia com ela para todo o lado. À noite, dormia aos pés da cama dela.

Hoje, ao chegarmos a casa, o gato lembrou-se de atravessar a rampa no preciso momento em que o meu marido estacionava o carro para nos deixar em casa antes de ir para as aulas. 

Sinceramente não sei quem ficou pior...

Eu cá vou ver aquela imagem horrível durante muito tempo...

:(

5 comentários:

TM disse...

É horrível.... tive a infelicidade de me acontecer o mesmo que aconteceu ao teu marido, e no meu caso o bichano era pequinino... mas senti-me a pior pessoa do mundo... quando na verdade não tive culpa...
Lamento.... porque nada mais que eu diga fará muito sentido... :(

Abobrinha disse...

Arranja-lhe outro gatinho imediatamente. Lamento muito: odeio perder animais de estimação.

Rui da Bica disse...

Muito difícil, Ni ! ...agravado pela forma como aconteceu.
É como se fosse uma pessoa de família !
Terá uma única vantagem : é com coisas do género que um adulto se faz duma criança !
... a vida é isso mesmo ! ...
Diz-lhe que há amigos teus que estão "com ela" e sentem o seu sofrimento.
.

Francisco o Pensador disse...

Desde á invenção do automóvel que os gatos e os carros nunca conseguiram estabelecer uma ligação compativel entre eles.
Mas tal como diz a Abobrinha, a tristeza de uma perda só consegue ser superada com a chegada de uma nova alegria....

Beijinhos à tua filhota.

Requiem disse...

É muito mau mesmo...a minha irmã "fez" isso a dois, em semanas seguidas, estando ela g´ravida...não foi bonito.

Permite-me recomendar http://www.adopta-me.org/ foi onde encontrei a minha e onde faço voluntariado. Há lá tantos e tão giros...

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso