quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Continuo a gostar de ti, mas....




Um acontecimento recente tem-me feito reflectir sobre o que pode levar alguém a terminar uma relação com cerca de vinte anos.

E esta reflexão surge não pela própria situação em si que é legítima, a partir do momento em que se deixa de gostar da pessoa com quem se tem uma relação.

Mas, e se não for essa a razão invocada? Ou melhor, e se a justificação dada for: "continuo a gostar de ti mas, não sei..." .

Mas não sabe o quê?

O que leva uma pessoa a trocar a certeza pela incerteza?

O espírito da aventura? O gosto pelo desconhecido? A simples insatisfação de não se saber o que quer?

A busca insana por uma felicidade que não se sabe bem o que é? Apenas se sabe que será construída sobre a infelicidade de outros?

17 comentários:

Djinn disse...

Já vivi essa situação não com 20 anos mas com 18...o que ouvi foi:
«amo-te mas já não estou apaixonado por ti».
Não é nada fácil:)

a dona do tacho disse...

Ni

Não ligues o complicómetro pf.

Bj

NI disse...

Djinn, imagino que não seja mas conseguiste dar a volta por cima e isso é o mais importante.

Dona do tacho, não tenho o complicómetro ligado. Esta situação nem tem nada a ver comigo mas gostava de entender alguns comportamentos humanos. Apenas isso.

:-)

Beijos às duas

Angelik disse...

É complicado e triste quando as pessoas chegam a essa encruzilhada!
Às vezes tem apenas a ver com falta de atenção e carinho que o dia a dia vai apagando... Digo eu!

As pessoas às vezes esquecem-se de cultivar o amor e a paixão num quotidiano aborrecido de contas para pagar e aborrecimentos no emprego e por aí em diante! Digo eu!

As pessoas esquecem-se umas das outras e muitas entram em egoísmos injustificados... Digo eu!

Beijocas

Sadeek disse...

beijooooooo

pinxexa disse...

É muito complicado tentar entender as emoções das pessoas...demasiado...
bj

NI disse...

Pinxexa, é complicado tentar entender as emoções das pessoas mas eu gosto de desafios complicados :-)

Sadeek, és um beijoqueiro nato, ahahahahah.

Angelik, concordo com o teu comentário. Na maioria das vezes é mesmo isso que ocorre.

Beijos a todos

pinxexa disse...

Não me referi a ser complcado por ser díficil de o fazer, acho é que uma área muito sensível para quem estar a ser "analisado".
As vezes não estamos na posse de todas as permissas importantes para uma reflexão acertada e podemos julgar mal. Só por isso...
beijo

Abobrinha disse...

NI

Acho que a resposta mais honesta é: não faço ideia! Não tenho a certeza que valha a pena analisar mais que isso, procurar culpas nem sequer chorar...

Mas eu simplesmente não sei nada destas coisas.

PAULO LONTRO disse...

Neste teu texto fiquei muito baralhado com a frase; O que leva a pessoa a trocar a certeza pela incerteza?
Nas… certeza de quê? O que é que é certo?
Qual o problema da incerteza?
Não estou a criticar, estou a tentar entender o que é que isto tem a ver com o tema.
Quanto ao resto, são dúvidas pertinentes mas os seres são tão complexos e tão singulares que quando se juntam 2 ainda mais complexos são.
Tudo tem que ser visto à lupa, há sempre razões fortes para romper relações, a maioria das vezes os próprios intervenientes têm dificuldade em explicar sendo por isso muito mais difícil entender quando se está a ver “de fora”.

NI disse...

Abobrinha, e eu, para além de nada saber destas coisas, menos entendo o ser humano.

Não sei se já disse isto, mas preciso urgentemente de umas férias valentes.

Paulo, concordo contigo. Quanto à frase, a mesma foi proferida por uma das partes envolvidas.


Beijos aos dois

(In)Questionável disse...

Algumas pessoas trocam a certeza pela incerteza, quando a certeza que têm já não corresponde ao sonho idealizado e construído.

E, para mim, não há que ter medo do novo, principalmente quando o velho não tem arranjo.

Beijo!

NI disse...

Inquestionável, ando a concordar muitas vezes contigo.

:-)

Beijo

Tinta Permanente disse...

As pessoas preferem a novidade ao adquirido e gostam de arriscar.
Não é a felicidade que se busca. É sair do enfado e viver uma excitabilidade, ou uma aventura, como lhe chamas ...
bjs

NI disse...

Tinta, na situação presente é isso mesmo.

:-)

Beijos

Jasmim disse...

A dúvida é se será possível manter acesa a chama da paixão sempre, sempre? E quando essa chama está fraca, apesar de existirem outros sentimentos, há a vontade de experimentar o novo, o arriscado... o pior é se esse novo volta a apagar a chama depois de algum tempo!

Também tento e gostava de compreender. Sim, o ser humano é complexo e à medida que o tempo passa não compreendo melhor. Beijos

superior disse...

regent751
ragout678
rage672
steed5241
road6333

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso