quarta-feira, 30 de Julho de 2008

A Mulher do Signo de Peixes

Imagem:Narwen fotos


Já há bastante tempo que me tinham pedido por mail um texto sobre as mulheres do meu signo.


Por manifesta falta de tempo, coloco um texto que já tem cerca de 3 anos e que foi publicado na revista "Happy Women", pedindo desculpa à Suzy pelo atraso. Um beijo para ti.


E antes que me perguntem, eu respondo: sou exactamente assim (menos a parte de hipnotizar os homens - pelo menos comigo funciona ao contrário -).


"Peixes é o último signo do Zodíaco e como tal reúne características de todos os outros. É um signo muito mutável que se adapta bem a todas as situações. As mulheres Peixes são entusiastas como o Carneiro, pacíficas como o Touro, agem rapidamente como os Gémeos, têm o humor, a simpatia e rabugice do Caranguejo. Ao Leão foram buscar a vontade de se divertir, à Virgem a capacidade organizativa e a bondade, à Balança a justiça. Não são impiedosas como o Escorpião, mas tal como este signo, são muito misteriosas. São generosas como o Sagitário e dedicadas às suas tarefas como o Capricórnio. A sua capacidade analítica foi retirada do Aquário.

Mas não pense que é fácil conhecer na totalidade as nativas deste signo.

Nascidas entre 20 de Fevereiro e 20 de Março, estas mulheres são afáveis, sonhadoras e românticas mas também muito enigmáticas. Embora sejam quase sempre tímidas, gostam de «nadar» contra a corrente e é esse desafio que as torna felizes. Tal como mostra o símbolo deste signo, há Peixes que nadam para cima e outras para baixo e é aqui que se verifica a grande dualidade deste signo. Enquanto as primeiras atingem quase sempre o topo em tudo o que fazem, as segundas nunca alcançam os seus objectivos.

Passam horas a sonhar, a recordar o passado, a prever o futuro, esquecendo-se de viver o presente. Emotivas e sensíveis são muito vulneráveis e não sabem proteger-se dos outros, por isso é comum refugiarem-se no sonho e fecharem-se em si próprias para não sofrerem. São muito intuitivas, mas conseguem ficar indiferentes ao que se passa à sua volta se assim o decidirem. Conhecem o lado desagradável da humanidade, mas preferem continuar a pensar que podem construir uma sociedade melhor. Em algumas situações, essa brandura pode transformar-se em ira e, nesses casos, que se meter à frente delas terá de lidar com o seu sarcasmo e com a sua rara frieza. E não se esqueça que estas mulheres também são mestres da sátira difícil de descortina, o que cria algum desconforto nos seus alvos.

Aceitam bem as dificuldades que lhes surgem pela frente, mas em certas alturas, o desânimo toma conta delas.

Apesar de parecerem pouco resistentes, são mais fortes do que aparentam, porque têm uma força oculta que, caso a descubram, as ajuda nos piores momentos. Têm uma memória gigantesca, mas se são afectadas por um qualquer problema, até do próprio número de telefone se esquecem.

Não gostam de perguntas directas e o «talvez» é a sua resposta mais frequente. Tal como a imaginação, o humor é uma das suas armas. Mesmo quando estão tristes sorriem e as suas gargalhadas podem ser uma máscara para esconder algum desgosto. Não gostam de pregar sermões a ninguém, mas estão sempre prontas a ajudar todos aqueles que necessitam. Não se importam de sacrificar os seus sonhos para auxiliar os mais fracos, a sua família ou amigos.

O dinheiro é pouco importante para as nativas Peixes, só precisam de ter o suficiente para viverem. Poupar não é uma das suas qualidades, mas isso também acontece porque dificilmente recusam um empréstimo a alguém.

As mulheres Peixes nasceram para servir a humanidade e não para acumular riqueza, por isso não gostam de posições de chefia. Só são bem sucedidas nesses cargos quando trabalham no mundo da comunicação, onde se movem à sua vontade e a sua imaginação é valorizada, ou em organizações não governamentais onde actuam em prol dos outros.

Como funcionárias, são infelizes a fazer algo que vá contra a sua integridade, mas quando gostam do que fazem dedicam-se totalmente à sua tarefa. Dão-se bem com toda a gente no local de trabalho.

Este é um signo muito emocional, complexo e dependente. As nativas de Peixes são românticas incuráveis, para elas sexo e amor são indissociáveis. Para uma relação dar certo são capazes de se tornar naquilo que os companheiros esperam delas, mesmo que isso não lhes seja pedido directamente. Muito compreensivas, fazem tudo para o ver feliz, mas quando algo corre mal acabam por ficar deprimidas e sentir-se usadas, por terem dado tanto e recebido tão pouco da relação. Nessas alturas, refugiam-se na ilusão. Quando encontram outra pessoa, voltam a cair com facilidade no mesmo erro.

Curiosamente, nem sempre estão apaixonadas, mas quando alguém precisa delas, sentem-se atraídas vêem nessa pessoa uma possível alma gémea. Raramente se queixam quando os relacionamentos correm mal, preferem esconder a sua desilusão e só terminam uma relação tendo já outra em vista, apesar de não conseguirem desligar totalmente do passado.

Hipnotizam os homens facilmente, devido à sua simpatia. O estar sempre presente e disposta a ouvir também os atrai. Como têm uma intuição muito apurada, esperam que os outros também tenham, por isso detestam que lhes perguntem como se sentem. A pessoa que esta com uma nativa Peixes tem de a entender, sem que ela precise de verbalizar o seu estado de espírito, afinal é assim que ela procede com quem a rodeia. Não precisa de ser muito estimulada, porque o seu maior estímulo é estar apaixonada. Encontra o parceiro ideal nos nativos de Caranguejo e Virgem.

São amigas com quem se pode contar em qualquer momento. São muito compreensivas e assumem como suas as emoções dos outros. Se os amigos choram, elas também o fazem, se riem imitam-nos. Esta sua característica impede que os outros as conheçam realmente e percebam o que estão a sentir na verdade, mas têm sempre uma palavra de conforto para todos. Nunca magoam um amigo, apesar de, por vezes, se afastarem sem razão aparente. Quando reaparecem, agem como se o tempo não tivesse passado e conseguem reatar os laços que os unem. Encontra bons amigos no Touro, Balança e Escorpião."







entre mis recuerdos - luz casal

8 comentários:

O pensador disse...

Nina, mas que surpresa me fizestes hoje!
Mereces uma linda beijoca!!
Além da música do Carlos Bruno, esta música da Luz Casal (Agora passei a saber quem canta) era a segunda música que eu DESESPERAVA por encontrar!
Sinto-me maravilhado!

E...gostei muito do texto. Encontrei nele muitas características que de facto reconheço em ti.
Sim, és assim!
Gostei mais propriamente deste:"Nadar contra a corrente" na procura constante de um desafio...de emoção...
Não fostes das que nadaram para baixo!

E é bom chegar ao fim do texto e ver que encontras bons amigos nos nativos de Balança..

;-)

Bjs

NI disse...

As mulheres de peixes advinham o que os amigos gostam.

Bjs

Cristina disse...

Nizinha... estou capaz de te dar um beijo... este é o meu retrato. Posso "roubar-to"?

Um beijo

NI disse...

Cristina, claro que é o teu retrato e....o meu.

Podes "roubar" à vontade até porque não é meu.

Mas não acredites muito nos signos que vêm mencionados como sendo os pares ideais. Há quem defenda outros.

:-)


Bjs

Djinn disse...

Ni: Esta música é linda :) eu tenho o cd, as outras também são lindas, mas esta é a minha favorita!

ragazza disse...

Olá!!! Sou pisciana. E esse texto tem tudo haver comigo. Por favor deixa eu copiar... ou então me mande por e-mail... (ragazzafiore2006@hotmail.com). Desde já agradeço e parabenizo a vc que colocou esse lindo texto sobre as piscinas. abraços

Denise Vieira Doro disse...

Ni, sou pisciana também e adorei o texto. Encontrei-me em várias descrições. É algo surpreendente e interessante. Agradeço pelo texto que esclareceu-me em vários aspectos, mesmo porque precisamos conhecer um pouco do que influencia nossas ações. Além da educação recebida existe uma interferência do signo. Abraços e visite-me se puderes.
Denise

pink poison disse...

Olha eu... de 27de fevereiro...~
beijo

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso