quinta-feira, 17 de maio de 2012

O que vida me ensinou...




Ou, do que nunca me arrependo...


Dos abraços que dei.

Das palavras que disse com carinho.

Das mensagens silenciosas em trocas cúmplices de olhares.

Do sorriso comprometido.

Das longas conversas sem troca de palavras.

Porque,

"A recordação é o perfume da alma.
É a parte mais delicada e mais suave do coração,
que se desprende para abraçar outro coração
e segui-lo por toda a parte"
George Sand


Só que, a maioria das vezes, optamos por esquecer. Porque queremos esquecer. Porque não sabemos lidar com a perda ou, simplesmente, nos recusamos a aceitar um adeus.

Ou, ainda, surge a tentativa insana de aumentar os defeitos da(o) outra(o) que, então, não eram importantes porque gostávamos dela(e) tal como ela(e) era.

Porque é mais fácil dizer: "ela(e) é que fica a perder"

Do que dizer: "fosga-se, todos os dias sinto a falta dela(e)".


E como estou hoje excessivamente romântica levam com este tema (até faz mal ouvir isto).




4 comentários:

Confuskos disse...

"E como estou hoje excessivamente romântica" --- é o dia 30 que vem aí a correr!! :P

Beijinho*

Petra disse...

Sem dúvida, as recordações boas são o perfume da alma... nem mais querida.

Utena disse...

Concordo.
É mais fácil lembrar o mal

Orquídea Selvagem disse...

Nunca tive muita pachorra para excessos de romantismo... mas de vez em quando lá surge a excepção que confirma a regra.

Mas também nunca me arrependi de tudo o que dei... sem pedir nada em troca. A recompensa está sempre à nossa espera ao virar da esquina.

Soube bem recordar Rod Stewart... e soube bem apreciar a nova decoração do teu espaço. (não adoro só orquídeas... também adoro tulipas!)

Beijinhos floridos :)

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso