terça-feira, 8 de maio de 2012

Fazer amor após 25 anos de casados é obrigação ou prazer?




No local onde trabalho existe um pequeno jardim interior. Como sou das primeiras a chegar à empresa , gosto de estar sozinha nesse jardim a tomar o meu café e a fumar o meu cigarro.

Ora, estava eu a apreciar meu momento "zen" quando o espaço é invadido por três colegas. Uma delas, sabendo que estou prestes a fazer 25 anos de casada sai-se com esta pergunta: "Confessa lá, ao fim de 25 anos fazer sexo com a mesma pessoa é mais uma obrigação do que prazer, não é"?

Ora muito bem, ela já me conhece há tempo suficiente para saber que nunca me devem colocar questões, ainda por cima desta natureza, antes de eu tomar no mínimo  dois cafés e repor as doses de nicotina. Por breves segundos fiquei indecisa sobre se ela merecia resposta ou não mas não me contive e respondi dizendo que nunca encarei o sexo como uma obrigação e tinha pena de quem o encarasse dessa forma porque devia ser uma pessoa que não conhecia o verdadeiro prazer.

Escusado será dizer que ela não gostou nada da resposta.


*

12 comentários:

S* disse...

Toma e embrulha. Grande NI. :)

Tinta Permanente disse...

Grande tirada !

Confuskos disse...

As desculpas que tu arranjas para justificar o teu Mau Feitio!!! Credo!!!

Agora que já tomaste 3 cafés, confessa lá... fala verdade!

Eu infelizmente nem 25 meses com a mesma pessoa, sou um vadio solitário, mas também tenho essa curiosidade e tu de facto deste uma daquelas respostas em que uma menina tira a "pilinha para fora e mostra que é maior do que a da outra!! Só faltou tirares-lhe a língua de fora no fim....

Tendo a crer que a condição humana pede uma reflexão muito mais acentuada que isso, mas tal como disse, é um assunto no qual não vou, não posso, nem consigo sequer dar o meu contributo! :)

Beijinho*

someotrainbow disse...

25 anos... quero tanto chegar lá. Quanto ao resto, a Ni fez-me rir! Gosto de a ler!

Orquídea Selvagem disse...

Bom dia Ni.

Ainda me faltam 4 anos para atingir esse número redondinho mas posso desde já atestar que quem tem sexo com o seu parceiro "por obrigação" é porque não gosta ou não tem prazer com o acto sexual.
Eu até prefiro dizer "fazer amor"... porque muita gente faz sexo... mas nem todos fazem amor. (o que era suposto acontecer quando dois seres que se amam se encontram carnalmente, dando significado verdadeiro à palavra união).

Acho que é natural que todos os casais passem por umas fases melhores e outras piores durante a sua relação, e isso manifesta-se também na cama. Pode haver fases em que as mulheres se encontram psicológica ou mesmo hormonal e fisicamente menos predispostas para o sexo... (desconheço que esse tipo de fases se manifestem no sexo masculino) mas cabe ao casal ultrapassar através do diálogo essas fases menos boas.
E depois Ni, nós sabemos que com o passar dos anos o sexo num casal pode mesmo melhorar, pois a maturidade não traz apenas rugas, cabelos brancos e dores na articulações!!

:)

Beijinhos sem nicotina e sem cafeína! :)

Eu Mesma! disse...

Ui...
conheço alguem tb que antes da nicotina e da cafeína não é a pessoa mais agradável do mundo :)

Malena disse...

Absolutamente de acordo! Sexo é prazer! Obrigação? Essas senhoras vivem em que século? Com que homens?

abspinola disse...

Grande Resposta...
Não vejo obrigação, sim prazer !

Bjsto

desejo disse...

Fazer amor com o mesmo parceiro por obrigação? Não.
Boa resposta.

:)

A Minha Essência disse...

O recalcamento é tramado, livra!
Há pessoas que se tentam aproveitar de qualquer oportunidade para destilar os seus venenos.
Notei que estás imune a isso, e bem!

Desde quando que, duração é sinónimo de obrigação?!

Kiss

Petra disse...

Ohhh NI estive contigo pouco tempo mas uma coisinha eu percebi mulher! Tu és feliz! Essa tua colega deve ser um bocado mal amada digo eu..... beijo

Utena disse...

Temos pena... quem pergunta o que quer ouve o que não quer!
Aguente-se

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso