terça-feira, 30 de novembro de 2010

A frase mais romântica?




Eis outra questão que me colocaram.

Não sei se será a frase mais romântica mas é, certamente, a frase que se aproxima daquilo que eu entendo como o verdadeiro amor. Aquele sentimento que não se consegue justificar nem encontrar uma definição porque vai para lá do que a razão consegue explicar.

O seu autor? William Shakespeare.


"A verdade é que não te amo com os meus olhos
 que veêm em ti mil defeitos;
Mas com o meu coração que ama
 o que os olhos desprezam."



E vocês? Têm alguma frase que considerem romântica?




...



Bastaria fazer post´s em resposta aos mail´s que me enviam para nunca existir o problema de falta de inspiração.

É que nem imaginam as questões que me colocam...

Mas, de quando em vez, lá vou respondendo a uma ou outra em forma de post.

Ontem o M.T perguntava-me que música é que eu escolheria para dançar se estivesse sozinha em casa.

Ora aí está uma situação que ultimamente é recorrente. Como costumo dizer, "marido fora, filhas fora e mãe em relax". E devo confessar que não seria a primeira, nem será certamente a última vez, que eu chego a casa, coloco a música que vai indicada em baixo e me ponho a dançar.

Não me perguntem porquê mas sempre me deu um enorme prazer dançar esta música. Uma coisa é certa, qualquer indício de stress desaparece...


Faz hoje 75 anos...

"Se depois de eu morrer,

quiserem escrever a minha biografia,

Não há nada mais simples.

Tem só duas datas

- a da minha nascença e a da minha morte.

Entre uma e outra todos os dias são meus."



Faz hoje 75 anos que desapareceu Fernando Pessoa.

Felizmente deixou-nos uma obra...


Não se acostume com o que não o faz feliz,
 revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças,
mas não deixe que ele se afogue nelas.

Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!

Fernando Pessoa
 

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

"Hoje não me apetece" - Sucedâneo masculino para "estou com dores de cabeça"...



Já era tempo de existir um estudo que comprovasse que não são só as mulheres a "inventarem" desculpas para não quererem sexo.

Pelos vistos, a desculpa mais utilizada pelos homens é "já vou" ?!?!?!?!

"Na versão masculina, o "já vou" é a solução mais à mão e António conhece-a: "Simplesmente não me deito logo, leio ou trabalho em qualquer coisa...uma sondagem do Instituto de Opinião Pública francês, com mais de mil adultos, revelou outra versão da verdade sobre os casais gauleses: um em cada seis homens ... usou desculpas para não picar o ponto." (ver notícia aqui)

Aqui chegados:

Minhas queridas amigas, a partir de hoje é de suspeitar sempre que o homem vos diga "já vou", pois com toda a certeza ele nunca vai chegar. Já o "não me apetece" é, por si só, eloquente.

Ou será que os meninos que param nesta sala de estar têm umas desculpas mais bem elaboradas?

-2º


Foi a temperatura que me recebeu quando abri às 7.30 horas a porta de minha casa.

Meu querido S. Pedro, sei que o Verão já era e que o Outono está a dar as últimas.

Também não é menos verdade que eu não sou muito friorenta.

Mas tens que admitir que o meu lindo corpinho já não está para estas andanças de temperatura.

Mais a mais, se eu gostasse de frio tinha ido para a Sibéria ou, quiçá, para a Lapónia ...




domingo, 28 de novembro de 2010

E depois do "Maria Papoila"...

O filme "Nazaré".

É um dos filmes portugueses menos conhecidos mas que retrata a vida difícil dos pescadores e a angústia das mulheres enquanto aguardam sentadas que o último homem coloque o pé em terra firme...

Os diálogos são de Alves Redol, autor de "Gaibéus".




O que faz uma quarentona que está sozinha num domingo?

Faz o pinheiro de Natal enquanto vê a "Maria Papoila".

Estou mesmo a precisar de férias...




sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Como...

é que se consola uma jovem de 13 anos que chega a casa e vê o seu animal de estimação a morrer?

A minha filhota mais nova tinha um gato que ia com ela para todo o lado. À noite, dormia aos pés da cama dela.

Hoje, ao chegarmos a casa, o gato lembrou-se de atravessar a rampa no preciso momento em que o meu marido estacionava o carro para nos deixar em casa antes de ir para as aulas. 

Sinceramente não sei quem ficou pior...

Eu cá vou ver aquela imagem horrível durante muito tempo...

:(

De fazer inveja à Popota...


 
Desde Março que, salvo uma outra excepção, almoço sozinha. Para me fazer companhia tenho, claro está, o meu I-Pod.

Pelos vistos hoje esqueci-me do lugar onde estava e, segundo consta, fiz da cadeira uma pista de dança.

Posso garantir que a culpa não foi minha, foi de um tal David Bisbal., com esta música...

Pensamento para o fim-de-semana



Amor e desejo são coisas diferentes.
Nem tudo o que se ama se deseja
e nem tudo o que se deseja se ama

Miguel Cervantes 


Tenham um grande fim-de-semana.

Acima de tudo, tirem parte do vosso tempo para dar afectos. Quem sabe, estejam a ajudar alguém a ultrapassar uma tristeza.
 
Se conseguirem arrancar um sorriso a alguém, já se entregaram de alguma forma.
 
 
 
 

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Tomem nota...


Quando no vosso emprego vos disserem que vão mudar de serviço logo que chegue a ordem de serviço, não se precipitem a empacotar as vossas coisas.

É que a ordem de serviço pode demorar e depois é o bom e bonito...

Há duas semanas que aguardo a "guia de marcha" e desde essa altura que tenho tudo empacotado.

Imaginem o trabalho quando preciso de algum processo para trabalhar.

Já agora, falta muito tempo para o ano acabar? É que estou farta de 2010.

Eu sei que o ano que vem aí é bem capaz de ser pior mas há sempre a esperança que possa ser melhor que este.

E, apesar de eu saber que nesta sala de estar costumam estar refastelados alguns amigos de caminhada que não gostam do Natal, a verdade é que eu estou a precisar de algum espírito natalício para ver se animo. E nada melhor que a música.

E nos tempos de crise a letra até que é apropriada. Vamos lá viajar até ao ano de 1984 e ver se conseguem identificar quem aparece. A maioria continua a cantar e a vender mihões...





Como é que eu passo de caixotes para espírito natalício é que eu gostava de saber. Devo estar mesmo mal...

Eu só sei...


Que faz um frio desgraçado e que só me apetecia estar enroladinha numa manta bem macia, em frente à lareira (o que neste momento não dá muito jeito porque já fiz lá o presépio), a beber uma bela chávena de café e a ouvir música bem calma, como esta:




Mas como tal não é possível, resta-me ligar o aquecedor no gabinete e tentar terminar um relatório que já vai na sua 32ª página...


quarta-feira, 24 de novembro de 2010

As mulheres e as batatas...





O P. que tem um sentido de humor negro, decidiu alegrar-me o dia e enviar-me um mail com uma provocação.

Começando por dizer que estava descansado porque eu não teria coragem de fazer um post sobre o assunto (vê-se logo que não me conheces), e tendo o cuidado de realçar que apenas queria que eu desse uma boa gargalhada (aí sim, conseguiste o teu objectivo), mandou-me a seguinte "pérola":

"As mulheres são como as batatas:

As novas... só DESCASCADAS!

As velhas... só a MURRO!"


Meu querido P., e aqui fala a experiência que a velhice me proporciona, as batatas a murro, quando bem confeccionadas, são bem mais saborosas. Aproveita-se tudo.

Afinal, tudo reside na arte e engenho de quem cozinha as batatas.


PS - Já agora, se tiveres mais pérolas destas podes enviar. Estou a precisar de dar uma boa gargalhada.
 

Fiquem com um velhinho tema da Senhora Diana Ross na voz de Beyoncé, para agradar a novas e velhas...
 
 




Em dia de greve...

E com metade do pessoal a trabalhar, aqui fica um conselho para enfrentar a crise:


Antes de consultar o capricho consulta a carteira.

Benjamin Franklin

 
Nota - E pensar que parte do dinheiro que o Estado pensa em poupar com a redução dos salários vai-se perder com apenas um dia de greve...
 
A Europa está bonita, está...
 
 
 
 

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Entender...



"Suponho que entender-me não é uma questão de inteligência
 mas, isso sim, de sentir, de entrar em contato...
Ou toca, ou não toca."
Clarice Lispector
 
Hoje tive oportunidade de almoçar com aquela que é minha amiga há mais de 20 anos.
 
É daquelas pessoas que às 3 horas da manhã se mete dentro do carro e faz dezenas de quilómetros quando sabe que a amiga deu entrada no hospital.
 
É daquelas pessoas que chega junto de uma amiga e lhe diz umas boas verdades doa o que doer.
 
É daquelas pessoas que é capaz de estar numa tarde de sábado junto ao mar, encostada a uma amiga durante duas horas e onde o único som que se ouve é o bater suave das ondas na areia deslizante.
 
É daquelas pessoas que não se aproveita das fraquezas dos outros mas ajuda a transformar as fraquezas em forças.
 
Será uma das três pessoas que me conhece bem. Pertence àquele número restrito de pessoas que lê nos meus olhos. Que consegue entender e partilhar os meus silêncios.


Apesar de trabalharmos na mesma empresa, os nossos locais de trabalho são distantes pelo que praticamente só nos vimos quando ela tem alguma reunião na "casa-mãe" ou quando nos encontrámos num fim-de-semana. 

Curioso foi o diálogo que se iniciou já no final do almoço, quando ela se virou para mim e disse:
 
-  "Ni, és impossível. Conheço-te há mais de vinte anos. Estive todo o almoço a olhar para ti para saber o que se passa e ainda não consegui descobrir. Apenas sei que precisas de falar porque os teus olhos não brilham. Mas essa tua característica de conseguires ir para um mundo só teu, onde ninguém te descobre, é absolutamente irritante. Não existe ninguém que te consiga conhecer. A tua sorte é que te adoro".  
 
Respondi com um sorriso.
 
Sei que sou assim. Mas, o que eu não lhe disse é que para ela saber essa minha característica, entende-me muito bem...



 

Adenda...



A todos,

Ainda não entendi a relutância que as pessoas têm em falar da morte.

Ao contrário do que se possa pensar, falar da morte pode ajudar algumas pessoas a valorizar a vida.

É que, sinceramente, anda muito boa gente a perder tempo com coisas inúteis, com discussões fúteis, com afectos desgarrados.

Estão vivos e com uma saúde que vos permita viver com o mínimo de dignidade? Óptimo. Nem sabem a sorte que têem.

Têm amigos que se preocupam convosco? Que de quando em vez vos ligam só para ouvir a vossa voz? Preservem. É o tesouro escondido no arco-íris da vida.


Então aproveitem . Não desperdicem tempo.


Acima de tudo não deixem de dar afecto a quem vos é importante. Entreguem-se sem reservas. Os pequenos instantes de felicidade ocorrem quando nos entregámos.


Amanhã pode ser tarde...

...

Obrigado JP.

É bom saber que se preocupam connosco.

:)

Morrer...


Não é que eu tenha medo de morrer.
É que eu não quero estar lá na hora que isso acontecer.

Woody Allen

 
Tu e mais 99% da população.
 
Mas eu diria: Não tenho medo de morrer, só não quero é sofrer.
 
Mas enquanto a nossa hora não chega, tentemos caminhar nesta vida, aproveitando-a da melhor forma.
 
 "Walk of life", dos Dire Straits
 
 
 

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Porque hoje estou com o "tau"...



Depois de uma noite de insónias e após ter estado quase duas horas numa fila de trânsito...

É preferível ouvir música bem alto, fazer de conta que estou sozinha numa pista de dança a dançar e a cantar que nem uma louca e não falar nas próximas horas!

Fosga-se...

E a letra da música é bem apropriada.




domingo, 21 de novembro de 2010

E não é que não que ir embora?




Há mais de duas semanas que dentro do meu rico corpinho deve estar a ocorrer uma autêntica batalha.


E tudo indica que a indústria farmacêutica está a perder com "uma pinta desgraçada".



sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Sexo Ocasional...

Para quem tenha dúvidas sobre o tema.

Até há quem chore!!!




Dia Internacional do Homem...




Pois é...talvez alguns dos meninos desconheçam que também têm o seu dia e desde 1999 graças a Jerome Teelucksingh que na sua cruzada por ver o sexo masculino a ter o seu dia foi apoiado pelas Nações Unidas e por grupos de defesa dos direitos masculinos da Europa, América do Norte, África e Ásia.


Nas minhas "viagens virtuais" consegui descobrir que "...segundo a Mens Activism News Network (Rede de Notícias Activistas Masculinas), o Dia Internacional do Homem está directamente ligado com o "Movember", um evento mundial realizado todos os anos, exactamente em Novembro, no qual os homens deixam crescer a barba, para alertar a sociedade para os problemas de saúde masculinos, como por exemplo o cancro da próstata, entre outros problemas silenciosos de saúde, que eles teimam em negar."

Portanto, meus amigos do sexo masculino, não precisavam de estar com ciúmes bacocos pois também já têm o vosso dia.

E, acrescento eu, ainda bem. Ou não fossem vocês o verdadeiro sexo fraco.

Mas, sabem que mais, passem um grande dia, não façam hoje a barba e "let it be"...



 


quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Os loucos anos 70/80



Voltámos aos "monos".
  
Hoje vamos fazer uma pequena viagem aos filmes e música que fizeram furor naquela altura.


A música dos Abba regressaram em força em 2009, mas naquele tempo estava sempre no top...





 E dos Bee Gees, nem se fala. Se não tenho todos os álbuns editados em Portugal, não ando longe...




  

E foram grandes responsáveis pelo sucesso do filme que se segue e do nascimento da nova estrela: John Travolta





E quem não viu
estes dois filmes?

Eu não vi o filme mas li o livro Christiane F. que, na altura, foi uma autêntica "pedrada no charco"



Só vi este filme quando me casei. Mas recordo-me de ter estado meses com lotação esgotada quando foi autorizada a comercialização deste filme no nosso País. O último tango em Paris, era como se chamava.




E fiquem com um dos temas que mais gosto dos Abba e que talvez seja a menos conhecida.





O prazer é...






O prazer mais delicado é o de dar prazer a alguém.

Jean de La Bruyère



quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Portugal/Espanha




Há que tempos não via a nossa selecção de futebol jogar desta maneira...

Grande jogo!



Já vos disse...



Que detesto "ter nas mãos" o destino de uma pessoa?

Não é nada fácil.


Estive todo o dia a tentar encontrar uma forma de evitar uma pena pesada.

Mas o "dito cujo" também não ajudou...

terça-feira, 16 de novembro de 2010

...

"A Melhor Prova duma Real Amizade

A melhor prova duma real amizade está em evitar os compromissos entre aqueles que se estimam. Ainda que devendo muito aos que muito me louvam, eu não quero ser-lhes obrigada pela gratidão. Mas sim grata porque estou com eles, devido a circunstâncias que a todos nós agradam e são um laço mais entre nós, sem constituírem um dever. Eu pretendo dizer da amizade o que Diógenes dizia do dinheiro: que ele o reavia dos seus amigos, e não que o pedia. Pois aquilo que os outros têm pelo sentimento comum não se pede, é património comum. Neste caso, a amizade. "

Agustina Bessa-Luís, in 'Dicionário Imperfeito'


Hoje alguém me perguntou porque razão tinha terminado com uma amizade.

Esta questão fez-me voltar ao passado.

É que, há situações na nossa infância que indelevelmente nos marcam para o futuro.

Independentemente da nossa personalidade, a aculturação acaba por condicionar a nossa forma de estar, de viver e de sentir o mundo que nos rodeia.

E nos últimos dias tem vindo à minha memória uma situação que ocorreu quando tinha quatro anos.

Estava a brincar com uma das minhas irmãs no pátio da minha casa. Era uma manhã de Verão...

Como habitualmente, por volta das 10 horas da manhã, a leiteira aproximou-se do portão e exclamou: "- Oh de casa, é o leite fresquinho".

Enquanto ficou à espera que a minha mãe descesse as escadas com um fervedor onde colocava o leite, a leiteira virou-se para a minha irmã e perguntou se ela queria ia brincar para casa dela, ao que ela respondeu que sim. Impulsivamente, perguntei se também podia ir. A leiteira olhou para mim e disse: "- Não que tu és feia".

Recordo-me perfeitamente que na altura não fiquei magoada pelo facto de ela ter dito que eu era feia. Fiquei magoada pela rejeição. Naquela altura prometi a mim própria nunca mais me auto-convidar fosse para o que fosse e afastar-me quando sentisse que estava a mais.


Quando alguém que julgamos ser nosso(a) amigo(a) nos fala em sentimento de "dever" ou de "sacrifício", algo está mal. Na amizade não há "dever", nem "sacrifício". Há partilha de emoções, de afectos, de alegrias e tristezas. De risos e de lágrimas.  

Porque acabou a amizade? Porque até hoje tenho tentado cumprir a promessa feita com quatro anos de idade...
 
 



segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Ser elegante é...



Paul Valéry escreveu:

"Elegância é a arte de não se fazer notar,
aliada ao cuidado subtil de se deixar distinguir."


Apesar de não discordar com este pensamento do Paul Valéry, confesso gostar mais de um texto que descobri nas minhas "viagens virtuais".

O autor é desconhecido mas deixo-vos um pequeno excerto:

"Existe uma coisa difícil de ser ensinada e que, talvez por isso, esteja cada vez mais rara: a elegância do comportamento. 

É um dom que vai muito além do uso correto dos talheres e que abrange bem mais do que dizer um simples obrigado diante de uma gentileza.

É a elegância que nos acompanha da primeira hora da manhã até a hora de dormir e que se manifesta nas situações mais prosaicas, quando não há festa alguma nem fotógrafos por perto. É uma elegância desobrigada.

É possível detectá-la nas pessoas que elogiam mais do que criticam. Nas pessoas que escutam mais do que falam. E quando falam, passam longe da fofoca, das pequenas maldades ampliadas no boca a boca.

É possível detectá-la nas pessoas que não usam um tom superior de voz ao se dirigir a subalternos.

Nas pessoas que evitam assuntos constrangedores porque não sentem prazer em humilhar os outros.

É possível detectá-la em pessoas pontuais.

Elegante é quem demonstra interesse por assuntos que desconhece, é quem presenteia fora das datas festivas, é quem cumpre o que promete.

É elegante você fazer algo por alguém, e este alguém jamais saber o que você teve que se arrebentar para o fazer...

É elegante não mudar seu estilo apenas para se adaptar ao outro.

É elegante retribuir carinho e solidariedade.

É elegante o silêncio, diante de uma rejeição....

É elegante a gentileza... atitudes gentis falam mais que mil imagens...

Olhar nos olhos ao conversar, é essencialmente elegante.

Pode-se tentar capturar esta delicadeza natural pela observação, mas tentar imitá-la é improdutivo... "

Deste modo, eu diria: Mais importante de se estar elegante (numa ocasião ou num local), é ser elegante por natureza e educação.

Mas esta é a minha opinião...


A música de hoje é uma forma de protesto quanto ao raio da constipação que não me larga há duas semanas...




sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Recordações...


Desde o início de Outubro que as noites de segunda a sexta são passadas a "solo".

Estar só umas quantas horas é uma experiência diferente daquela a que estava habituada. Nunca tive tanto tempo só para mim.

Mas também não sou pessoa para estar sem fazer nenhum, enroscada numa manta a ver televisão (se bem que da maneira como hoje estou devia era estar na cama).

Vai daí tenho passado o tempo a catalogar a minha biblioteca.
Mas, depois deste trabalho, já tenho outro programado: fazer um álbum para cada uma das minhas filhas com a história delas desde que estiveram na minha "barrigona", até à altura em que entraram na "idade do armário".

Porque mais tarde gostarão de recordar...



Pensamento para o fim-de-semana

Aquilo que está escrito no coração não

necessita de agendas porque a gente não esquece.

O que a memória ama fica eterno.

Rubem Alves
 
 
Um bom fim-de-semana para todos.
 





quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Os loucos anos 80...


Perguntaram-me, via e-mail, qual a música que eu mais gostava de dançar nos longínquos anos 80.

Já afirmei muitas vezes que para mim é quase impossível eleger uma música.

Mas quando estive no passado mês em Tróia dei por mim a pedir ao DJ de serviço que colocasse uma música que associo aos loucos anos 80 e que me levavam a correr para a pista de dança logo nos primeiros acordes. A irreverência, o prazer, a loucura dos anos 80 estão presentes nesta música.

É um tema do álbum "American Fool" de John Cougar Mellencamp editado em 1982.

O tema? É o que se segue.  



terça-feira, 9 de novembro de 2010

If you give up...


Quantos de vós, em alguma altura da vida, se terão identificado com a letra desta música?


If you don't wanna wait

You left me inside out

It's too hard for me

There's no easy way out

You don't know and don't ask how

That i'm gonna make it work again

You don't know and don't ask why

That i'm gonna make it once again
 
If you give up now, whos gonna loose

Which one of us, is given up now of being free

And if you give up now, whos gonna loose

Which one of us, is given up now of being free
Distance from between us

That we can't shake out

It's cristal clear

But it ain't gonna last

You don't know and don't ask why

That i'm trying to make it work

I'm trying to make it work
 
Just look around and see

Who you really need

Who you really want
 
Just look around and see

If you give up you won't be free

You won't be free yeah yeah





Os Hands On Approach estiveram em Espinho a receber um dos prémios "Ernesto". A 1ª edição desta iniciativa da RFM foi um sucesso.



 

Espera 2...



Não gosto de esperar.

Tenho paciência para muita coisa mas não para esperar.

Muito menos para esperar por aquilo que não sei se virá.

A espera cansa.

Esperar por aquele telefonema que não acontece.

Esperar por aquela conversa eternamente adiada.

Esperar que sintam falta da nossa gargalhada, do sorriso do nosso olhar.

Esperar que nos peçam o calor da nossa companhia, dos nossos afectos...

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Espera...




Quando se ama alguém, tem-se sempre tempo para essa pessoa. E se ela não vem ter conosco, nós esperamos. O verbo esperar torna-se tão imperativo como o verbo respirar. A vida transforma-se numa estação de comboios e o vento anuncia-nos a chegada antes do alcance do olhar. O amor na espera ensina-nos a ver o futuro, a desejá-lo, a organizar tudo para que ele seja possível. É mais fácil esperar do que desistir. É mais fácil desejar do que esquecer. É mais fácil sonhar do que perder. E para quem vive a sonhar, é muito mais fácil viver.

in Diário da tua Ausência, Margarida Rebelo Pinto



Se estavam à espera que eu falasse do "meu" FCP e dos 5-0 de ontem (ai Jesus...), desenganem-se.

Não vou falar.

Se  estavam à espera que eu falasse das mudanças (sim, ainda continuo a empacotar enquanto aguardo a "guia de marcha"), podem esperar sentados.

Hoje não me apetece.

Se estavam à espera que eu falasse de afectos e afins, daqui não levam nada (pelo menos enquanto não conseguir definir o que se passa na cabeça de algumas pessoas).

E pode demorar.

Se estavam à espera de ler qualquer coisa de astrologia, é melhor colocarem os pés bem assentes no chão. É que da forma como os astros andam, os astrólogos iluminados não conseguem chegar a um consenso.

Mais vale ler a previsão que vos eleve a moral.

Se estavam à espera que a minha inspiração regressasse, fiquem a saber que eu também estava à espera...




sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Quando se aproxima a hora da despedida...


"Quando há medo de ir embora, é porque vale a pena ficar... 
Quando não temos medo da despedida, 
é porque já fomos embora com o corpo presente..."
Vinicius Queiroz


Sei que vou ter saudades mas, neste momento, não tenho medo.

E não tenho medo porque tenho o direito a manter vivos os meus sonhos (não confundir com ilusões). Mas, acima de tudo, porque, apesar de todas as provas que vida me tem dado, continuo a acreditar no ser humano. E se não saísse não podia ser "eu".

Quero poder rir porque estou bem e não porque tenho que demonstrar que estou.

Quero poder fazer algo de que goste e não tentar esconder que não me afecta ver aquilo que eu gosto a ser feito por outras pessoas.
Quero poder dizer que me "deitaram ao chão" mas que me levantei sozinha e mais forte.

Esconder a cabeça na areia e nada fazer seria bem mais cómodo. Mas eu nunca fui comodista.

Mas que me dava um "jeito desgraçado" ter alguém que me ajudasse a empacotar e a levar as coisas para o novo gabinete, ai isso é verdade...

A minha vontade é telefonar a alguém para me vir fazer esse "trabalhinho", enquanto fico sentadinha a beber uma caipirinha e a ouvir este menino a dizer "Hold On"(isto é o exemplo de um sonho a raiar a ilusão), e quem me conhece sabe que eu e as caipirinhas...  
 .

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso