sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Será insegurança?


"Ser humilde com os superiores é obrigação,

com os colegas é cortesia,

com os inferiores é nobreza"
Benjamin Franklin


Todos nós conhecemos pessoas que só se conseguem impor pela prepotência e com aquele ar de quem são mais importantes do que os outros...

Pessoas que não perdem uma oportunidade para exclamar "alto e a bom som" que são os melhores da "cantareira".

Pessoas que pensam que o mundo gira à volta dos seus egos.

Fico sempre a pensar que na base de tais atitudes coexiste uma enorme insegurança...



8 comentários:

Rui da Bica disse...

Quando fiz o meu "serviço militar obrigatório" (como "oficial") tinha um "camarada" que se distinguia de todos "nós" pela sua prepotência, autoritarismo e até certas atitudes sádicas.
Viemos a saber a razão: a sua infância, cheia de situações idênticas, por que ele próprio tinha passado ...
.

najla disse...

Ni, acho que muitas pessoas para além da insegurança e medo, também são mesmo más, prepotentes e maquiavélicos! E apesar do Rui mencionar a infancia, para mim isso não é desculpa. A pior das minhas colegas para com todos é uma psicóloga! Não conhece limites, fronteiras de bom senso, não sabe o que é ética profissional e consegue enredar nas suas teias de mesquenhices tudo e todos. Pior, todos sabemos....ninguem está a ser enganado mas até hoje não houve ninguem que a confrontasse. E porquê? Nem nós sabemos bem...

NI disse...

Rui, a infância pode ser uma das causas mas não será certamente a única.

NI disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
NI disse...

najla, este ano pude constatar que existem pessoas más.

Curiosamente, esse tipo de pessoas podem não manifestar uma atitude claramente prepotente. O método que utilizam é bem mais perigoso. Aproximam-se, fazem-se muito solícitos e vão tecendo uma teia gigantesca de "diz-se que disse", de criticar pelas costas e lançar um sorriso radiante pela frente. De uma maneira geral, por onde passam, esse tipo de pessoas criam problemas. Viram pessoas contra pessoas e parece que só se realizam quando criam um conflito.

Certo dia aquela que foi a minha maior amiga até hoje afirmou que "cá se fazem, cá se pagam". Nunca acreditei nesta máxima. Hoje muito menos. É que o tipo de pessoas que actuam desta forma conseguem sair sempre das situações de forma airosa e o mais engraçado, que não tem piada nenhuma, é que quem tem a coragem de as enfrentar fica sempre a perder.

najla disse...

Ora nem mais! Afinal, e infelizmente, as nossas vivencias laborais são muito parecidas...

Francisco o Pensador disse...

Nina, acho que essas ditas pessoas são apenas bem-sucedidas quando encontram alguém que seja impressionável ou influenciável perante o teatro deles.

A indiferença e o desprezo são sempre as respostas mais adequadas para essas situações.

Tu ainda ficastes a pensar o que estará na base de tais atitudes, eu cá já não me daria a esse trabalho.
As pessoas só tem o valor que nós lhe damos, ainda te lembras disso?

:)

NI disse...

Francisco, olha que não será bem assim. Esse tipo de pessoas, quando conseguem o que querem, ficam sempre por cima.

A indiferença e o desprezo continuam a ser respostas adequadas mas não quer dizer que seja fácil.

:)

Beijo

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso