quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Cara-metade ou simples quimera?




A ausência de inspiração é uma realidade.

Portanto, aqui fica a repetição de um post de 2008. Neste caso é um inquérito. Quem é o primeiro a responder?



Norman Brown afirmou que toda a história do homem é um esforço para destruir a sua própria solidão.

Concordo com esta ideia.

Restringindo o sentido da frase às relações interpessoais eu diria que toda a história do ser humano é um esforço para encontrar “aquele(a)”.

Nessa busca incessante há aqueles que pensam ter encontrado na primeira tentativa.

Geralmente chegam à conclusão que afinal não era o(a) tal mas desistem de procurar.

Outros, pelo contrário, passam uma vida de opção em opção sem nunca encontrarem, mas sem nunca perderem a esperança de vir a encontrar.

Mas, pergunto: será que existe mesmo “aquele(a)”. Ou estaremos perante uma quimera que nos vai alimentando os sonhos?

Será que, para cada um de nós, existe algures o ser que nos completa?

Será que esta procura incessante é a responsável pelas nossas desilusões?

Será que esta procura incessante é a responsável por muitas vezes acabarmos sós?

Valerá a pena desistir de procurar?



2 comentários:

só 1 mulher disse...

Ainda que não existam pessoas perfeitas.. ainda que muitas vezes nós achemos que merecemos sempre mais e mais... há sempre um alguém que procura outro alguém...

1 beijinho

Miguel disse...

Eu já não acredito.

Não sei se desisti... mas não acredito. Logo se vê!

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso