sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Das relações inexplicáveis...

 
 
Nunca parei para pensar porque sou assim. Talvez porque seja algo inato em mim. Apenas sei que desde que me conheço tenho por hábito associar uma música a um acontecimento na minha vida. E nem é preciso que seja um acontecimento importante.
 
A tentativa de controlar esta minha faceta é quase sempre frustrada. E talvez seja a principal razão pela qual fazia parte do meu percurso como ser humano trabalhar em rádio. Quando me perguntam qual o maior erro da minha vida respondo, sem qualquer dúvida, que foi deixar a rádio de uma forma definitiva.
 
Foi uma altura em que tinha que decidir. Ou prosseguia o meu sonho de menina, ou continuava na rádio. Optei por prosseguir o meu sonho de menina mas o "bichinho" vai-me acompanhar até ao meu último suspiro.
 
Mas, voltando ao tema principal deste "desabafo", a verdade é que bastam os pequenos acordes para me transportar àquele espaço, àquele tempo, àquele facto, àquela pessoa. E dou por mim ora a sorrir ora a deixar que as lágrimas corram livremente.
 
Ouvi a música que se segue pela primeira vez com os "Police". Mas é esta a versão que mais gosto. É daquelas músicas...perfeitas...
 
Onde me leva a música? A uma noite perfeita...há poucos anos atrás...
 



8 comentários:

Prof. Ms. João Paulo de Oliveira disse...

Prezada confrade Ni.
Já que brindaste os ninetes com uma enternecedora reminiscência, tomo a liberdade externar uma música que sempre que ouço fico saudoso e a suspirar, porque lembro de um fato, que deixou marcas indeléveis na minha insulsa existência, ocorrido na minha já distante adolescência, no ano de 1967, quando eu era apaixonado por fulana, mas namorava sicrana, que era irmã da fulana...
https://www.youtube.com/watch?v=nD4ib9-laGY
Max...
A Poderosa deusa Afrodite sabe desta minha predileção.
Caloroso abraço. Saudações saudosas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.


NI disse...

Prof. João Paulo,

Os meus pais recebiam todos os fins-de-semana um grupo que amigos. Depois de uma bela jantarada, era a vez da dança. O meu pai ensinou-se a dançar ao som da Vicky Leandros, Demis Roussos, Joe Dassin, Dalida, Gianni Morandi...enfim... surgem-me logo dezenas de nomes.

:)

Um abraço

Prof. Ms. João Paulo de Oliveira disse...

Cara confrade Ni.
Meu filho primogênito e eu somos fãs de carteirinha da saudosa cantora Dalida.
Para avivar tua memória - do tempo que eras petiz - envio-te esta duas canções dalidanetes:
https://www.youtube.com/watch?v=_ifJapuqYiU
https://www.youtube.com/watch?v=DEh8NWJornk
Por Chronos como o tempo passa...
Max...
Caloroso abraço. Saudações memorialistas.
Até breve...
João Paulo de Olieira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

AFRODITE disse...


Estes teus momentos de desabafo são sempre preciosos!

Eu também associo músicas a pessoas, a lugares, a cheiros... a momentos específicos que vivi... e também o contrário, claro.
Mas é mais frequente serem as músicas a despoletar-me memórias do que o contrário.
Essa característica não é exclusiva tua, claro... mas ela será certamente mais vincada em pessoas como tu (e como eu) que vivem a música muito intensamente.

Esta versão é fabulosa... mas claro que com a versão original acontece "aquela coisa" mágica mal soam as primeiras 8 notas: abre-se a caixa das memórias e dos sorrisos dos meus dezasseis anos!

Beijinhos musicais
(^^)

NI disse...

Ainda sei a letra de cor da música "Parole, Parole". Aliás, há pouco tempo coloquei essa música.

:)

NI disse...

Afrodite,

Um dos meu maiores medos é saber como vou lidar com a perda de audição. Há 15 anos foi-me diagnosticada otosclerose. Já só tenho 4% de audição no esquerdo e no direito já perdi cerca de 24%. Uma coisa é certa, tenho que continuar a ouvir música. A menina otosclerose que vá dar uma voltinha ao bilhar grande porque nos meus ouvidos mando eu, ahahahah

Beijinhos

AFRODITE disse...


A medicina está sempre a avançar... e nunca te há-de faltar a música!!
🎼​ 😘

Francisco o Pensador disse...

Encore des mots, toujours des mots, rien que des mots... :)

Uma cantora fabulosa acompanhada pelo maior ícone da beleza masculina que a França conheceu até hoje. Foi pena a Dalila ter decidido deixar-nos de uma forma tão dramática.

Bjs e bom fim de semana.

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso