quinta-feira, 3 de março de 2011

Cara-Metade, ou simples quimera?




Três anos depois recupero um inquérito que foi colocado nesta sala de estar.

Para não influenciar os que mais recentemente passam por aqui para tomar um café e dar "duas de letra", apenas colocarei o mesmo texto, ocultando os resultados que se obtiveram (e não vale "cuscar").

Vamos lá então:

Norman Brown afirmou que toda a história do homem é um esforço para destruir a sua própria solidão.

Concordo com esta ideia.

Restringindo o sentido da frase às relações interpessoais eu diria que toda a história do ser humano é um esforço para encontrar “aquele(a)”.

Nessa busca incessante há aqueles que pensam ter encontrado na primeira tentativa.

Geralmente chegam à conclusão que afinal não era o(a) tal mas desistem de procurar.

Outros, pelo contrário, passam uma vida de opção em opção sem nunca encontrarem, mas sem nunca perderem a esperança de vir a encontrar.

Mas, pergunto: será que existe mesmo “aquele(a)”. Ou estaremos perante uma quimera que nos vai alimentando os sonhos?

Será que, para cada um de nós, existe algures o ser que nos completa?

Será que esta procura incessante é a responsável pelas nossas desilusões?

Será que esta procura incessante é a responsável por muitas vezes acabarmos sós?

Valerá a pena desistir de procurar?


Este é o tema do nosso inquérito.
 
Acreditam mesmo que existe algures o ser que nos completa ou é uma mera quimera?
 
 

3 comentários:

Francisco o Pensador disse...

Lembro-me bem desse post. Acho, inclusíve, que acabou com nós os dois a discutir. :)

Não sei o que respondi na altura (mas vou cuscar), mas acredito que a minha opinião não deva ter mudado nem um pouco desde essa data.
Digo isso porque acho 3 anos um tempo muito escasso para mudar uma opinião feita sobre um tema tão importante.

Bjs. :)

NI disse...

Francisco, a tua opinião não mudou.

E recorda-me um tema em que não tenhamos discutido :)

Beijos

Rita disse...

Pois... boa pergunta...
Acredito que mais do que destruir a solidao, procuramos alguem para, ao partilhar a nossa vida, termos existido. Mesmo.
Se ha' so' um ou se e' uma mera quimera.... dificilmente consigo responder...
Quem procura sempre alcanca? Quem espera desespera?
Nao sei....

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso