domingo, 13 de setembro de 2009

A vela...




Num casamento não me assusta a distância nem as eventuais discussões que possam existir desde que as pedras basilares existam: a amizade e o respeito.


Pessoalmente tenho inúmeras discussões com a minha cara-metade.


Mas sempre entendi isso como um confronto de pensamentos. Cada elemento do casal tem uma história, uma vivência e uma personalidade distintas antes de se casar e não podemos pretender mudar a essência de cada um. Seria, para além de mais, uma violação da própria personalidade.


Já me assusta, ou melhor, considero muito mau sinal, a indiferença e a ausência do "namoro". Um casal precisa de um tempo para si. Precisa de parar de vez em quando com a rotina do dia-a-dia, de se afastar dos filhos e ter um tempo para eles. De falarem, de se tocarem como se fosse a primeira vez. Quando um casal perde esta capacidade o casamento deixa de fazer sentido. A indiferença ocupa o lugar da amizade e do respeito. A indiferença é incompatível com a amizade. Manifesta-se com a ausência de partilha e com decisões individuais. A única coisa que eventalmente os une são os filhos se eles existirem.


Vem isto a propósito de uma cena deste fim-de-semana a que assisti. Dois casais estavam juntos. Um deles estava a namorar. A mulher do doutro casal dá a mão ao marido mas passados alguns metros ele retira a mão e afasta-se um pouco, até que se vira para a mulher e exclama "Vamos embora? Não viemos para servir de vela".


Confesso que o meu olhar fixou-se no olhar magoado e triste da mulher. Vi algumas lágrimas cairem pela face dela.


Recordo-me que o termo "vela" ou "vassoura" era utilizado quando uma pessoa, sem par, ia num grupo de casais.



Na minha adolescência não gostava de servir de "vela" pelo que recusava muitos convites para sair.


Mas no caso a que assisti eles eram casados. Têm, concerteza, uma vida em comum. Como é que um casal pode ser vela de outro? Ele podia optar por dar a mão ou um carinho à mulher. Mas não...


Posso estar enganada mas naquele casamento a indiferença é rainha.





3 comentários:

Eu Mesma! disse...

amo esta musica....

Chocolate disse...

Já escrevi sobre este tema, e sobre o espaço que os casais devem de ter para eles...

Concordo com cada palavra aqui descrita!

Bjs

NI disse...

Eu Mesma, também eu.

Chocolate, recordo-me do teu post. É triste quando os membros do casal se esquecem um do outro. Quando o carinho e a partilha desaparece. Não é fácil...

Bjs

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso