terça-feira, 7 de abril de 2009

E hoje fala-se disto!

Jô Soares afirmou:


"Não há amizade, que por mais profunda que seja,

que resista a uma série de canalhices"



Um dos meus maiores erros foi sempre ter considerado a amizade o sentimento mais importante. Talvez por isso sempre tive poucos amigos.

Não acredito na paixão porque ela é passageira.

Não acredito no amor para sempre porque, na maioria das vezes, não há engenho e arte para alimentar esse amor ao longo dos anos.

Mas acreditava na amizade. Acreditava que, quando verdadeira, os seus laços chegavam a ser mais fortes que as relações familiares. Não é por acaso que escolhemos na maioria das vezes como nosso confidente o nosso maior amigo. Porque sabemos que ele não nos trai.

Mas, na verdade, estou a entrar naquela fase em que nem na verdadeira amizade acredito.

Talvez imbuída daquela cobardia colectiva que nos impede de assumir o que sentimos e o que queremos.

Mas isto são meras divagações de uma doida que não dorme há duas noites.

Portanto, vamos ao essencial:

Vocês já tiveram uma grande amizade que acabou? O motivo foi?....

Eu sei que sou curiosa...

15 comentários:

ManUel disse...

Não sei se interessa o meu comentário, mas sim, já tive uma perda de uma grande amizade (que afinal não era assim taaaaaão amiga quanto isso).

Foi um curso que tirei durante um ano, em que a conheci e ficámos mesmo amigos. Toda a gente dizia que estavamos feitos um para o outro, mas nem eu nem ela sentiamos isso um pelo outro... era pura amizade.

De um momento para o outro deixou de atender telefonemas, deixou de responder a mensagens, nada... de uma pessoa que fazia questão de afirmar todos os dias que era a minha melhor amiga.

Um ano depois voltou a dar sinal de vida a pedir desculpa, arrependida, mas voltou a desaparecer....

Nunca soube o real motivo do afastamento.

Abobrinha disse...

Já perdi muitos grandes amigos, por vários motivos. A maior parte por motivo nenhum de jeito, mas não posso fazer nada acerca do assunto. Aos que desapareceram sem motivo liguei e liguei e liguei... até me aperceber que não iam responder-me de volta!

Resultado: começo a habituar-me. É mau, mas tem mesmo que ser assim. Como disse uma vez uma pessoa que é muito importante na minha vida, os amigos são como os peidos: atrás de um vem outro! OK, não é muito poético, mas é verdade! A capacidade de fazer amigos novos é mais importante.

Sadeek disse...

Granda cusca...AHHAAH

Assim de repente....a única enorme amizade que perdi foi duma amiga. Que era mesmo a maior. Tinha como nome Wally e era uma pastora alemã. Morreu.... :S

BEIJOOOOOOOOOOOOOO

NI disse...

Manuel, antes de mais, bem vindo a este estaminé. E, ao contrário do que afirmas, o teu comentário interessa e muito. Sabes, estou a passar, neste momento, por uma situação exactamente igual. :-)

Abobrinha, sendo a amizade uma forma distinta de amar temos que ter a capacidade e a sabedoria de deixar partir quem já não quer ficar connosco. No meu caso, apenas gostaria de saber porquê. Quanto à tua frase, não é poética nem é verdadeira. Os amigos, os verdadeiros, não andam aí aos molhes, ahahahahah. Mas compreendo a ideia.

Sadeek, ainda bem que constaste os teus segredos mais perversos a uma cadela. Já vistes se ela falasse? Ahahahahahah

Beijos a todos

Abobrinha disse...

Até pode ser... mas alguns são igualmente ruidosos! E um par deles cheira mal de vez em quando!

E o que é um amigo verdadeiro? Às vezes é preciso ser prático! Eu luto todos os dias por ser prática, a ver se sofro menos e me dou mais a quem me merece.

NI disse...

Minha querida Abobrinha, em matéria de afectos não consigo ser prática por muito que queira. Não consigo esconder sentimentos. O que consigo, com algum esforço ao longo dos anos, foi criar barreiras e fechar o meu verdadeiro eu ao mundo. Mas, para isso, não te podes "dar" a ninguém e aparece sempre alguém que te consegue derrubar as barreiras que criaste e como não estás preparada sofres mais.

Quer tu queiras, quer não, e porque és verdadeira nos teu sentimentos, não consegues ser prática em matéria de sentimentos. Sentes. Ponto final. Por isso ris e choras. Por isso és feliz e infeliz. Por isso cais e tornas-te a levantar.Simples, não é?

:-)

Abobrinha disse...

Ni

Sim. Mas, ao contrário da agilidade física, estou a tentar ganhar agilidade a levantar-me das quedas psicológicas (e eu tenho apanhado tombos valentes). Porque os afectos são o que são. E as pessoas não valem mais do que o que valem. Sobretudo, não valem mais do que eu.

Saber o porquê... acredita que não é importante. Às vezes é melhor mesmo não saber! Mas o que conta é que se fez o que se fez e raramente há atenuantes.

Eu não levanto barreiras e sou transparente com as pessoas com quem me relaciono a nível emocional. Quem gosta, gosta. Quem não gosta, que vá dar uma volta! Sobretudo não me faço passar por quem não sou.

Eu mesma! disse...

Eu já perdi grandes amigos como já ganhei grandes amigos...

aqueles que perdi das duas uma.. ou o tempo e o espaço nos afastou ou foi feito algo de parte dessas pessoas que para mim era algo imperdoável....

Sou uma pessoa que dou uma segunda oportunidade às pessoas mas.... duas segundas oportunidades já não dou!

E todas as pessoas que me conhecem sabem que... fazem uma e já não voltam a fazer uma segunda...

mas aqui falo de coisas demasiado graves que tu nunca conseguirás ultrapassar como traições de amigas....

Beijos grandes

Lança disse...

"Posse"!

Beijos

ManUel disse...

até pode acontecer, as pessoas continuarem amigas mas não se falarem há meses, mesmo por falta de oportunidade.

mas neste caso, as coisas entre nós ficaram mesmo esquisitas ditando o afastamento, mas sem razão aparente.

Acho que tenho outros casos... mas eu dou importância a quem fica, e não a quem vai...

NI disse...

Abobrinha, as barreiras que levanto apenas têm um objectivo: estar imune às desilusões. Durante algum tempo consigo. :-)

Eu mesma, traições de amiga(o)s? Já tenho algumas na minha conta pessoal. E sou como tu. Não dou hipóteses para a terceira.

Lança, acabaste uma amizade por posse? Mas isso não é amizade. :-)

ManUel, não digo que não tens razão nunca me esqueço de quem gostei a ponto de ser amiga.

Beijos a todos

a dona do tacho disse...

Tás linda tás. Também não admira tanto tempo sem dormir.
Não digas que armaste confusão a marcar senha???

NI disse...

Não minha querida, armei confusão na fila para o pequeno-almoço. Sabes que apenas tomo um café e estava uma fila enorme a pedir tostas mistas, torradas e afins. Comecei a dizer que era inadmissível uma pessoa que só queria um mero café ter que esperar. Armei tal confusão que me deram o café só para não terem que me aturar. sabes que eles têm um medo desgraçado de nós as três, ahahahahahah

Sadeek disse...

Nãããã......não lhe contei. É que aquela só lhe faltava falar inglês e sabe-se lá se não vinha a aprender?!?!AHAHAHAH

BEIJOOOOOOOOOOOO

Espelho meu disse...

Ainda à 3 dias publiquei um post sobre isto..."só o inimigo não trai nunca..."

Perdi uma amiga que considerava irmã e foi uma traição bem suja e desleal...Algo do qual ainda não me recompus porque a falta de carácter é uma coisa que me deixa horrorizada...

Resumindo: ela quis juntar-se a mim para fundar uma clínica, e assim fizemos em conjunto com outra pessoa. A coisa estava a crescer, mas as outras meninas decidiram, ainda sem perceber a razão, abandonar o espaço por quererem fazer algo sozinhas, mas uma para cada lado...Acontece, que depois de rios de dinheiro gastos, eu não consegui manter aquilo sozinha e tive de fechar portas...Entretanto descobri que as ditas cujas em menos de 3 meses se juntaram, nas minhas costas e abriram outra clínica, com outra pessoa a exercer a minha especialidade...

Funny thing...

É assim que são as pessoas...

E viva os inimigos!

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso