domingo, 23 de outubro de 2011

VENDE-SE OU ARRENDA-SE AO MELHOR PREÇO...






"Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver,
não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo. 
Precisa-se de um amigo para se parar de chorar. 
Para não se viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas.
Que nos bata nos ombros sorrindo ou chorando, 
mas que nos chame de amigo, 
para ter-se a consciência de que ainda se vive."
Vinicius de Moraes


Nunca entenderei aquelas pessoas que utilizam a palavra "amizade" de forma leviana. E, confesso, há já algum tempo que questiono se até a amizade tem um preço. 




Porque o que ontem eram verdades irrefutáveis e imutáveis, hoje são meras palavras que uma simples brisa  faz desaparecer.



A vida mais parece uma feira da ladra em que colocámos os afectos numa banca e gritámos bem alto "quem dá mais"...


Será que tudo se vende? E em prol de quê? De alimentar egos escondidos? De não termos a coragem de assumir os afectos? De nos darmos? Por ser mais conveniente?


Ou será que nos darmos nada mais é que uma brilhante forma de perdermos tempo?




5 comentários:

Miguel disse...

Ni, poucas pessoas se preocupam e dar... Não percebeste isso ainda?

A maioria anda por cá para receber. De quem tiver algo a dar. Quando não têm nada para dar que lhes interesse... já se sabe que vão pregar para outra freguesia...

Se acrescentares a isto, que para mim é um facto inquestionável, outra realidade dos tempos modernos que é a falta de tempo que toca a quase todos, então tens explicado esse triste fenómeno!

Beijo

NI disse...

Miguel, em matéria de afectos sou uma pessoa de compreensão bastante leeeeeeeeeeeeeeeenta.

:)

Beijo

Tinta Permanente disse...

Nessa matéria devo confessar que não sou lenta, mas sim néscia. Mais que néscia, estúpida mesmo. Tenho tempo, disponibilidade, mas não me serve de nada. Sou facilmente manipulada. Um desastre. As novas amizades então, ca-la-mi-to-sas. E ninguém apareceu no meu último aniversário. Até chorei em cima dos bolos.
Desculpa-me o desabafo.

NI disse...

Tinta, eu só não te conto como foi o dia dos meus anos porque senão somos duas a chorar e, verdade seja dita, ninguém liga nenhuma. Portanto só nos resta duas hipóteses: ou mudámos (o que no meu caso é impossível porque nasci néscia e estúpida e assim vou morrer), ou levantámos a cabeça depois de mais uma pancada. Esta última é a que eu tenho assumido desde que me lembre.

:)

Beijo

Nota - E desabafa rapariga. Mau seria se neste espaço não pudessem desabafar. Aqui fala-se de afectos, certo?

Petra disse...

NI: o que eu acho, é que as pessoas nem se dão ao trabalho de perceber a grandeza da palavra amizade. Não são sequer capazes de se entregar, de ouvir, de tirar um tempo para o outro.
O egoísmo impera na cabecinha limitada de muita gente.
No entanto a visão talvez cor-de-rosa que tenho da vida, é que ainda ha com quem contar, ainda há quem nos dê a mão. Espero nunca ter que contrariar o que estou a escrever, porque tal como dizes, hoje em dia vê-se de tudo, e muitas coisas nos surpreendem, contudo quero continuar a pensar assim... beijinhos.

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso