sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Gosto de amores impossíveis...



Desde muito nova que os meus gostos literários recaíram sobre histórias de amor impossíveis...

Algumas delas, num raro suspiro do destino que afastava as correntes do fim trágico, conseguiam transformar-se num amor possível.

Uma dessas histórias, uma das minhas favoritas, é Orgulho e Preconceito de Jane Austen.

Terá sido, a par de "Grandes Esperanças" de Charles Dickens, dos livros que me consciencializaram para a existência de classes sociais e me fizeram acreditar que o amor, quando verdadeiro e independentemente da forma que assuma, consegue superar as barreiras que a estupidez humana coloca aos afectos em razão de duvidosos valores.

Não sei quantas vezes li o livro nem, tão pouco, os filmes e as séries televisivas que adaptaram o romance que Jane escreveu no longínquo ano de 1797.

Depois do dia que tive hoje, estou a precisar de uma história de amor com final feliz. Vou rever "Pride and Prejudice".


Um bom fim-de-semana para todos.





8 comentários:

Rui da Bica disse...

Romeo e Julieta ... outro amor impossível que acaba muito mal.
Hoje, este também é para esquecer,... não tem final nada feliz. rsrsrsrs

Esquece e,..
Um Grande Fim de Semana.

Missanguita disse...

É o meu livro preferido....

NI disse...

Rui, não gosto de Romeo e Julieta mas ainda me ri ao assistir a umas das versões em que o pessoal estava quase todo a dormir... :)

Missanguita, não consigo dizer qual é o meu livro preferido mas este está no top ten.

Beijos

JP disse...

NI,
no People & Arts passaram uma série bem bonita. Sempre a repunham lá estava eu caído. :)
Ok! É uma história lamechas para gajo mas também não sou perfeito. Que se dane! ;)
beijos

NI disse...

JP, gosto de homens que assumem assumem afectos e emoções. Não são lamechas. São homens na verdadeira acepção do termo. Mas esta é a minha opinião.

Beijos

Miguel disse...

Amores impossiveis...

Isso nunca devia acontecer.
O Amor é a vida na sua plenitude. Tudo o que a vida tem de bom, e é muita coisa, atinge a plenitude quando vivida com Amor!

Custa-me a entender quem foge constantemente do Amor...

NI disse...

Miguel, por vezes é o Amor que foge de nós. E a uma velocidade....

:)

Miguel disse...

O Amor foge de nós?

Como? Explica lá isso que esse conceito já me ultrapassa...

O Amor é algo que nasce enraizado em ti. Não foge nunca!

Outras coisas talvez...

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso