terça-feira, 30 de junho de 2009

Ora aqui está um pensamento curioso...

Imagem:media.photobucket.com



A força do desejo da carne
facilmente vence as barreiras morais do homem insatisfeito.
Textos Judaicos


1 - Como tenho o terrível hábito de interpretar os pensamentos de acordo com o meu estado de espírito;

2 - Como as insónias continuam a perseguir-me (só pode ser paixão pela minha pessoa);

3 - Como a malícia é o meu oitavo pecado mortal (gosto de ter mais pecados que o comum dos mortais).


Pergunto: algum de vocês deixou que a força do desejo da carne se sobrepusesse às vossas barreiras morais.


Façam de conta que este estaminé é um consultório, estão deitados numa belíssima chaise longue e que eu sou uma psicóloga que não vos recrimina.


Desembuchem....




18 comentários:

Eu Mesma! disse...

algum de vocês deixou que a força do desejo da carne se sobrepusesse às vossas barreiras morais......?

nunca....

mas tb... as minhas barreiras morais são subjectivas... estão de acordo com o que sinto no momento e o que eu no momento sou....

mas nunca...
nunca fiz algo que moralmente me arrependesse... sendo que aqui o moralmente é a minha moral.. e não a dos outros :)

Jinhos!

Lança disse...

Muitas vezes. Desde pequeno...

VCosta disse...

Não... moralmente estou tranquilo! hehehe

NI disse...

Eu Mesma, de acordo :-)

Lança, és sempre o mesmo. "Lanças" uma frase e deixas o pessoal na expectativa. Da próxima vez que nos encontrarmos atiro-te para uma chaise longue e vais ter que contar tudinho...ahahahahahah

VCosta, só moralmente? Eheheheheheh

Bjs

Sadeek disse...

Helloooooo...

Pois que sim, que a resposta é positiva. Arrependi-me? Não. Porque não causei sofrimento por isso. Coração que não vê coração que não sente, não é verdade?

BEIJOOOOOOOOOOO

PAULO LONTRO disse...

O desejo da carne vence barreiras morais mesmo de homens satisfeitos.

Eu sou carnivoro e raramente resisto a uma boa picanha, mesmo quando já estou satisfeito...

O meu sentido de moral é muito "aberto" ... o desejo da carne cabe perfeitamente dentro desse sentido.
Capice...?

NI disse...

Sadeek, levas a máxima até às últimas consequências: Nunca chores poraquilo que fizeste mas por aquilo que poderias ter feito e deixaste de fazer. :-)

Paulo, ainda bem que não és vegetariano, ahahahahahah

Bjs

ianita disse...

Gostava de poder estar acima dos desejos da carne, mas não estou.

Se bem que os meus pecados são mais de gula que de luxúria, infelizmente, atrevo-me a dizer...

Kisses

NI disse...

Ianita, padecemos do mesmo mal, ahahahahah

Bjs

Spferreira disse...

Ni...não, por acaso nem por isso. Essa máxima não se aplica muito a mim que já me arrependi de muita coisa que fiz na vida. Bem como de algumas que não fiz e devia ter feito.

Foram circunstâncias da vida que me levaram a "pecar". Foi consciente. Não premeditado. Aconteceu e nada posso fazer para alterar. Sinceramente, também não sei se o queria fazer... ;)

BEIJOOOOOOOOS

NI disse...

Spferreira, antes de mais bem vindo a esta sala de estar.

Se tudo o que fizeste foi consciente é porque pensaste. Se pensaste, quiseste. Se quiseste não tens que te arrepender. :-)

Eu sei, é uma teoria algo rebuscada e entendo o que queres dizer.

Beijos

Lança disse...

É só perguntar que eu respondo... :D

NI disse...

Lança, começa a desbobinar...

:-)

Lança disse...

Ui... dava um blog! Com senhas de acesso e tudo! :D

Abobrinha disse...

Lança

És louco! Escreve mas é um livro e faz render o peixe, pá! Ou se quiseres eu escrevo-o... mas sou capaz de (como hei-de dizer) colorir algumas partes de cores mais berrantes! É um risco que corres! Mas o livro seria um "sussexo"!

NI disse...

Lança e Abobrinha, o máximo que posso fazer é a apresentação do livro e arranjar alguém para as ilustrações, ahahahahah.

Lança disse...

abobrinha,
Mais coloridas... só se fosse gay! :D

ni,
Como modelo? :P

NI disse...

Lança, não provoques...

:-)

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso