quinta-feira, 4 de junho de 2009

Porque não podemos esquecer...

Ninguém sabe quantas pessoas morreram na sequência da intervenção militar na Praça de Tiananmen, em Pequim.

Foi há 20 anos atrás.

Impõe-se recordar os jovens que em nome da liberdade de expressão perderam a vida...



5 comentários:

VCosta disse...

Ainda assim vivemos num sítio calmo!!!

PAULO LONTRO disse...

Eu não esqueci!
E sei o nome do cabeça dos assassinos, o LI PENG.

NI disse...

VCosta, ainda...

Paulo, ainda me lembro da indignação que varreu o mundo. O problema é que as pessoas têm a memória curta...

Storyteller disse...

Ni,
as pessoas só têm memória curta se deixarmos.
Eu tinha 14 anos na altura e as imagens de Tiananmen tiveram um impacto brutal sobre mim.
É algo de que me recordo muitas vezes e que está de forma indelével na minha memória.
Lembro-me de ver em directo o homem com os dois sacos na mão aparecer do canto do écrã e opôr-se ao avanço dos tanques. Completamente desarmado. Com um coração enorme.
Não esqueçamos nunca Tiananmen e não deixemos que os nosso filhos não saibam o que se passou (e continua a passar-se) na China.

NI disse...

Storyteller, concordo contigo mas tal não implica que as pessoas tenham mesmo a memória curta.

:-)

Beijo

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso