sexta-feira, 6 de junho de 2008



Hoje é daqueles dias em que tento olhar para o meu passado e tento descobrir o que poderia ter feito de diferente.




Nessa viagem ao tempo, encontro uma mulher bem parecida comigo - por acaso, eu mesma -, mais impulsiva, é certo, mas com os mesmos valores, os mesmos sentimentos, as mesmas emoções.




Pensava que o tempo se encarregava de me ajudar a não me indignar. Que me ajudaria a passar incólume pelas injustiças. Que me ajudaria a encarar melhor o aplauso da incompetência e da imbecialidade.




Não deveria ser assim? É que essa mulher não tinha tanta experiência. A sua ingenuidade era acentuada. Tinha menos conhecimento.




Pelos vistos essa mulher não cresceu e eu não gosto nada desta sensação.




6 comentários:

Victor disse...

Mas essa mulher que tu serias hoje, se calhar, não transbordava o teu amor pelas coisas que geraste, pelos teus, pelos outros. Não teria a robustez de um pensamento alicerçado na justiça, capaz de condenar e perdoar com a certeza da ponderação que só o tempo e estas vidas cruzadas, que só o arquejar dos anos consegue e permite.
Essa mulher podia até ter aquilo que julgas fazer-te falta. Mas não será mesmo assim?. Tudo o que ela tinha é teu e pode estar somente guardado num local um pouco mais profundo de ti. Onde só irás em dias como hoje.
E como diz a canção "Deus estava feliz quando te desenhou."
É assim que gostamos de ti.
É assim que nos fazes falta.

NI disse...

Mais uma vez deixas-me quase sem palavras.

Mas estou mesma desiludida. Tu conheces-me bem para saber que sempre encarei a vida com um certo pessimismo como forma de me defender das desilusões. Basta abrir a porta ao optimismo para vir a pancada forte.

Talvez seja desta que mudo, finalmente, de emprego. Ao fim de 22 anos talvez seja esse o passo que preciso. A ver vamos.

Mas obrigada pela força.

Bjs

EDUARDO disse...

um beijão com salpicos de positividade e optimismo :-)


PARADOXOS

NI disse...

Obrigado Eduardo pela força.

*tεrεsα* disse...

Ni, como te compreendo... entao na parte da imbecilidade ser premiada... olha, nem sei o que dizer. Já assisti a isso tantas xs que parece que já é normal.

Uma pessoa farta-se de trabalhar, tenta ao máximo para ser competente e profissional, não se dá por vencida quando encontra obstáculos e no fim de contas, para quê? Para ver quem não sabe fazer nada nem tenta fazer, ser levado nas palmas das mãos.

O meu receio, é tendo assistido já a tanta injustiça, deixar se ser pura e doce - como diz o meu amor - e passar a ser uma pessoa fria e cínica.

Bjinhos.

NI disse...

Tens toda a razão. Mas, desta vez, temo que tenha sido a gota de água.

Estou cansada de ser escada para os outros.

Estou cansada de ver pessoas com dois anos de carreira ser nomeada para dirigente em detrimento de outras pessoas com 15 anos e mais de carreira, com provas dadas.

Estou cansada de me indignar e, apesar disso, continuar a ser a primeira a chegar, a última a saír e ainda levar trabalho para casa e trabalhar até às 2 h., 2.30 h. da manhã só porque tenho o raio do defeito de ser responsável e gostar do que faço.

ESTOU CANSADA E JÁ TENHO IDADE PARA TER JUÍZO.

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso