segunda-feira, 25 de junho de 2012

Defeitos...

Imagem da net


Quando era criança e perguntavam aos meus pais qual era o meu pior defeito, a resposta era rápida e concisa: "não se calar enquanto não souber porquê".

Será mesmo o meu pior defeito? Não sei se será o pior mas é, seguramente, um dos meus muitos defeitos.

Sou daquelas pessoas a quem não podem dizer “faz assim”, sem mais. Mas “faz assim”, porquê? Sou daquelas pessoas a quem não podem dizer “porque sim”. Mas “porque sim”, porquê?

Sou daquelas pessoas a quem não podem dizer “não sei”, quando fazem algo que me magoam.

E entenda-se este “magoam” como algo sério, que deixa cicatrizes para sempre e não aquelas pequenas reacções que todos nós temos para quem gostámos, quando andámos mais cansados ou stressados.

Mas um ser minimamente inteligente não sabe porque magoa outra? Pior, ainda, é quando alguém magoa outra e, quando se pergunta o porquê , a resposta é: “não me lembro”.

Boa....

Eu não me lembro do que almocei na semana passada mas, com toda a certeza, sei quando magoei profundamente alguém de quem gosto.

Quando alguém diz “não me recordo", das duas uma: ou se recorda perfeitamente mas tem algo a esconder, ou não se lembra mesmo e tal significa que se está a “borrifar” para a pessoa.

Acreditem, gostava de ser daquelas pessoas que pegam nos pacotes do passado abertos e arquivam nas prateleiras da memória. Mas não! Os meus pacotes têm que estar devidamente fechados e selados para que a humidade e o tempo não provoquem infiltrações.

Que raio de defeito...

Mas sabem uma coisa? É mais um do meus defeitos que define quem eu sou.

A música de hoje é só para românticos lamechas como eu...



2 comentários:

GATA disse...

Eu tenho muitos defeitos, tantos que a caixa de comentários não chega! :-)

Clair de Lune disse...

Qualidade acho eu.

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso