segunda-feira, 1 de setembro de 2008

O que custa mais?




O NUNCA MAIS de não ter quem se ama torna-se tão irremediável

quanto não ter NUNCA MAIS de se ter quem morreu.

E dói mais fundo - porque se poderia ter,já que está vivo(a),

mas não se tem, nem se terá...


Caio Fernando de Abreu

E para vocês? O que custa mais?





Bubbly - Colbie Calliat

4 comentários:

Anónimo disse...

Definitivamente a possibilidade de nunca mais ter quem se ama estando esse alguem entre nós! É uma dor sem fim! Já a senti...
pinxexa

NI disse...

Concordo. Sem mais.

Francisco disse...

Não sei o que custa mais... Faz hoje um ano que o meu Pai faleceu e só sei que custa muito não se ter alguém que já partiu.
O que me faz mais falta é o abraço e o "Está tudo bem..."

NI disse...

Francisco, antes de mais bem vindo a este cantinho.

Entendo perfeitamente o teu comentário, quanto mais não seja porque já perdi o meu pai e a minha mãe e, ambos, bastante novos.

É óbvio que sentimos sempre falta daquele aconchego. Daquele mimo que sempre precisámos independentemente da idade que temos. Daquele porto de abrigo que nos protege das tempestades.

Mas, não é menos verdade, que temos algo que ninguém nos consegue tirar: as memórias que nos embalam.

No outro caso, não temos, nem nunca teremos, nada. Nesta perspectiva, entendo que é pior não se ter quem se ama.

Um abraço e ameniza a tristeza que hoje sentes recordando as gargalhadas que partilhaste.

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso