segunda-feira, 7 de abril de 2008

Pensamento da semana


Pouca sinceridade é uma coisa perigosa, e muita sinceridade é absolutamente fatal
Oscar Wilde

8 comentários:

solo disse...

é verdade.

aliás suponho que esse é o meu maior defeito, excesso de sinceridade.

NI disse...

Solo, eu sou ao contrário.

Isto é, o meu pior defeito é, na tentativa de resolver os problemas da melhor maneira e sem magoar terceiros, de "dosear a sinceridade". Como? Utilizando palavras dóceis e cuidadas para que pessoa não fique magoada.

Cristina disse...

O senhor Wilde é que sabia...

Anónimo disse...

Ni, pegando nas tuas palavras;" não de se ve dosear a sinceridade, para não magoar terceiros, utilizando palavras dóceis e cuidadas..."
Os sentimentos, "os verdadeiros", devem ser ditos, e o terceiro deve ser detentor da sinceridade absoluta e não de pensamentos refreados.

O pensador disse...

Faço minhas as palavras do anónimo...

:-)

NI disse...

Anónimo e Pensador:

Náo digo que não tenham razão. Aliás ficou implícito na minha resposta ao Solo que assumo que um dos meus piores defeitos é nalgumas situações, não conseguir ser absolutamente sincera. Não porque seja uma mentirosa. Longe disso. Abomino mentirosos. Mas porque tento sempre encontrar a melhor maneira de dizer as coisas sem magoar. Na maior parte das vezes, no final, eu é que fico mal. Mas é um traço da minha personalidade que nunca conseguirei mudar. Mas também nunca disse que era perfeita. Pelo contrário acho que tenho mais defeitos que virtudes. Este é só um deles.

Anónimo disse...

Quem te conhece sabe bem que as qualidades, em muito superam os defeitos...

Anónimo disse...

Ah como eu concordo ctg anónimo (nestre ultimo comentario).
Sinceramente, axo que esta "caracteristica" da ni não é de todo um "defeito! Digo-o não só porque perfilho a opinião dela mas porque objectivamente concordo com o deaar oscar Wilde, a vida assim me tem ensinado....
beijinhos
pinxexa

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso