sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Suicídio...






O suicídio não é querer morrer, é querer desaparecer.
Georges Perros


Concordam com este pensamento?

Já agora, o suicídio é um acto de covardia ou de coragem?

Admitem o suicídio?

Em que situações?




27 comentários:

Tinta Permanente disse...

Hum.. não se pode desaparecer sem morrer ?? Vara ao ombro com a trouxa atada? :)
Covardia perante a vida e coragem perante a morte.
Eu nunca o admitiria. Tenho muitas razões para viver.

VCosta disse...

Sinceramente, para mim já foi considerado um acto de covardia!
Hoje em dia, acho que é mais um acto de desespero, mas de coragem não...

TM disse...

Realmente o suicidio é uma opção que a mim me parece muito estranha... afinal se as pessoas que a tomam têm a coragem de a por em prática, porque não terão coragem de enfrentar os seus problemas?

NI disse...

Tinta, VCosta e TM,

Não sei se estou certa ou errada mas desde muito nova que defendo que para uma pessoa se suicidar é necessário muita coragem. Talvez porque quando era nova (ainda adolescente), essa ideia me passou pela cabeça e não fora a minha falta de coragem e a chegada do meu melhor amigo talvez não estivesse hoje a falar convosco.

Se hoje me levanto depois de cada queda devo a ele porque me ensinou que grandeza de uma pessoa se vê pela forma como se levanta depois de uma queda. Fez-me prometer que nunca mais o faria. Disse-lhe, na altura, que só o faria quando tivesse a certeza que me restavam poucos dias de vida e que tivesse de os passar em sofrimento.

Quando ele se casou deixamo-nos de ver e de falar por imposição da mulher dele. Mas, independentemente desse facto, cumpro sempre as minhas promessas. Porque nunca prometo aquilo que sei que não vou cumprir (seja porque não posso ou não quero).

Mas passados 30 anos sobre aquele acontecimento que apenas me deixou uma pequena cicatriz para me recordar, tenho a lucidez suficiente para dizer que é preciso mais coragem para viver do que para morrer.

Não contavam com esta confissão, pois não?

:)

VCosta disse...

Acho que a maior parte de nós já teve a ideia de se suícidar... mas uma confissão é sempre uma confissão!!!

NI disse...

Não é uma confissão fácil porque sei que será alvo de críticas.

Mas assumo tudo o que faço sem qualquer constrangimento moral.

:)

VCosta disse...

De mim não receberás criticas sobre esse aspecto...

NI disse...

Outra coisa não seria de esperar vindo de ti.

:)

VCosta disse...

Começo a ser prevísivel...
Isso é mau!!!! hahaha

NI disse...

Nãaaaaaaaaao.


Eu é que sou razoável a tirar a pinta às pessoas. É por isso que a maioria das vezes me comem de cebolada, ahahahahahah

VCosta disse...

Confiança dá nisso às vezes!!!

NI disse...

Comigo...dá quase sempre :)

ianita disse...

Concordo contigo. É precisa muita coragem para realmente viver... mas há quem não se mate, mas que não viva. Não sei o que é pior...

Eu sempre me lembro de dizer que se me encontrarem morta por suicídio que devem imediatamente chamar o CSI do sítio. Seria incapaz... pela vontade de viver que sempre tive e pelo terrível medo (talvez o maior de todos) de morrer... de desaparecer. Neste ponto de vista, uma vez que tenho medo e a coragem é a superação do medo, talvez eu matar-me fosse coragem...

Mas... a maior parte das pessoas que se mata não tem medo. Sente desespero. Sente Medo da vida e não da morte.

Há um livro muito giro sobre isto. "Verónika decide morrer", do Paulo Coelho. Muito bom.

NI disse...

ianita, há uma situação em que, claramente sou a favor do suicídio:em caso de doença terminal e quando o sofrimento é tal que já não se pode falar em dignidade humana.

Por exemplo, nunca permitirei chegar ao ponto em que o meu pai chegou. Assim como temos direito a pugnar pela dignidade humana em vida, o mesmo deverá ocorrer quando chegar a hora da morte.

Beijos

ianita disse...

Eu entendo isso. E sou a favor da eutanásia...

Mas eu a ir por aí... não me vejo. E não que ver com aspectos morais ou éticos. Nada disso. Só acho que nunca conseguiria ir até ao fim...

NI disse...

Nem dás conta minha querida.

:)

najla disse...

Antes de mais, considero em primeiro lugar o suicidio um acto egoista.
E não consigo decidir se o considero com um acto de coragem ou de covardia. Isto porque se alguém o decide fazer por ter problemas, julgo-o com um acto de cobardia. Mas perante o meu medo e mesmo respeito pela morte (e desconhecido), tenho de dizer que se tem de ter coragem pois eu jamais o faria. E até aí podemos considerar essas pessoas de coragem? É corajoso quem se mata mas porque foi covarde suficiente para não enfrentar a realidade? Paradoxo, no minimo!
E não, não concordo com esse pensamento!

beijos

NI disse...

É, de facto, um paradoxo. Concordo com a tua análise com excepção de ser um acto egoísmo.

Uma pessoa antes de tomar uma decisão dessas dá sinais. As pessoas é que estão demasiado ocupadas para reparar nos outros.

Beijos

Anónimo disse...

Suícidio, Não é um ato de covardia.

Primeiro, você tem que ter muita coragem , para dar fim na sua vida, ou seja, para dar fim em tudo. Tudo após este ato, irá desaparacer completamente, nunca mais você irá vivenciar nada neste mundo. Já pensou?

Nem todas as pessoas têm coragem o suficiente para cometer este ato com sua própria vida.Covardia é um indivídio tirar a vida de outra pessoa, isto sim, é uma covaria. Você tirar sua própria vida, isto sim é coragem, pode até ser considerarada como uma fuga. Mas nunca ser considerada como covardia.Ás vezes, a pessoa que comete este ato, não deseja mais viver, pois a mesma deve ter algum motivo, que somente ela mesmo a conhece o verdadeiro motivo.

Você já imaginou, que um dia nós vamos morrer? Acontece que a pessoa que comete suícidio, somente está antecipando sua morte, ou seja, está evitando continuar a viver está vida sem sentido.

O Ciclo da Vida Humana, é quase igual o ciclo da Vida Animal, pois se parar pra pensar nós Um Dia Nascemos, No Dia seguinte nós Vivemos esta vida, e no Terceiro dia nós Morremos. Já Pensou Nisso?
Isto é uma pequena analogia a esta vida sem sentido. Pois um dia você nasce, Depois que você vivenciar todos os momentos alegres, dolorosos, e por ai vai. Depois que você conquistar "grandes coisas na vida", ou somente de se fuder na vida, você vai e morrer. Têm Algum sentido nisso?

Se você parar para pensar, a vida não faz sentido.Depois de voc~e conquistar quase tudo na sua vida, você vai morrer e perder tudo? Valeu apenas, passar por todos aqueles momentos de dor, para chegar um dia, e virar pó(Cinza)?

Pois quando morremos, nós vamos virar Cinza,apenas isso.

Eu mesmo, já cansei desta vida sem sentido, já cansei deste mundo. Já enjoei de tudo isto. Toda vez é o mesmo ciclo, e no final sempre vai parar no início de onde tudo começou.

Não vale a pena continuar vivendo.
Já pensaram para pensar nisto?

Vários intelectuais, deste mundo, que chegaram até mesmo a publicar artigos, estudos fantásticos, maravilhosos, algum estudos até mesmo chegaram a revolucionar a visão sobre o mundo, ou sobre algo.E No final das contas, o que eles fizeram, cometeram suícidio.

Acontece, é que várias pessoas desta sociedade manipulada e alienada, evita pensar sobre isso. Eles fogem, alguns indivíduos, têm medo, de raciocinar sobre isso, e preferem acreditar em crencas dogmáticas, que sendo assim cego a sua visão, todos preferem acreditar na vida após a morte, pois isto é um aconchego, isto alivia. Então, todos preferem acreditar numa falsa mentida, do que numa pura realidade, acontece que quando nós morremos, nós vamos virar apenas cinza, pó.

Eu, por exemplo, já perdi totalmente o ânimo de viver, pois para mim não têm mais o mínimo de graça esta vida, este mundo. Sempre a mesmice de sempre. Eu já cansei desta vida, deste mundo. Já enjoei disto tudo. Não tenho mais a mínima vontade de viver.

Qual o verdadeiro sentido desta vida? Para, pense e Reflita sobre isso.

Não seja igual a maioria das pessoas que preferem acreditar em crênças dogmáticas e fantasiosas, preferem acreditar numa pura mentira criada por nós mesmo, desde o início do século.

Anónimo disse...

Para Quê Viver?...Para se ferrar, só se fuder nesta Vida?

A morte é melhor que a vida, na morte você tem um descanso eterno, nunca vai sentir dor nenhuma, nunca mais vai precisar vivenciar nenhum momento estúpido como nós vivenciamos quando estamos vivos. Nunca mais iremos vivenciar nenhum momento, que nunca quisermos ter vivenciado. Vamos descansar eternamente.

Filipa disse...

Adorei a frase! Finalmente algo que se enquadra na minha linha de pensamento!
O problema do suicidio, a meu ver, é exactamente esse: o não desaparecer.
Eu não pretendo morrer, porque considero que isso implica na mesma existência! Quero apenas desaparecer, deixar de existir, evaporar!
Enquanto não encontro essa forma, ando por aqui errando por caminhos monótonos que não me levam a lado nenhum...
Filipa*

NI disse...

Filipa, a vida não é feita apenas de caminhos cheios de aventuras, de todas as cores, com música...

Há caminhos cinzentos, monocórdicos, aborrecidos, sem fim à vista.

Todos nós já passámos por isso (e eu que o diga, ao fim de quase 45 anos de existência). O que é importante é olhar para nós próprios e ver o que podemos fazer para dar sentido à nossa vida. Há situações em que apenas pretendemos desaparecer (quiçá com aquele desejo secreto de que alguém irá sentir a nossa falta).

Mas, acredita, partimos do pressuposto errado. Sentirão a nossa falta? Claro que sim. Haverá sempre alguém que sentirá a nossa falta. Mas mais importante é sabermos o que queremos fazer de útil da nossa vida. Criar objectivos e lutar por eles. Por mais difíceis que eles sejam. É isso que distingue aqueles que estão nesta vida para sobreviver e aqueles que estão para a viver.

Felicidades e um beijo enorme para ti.

Anónimo disse...

o suicídio é a unica forma de acabar com um tormento provocado por um ou mais sentimentos que a pessoa não consegue administrar, arrependimento, medo, vazio, chega uma hora que a pessoa não ve mais saida ou solução não consegue se ajudar e não ve como é possivel outras pessoas poderem ajuda-la, logo ela perde a esperança e os sonhos, neste estagio ela tem pouco tempo de vida.
pode ter certeza que coragem e covardia são noções muito limitadas e infantis para descrever o que o suicida sente antes de dar cabo da propria vida. Para o suicida não é que a morte va liberta-lo...simplesmente é melhor que a alternativa.

NI disse...

Anónimo (sem qualquer motivo porque expressou uma opinião válida e de forma correcta), esta foi a segunda abordagem ao tema. Em ambas o caminho adoptado foi tentar saber quais os sentimentos que o suicídio gere aos outros e não ao suícida. Covardia ou coragem não sã termos infantis. São sentimentos que dividem as pessoas quanto a um acto que, ao contrário do que muitas pessoas possam pensar, na maioria das vezes é ponderado e não irreflectido.

Quanto aos sentimentos e à "luta" que o suicida trava é uma realidade completamente diferente. E uma realidade que eu conheço.

Adélia Rocha disse...

Acho o suicídio um acto de vontade. Vontade de não permanecer refém de uma vida que não traz novidade. Vontade de fugir a um vazio. Vontade de não ver, de não ter de suportar múltiplas coisas. Considero, sim. Claro. Saber que o suicídio existe, é um recurso disponível, é algo muito animador. Ou seja, eu, de repente, se não aguentar mais, posso desistir...alegremente.

Não se morre de amor disse...

Oi, Ni!
Achei esse blog porque digitei "suicídio" no Google. Sou brasileira, hoje é sábado, noite e eu estou querendo desaparecer. Hoje eu não vou me matar, mas não sei quanto tempo vou sobreviver.
Estou dizendo isso porque o suicídio também pode ser uma doença.
Sou bipolar. Estou me recuperando de um pico de depressão. No auge, eu não conseguia pensar. Não sabia quem eu era, do que eu gostava, no que acreditava. Nada vinha à cabeça. Não tinha motivo para estar aqui. Sair para a rua era uma tortura. Ver pessoas, mais ainda. Tudo doía: caminhar, falar, respirar, trabalhar, comer...
Por mais maluco que possa parecer, o que tem me segurado até hoje tem sido pensar que a minha família não tem dinheiro pra me pagar um funeral. E também porque eles não merecem esse sofrimento.
Mas o curioso é que eu sempre penso "eu quero desaparecer" e não "eu quero morrer".
Concordo com a frase.
Abraços do outro continente!
Lu

NI disse...

Lu, antes de mais, bem vinda a este espaço.

Apenas desejo que consiga enfrentar da melhor forma a doença. Não é fácil lidar com esa doença, mas só a coragem que teve em falar dela demonstra a sua vontade de viver e de ultrapassar as fases menos boas da mesma.

Muita força e um abraço bem apertado.

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso