quarta-feira, 24 de outubro de 2012

O que a vida me ensinou...



 
Imagem da net
 
 
 
O tempo é apenas o que fazemos dele.

 

Quando temos dez anos parece que o tempo dura uma eternidade e começamos a imaginar as formas de colocar o relógio no futuro dos nossos dezoito anos.

  
Fazemos os dezoito anos e queremos parar o tempo mas ele galga com tal impetuosidade que nem conseguimos reter, por meros segundos que sejam, aqueles momentos especiais.


E depois? Bom,


A esperança é moribunda quando a espera é apenas uma espera!


A espera é sempre longa...


O silêncio é desgastante quando se espera por algo que não se sabe se voltará.


O dia é infindável quando se aguarda um olá.


E o tempo demora ...a hora passa a ter mais de sessenta minutos. Uma eternidade para pensar.


Para pensar naqueles momentos que o tempo nos dá.



Aqueles que queremos reter para sempre.


Aqueles momentos em que nos sentimos únicos e queridos...


Aqueles momentos em que nada nos derrotará porque sabemos que não estamos só!


Aqueles momentos em que nos sentimos imortais!


Aqueles momentos que queremos segurar no tempo...para sempre!  Mas que, paradoxalmente, são os mais rápidos a desaparecer no tempo...


E fiquem com mais um tema dos meus "Top10".



1 comentário:

Marcela Melo disse...

O tempo... ah! o tempo.
ele sempre parece estar contra nós!
e nós corremos incansavelmente atrás dele... ou contra ele...
O tempo é um mestre, é um ingrato!

Amei a forma como colocou, me identifiquei muito com seu texto.

Parabéns!

http://lapsosdeumamentebipolar.blogspot.com.br/2012/10/sonhos.html

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso