sábado, 23 de setembro de 2017

A Lenda de Gaia...


 
Foto daqui


Tudo começou no blogue “Contempladora Ocidental” da Catarina. Seguiu-se a Papoila no seu blogue  papoilablogspot.com” e a  Afrodite  com os seus "Jardins de Afrodite". E eis que surge o Rui do blogue “Coisas da Fonte” e…não consegui resistir ao desafio.

Eis a Lenda de Gaia!

Imagem da net

Existe no lugar do Castelo um morro fronteiro a Miragaia, onde em tempos se fixou um castro, que veio a ser castelo árabe, onde se diz ter vivido um dos reis de Leão.  Nesse lugar existe uma rua com o nome do Rei Ramiro.

Castelo de Gaia (imagem daqui)

A Fonte da Lenda (daqui)


Há ainda uma quinta com um pequeno palácio e uma torre antiga, outrora designada como Paço de D. Ramiro.

O que parece certo, face aos registos históricos, é a tomada do castelo numa expedição marítima de surpresa levada a cabo por cavaleiros cristãos, quando estava ocupado por um rei mouro.

Foi já no liceu que tomei conhecimento da Lenda de Gaia que, diga-se, Almeida Garrett rescreveu em verso popular e publicou em 1845 no Jornal das Belas Artes .

A minha professora de história conseguiu convencer alguns de nós a fazer uma peça sobre a Lenda de Gaia. Como fazia teatro amador calhou-me o papel de Rainha Gaia.

Há pelo menos duas versões. A que vou “contar” é aquela que representámos no longínquo ano de 1981.

“Reinava na Galiza um rei cristão chamado Ramiro, casado com uma rainha chamada Gaia. Nas terras junto ao rio Douro, reinava outro rei que era árabe e se chamava Alboazar.

Um dia, Alboazar viu a rainha Gaia e apaixonou-se por ela. Mas havia um problema, ela era casada com o rei cristão.

Alboazar andava sempre a pensar na rainha Gaia e queria roubá - la ao rei Ramiro.

Um dia, Alboazar soube que o rei Ramiro tinha partido para a guerra, e a rainha Gaia estava no castelo com alguns soldados velhos e suas aias.

Alboazar foi à Galiza raptar a rainha Gaia e levou-a consigo para a Galiza.

Quando o rei Ramiro voltou da guerra, disseram-lhe que a rainha tinha sido raptada pelo rei árabe.

Ramiro zangado, preparou 3 barcos cheios de soldados e partiu para libertar a sua rainha Gaia.

Quando chegaram ao rio Douro taparam os barcos com ramos e Ramiro disfarçou-se de mendigo, levando um chifre e a sua espada escondidos. Ramiro falou assim aos seus soldados:

Rei Ramiro - Fiquem aqui escondidos. Assim que conseguir entrar no castelo tocarei no corno para que corrais a ajudar-me.

Narrador - Deste modo partiu o rei Ramiro por entre árvores. Já perto do castelo parou junto de uma fonte, para descansar. Passado algum tempo, apareceu uma jovem moura em busca de água.

Rei Ramiro - Quem és tu e a quem serves?

Ortiga - O meu nome é Ortiga e sou serva da rainha Gaia. Vim buscar água e não posso demorar-me.

Rei Ramiro - Espera. Não tenhas medo. Sou apenas um romeiro. Empresta-me esse púcaro para que possa beber e assim matar a minha sede.

Ortiga - Agora que saciaste a tua sede, deixa - me partir pois a minha ama já deve estar à minha espera.

Narrador - Logo que chegou ao castelo, Ortiga dirigiu - se ao quarto da rainha, levando - lhe a água para que ela se pudesse refrescar; Quando lhe deitava água nas mãos caiu nelas metade do anel. A rainha ao vê - lo reconheceu - o imediatamente e disse:

Rainha Gaia - Diz - me Ortiga, diz - me quem encontraste na tua ida à fonte?

Ortiga - Ninguém senhora! Eu não encontrei ninguém!

Rainha Gaia - Não mintas Ortiga! Para teu bem e meu, diz - me com quem te cruzaste a caminho da fonte?

Ortiga - Vi apenas um romeiro senhora, velho e cansado! Pediu - me água para matar a sua sede.

Rainha Gaia - Pois então Ortiga, volta para onde o viste e traz esse romeiro à minha presença.

Rainha Gaia - Diz - me romeiro o que te trouxe aqui?

Romeiro (rei Ramiro) - Foi o meu amor por vós que guiou o meu coração. A rainha reconhecendo - lhe a voz perguntou:

Rainha Gaia - Romeiro! Romeiro! És quem eu penso?

Romeiro (rei Ramiro) - Pois quem mais vos poderia dar tal anel?

Rainha Gaia - Foge Ramiro! Foge daqui. Alboazar foi à caça e não tarda que chegue e se deite a dormir. Eu aviso-te e tu o matarás. Ortiga esconde–o naquele quarto!

Narrador - Alboazar chega da caça e a rainha Gaia perguntou - lhe:

Rainha Gaia – Meu senhor, se aqui tivesses D. Ramiro, que lhe fazias tu meu rei?

Rei Alboazar - Fazia - lhe o mesmo que ele me faria. Matava-o.

Rainha Gaia – Ortiga vai buscar o homem.

Rei Alboazar - És tu o rei Ramiro?

Rei Ramiro - Sou eu. Rei Alboazar - O que vieste aqui fazer?

Rei Ramiro - Vim ver a minha mulher que tu roubaste traiçoeiramente... Eu confiava em ti.

Rei Alboazar : - Vieste para morrer, mas antes quero perguntar-te: Se me tivesses em teu castelo que morte me darias?

Rei Ramiro - Dava - te um capão assado e uma regueifa com um copo de vinho. Depois havias de tocar um chifre até que perdesses o fôlego. Mais ainda, abriria as portas do castelo para que todos vissem o teu sofrimento e a tua morte.

Rei Alboazar - Pois essa é a morte que te vou dar.

Narrador - Depois de comer e beber o rei Ramiro chegou à torre e começou a tocar o corno… Os seus companheiros perceberam o sinal e correram a ajudá-lo. Inicia-se uma luta sangrenta e morrem muitos muçulmanos.

Soldados – Rei Ramiro ganhamos, vencemos.

Rei Ramiro – Vamos para os barcos. Voltemos para as nossas terras. Vem Gaia.

Já dentro do barco, o rei Ramiro vê a rainha Gaia a chorar. Sem compreender o que se passa com a sua esposa pergunta-lhe:

Rei Ramiro – Gaia porque choras?

Rainha Gaia - Choro por amor do rei mouro que mataste.

Rei Ramiro – Como te atreves a chorar pelo rei mouro?! Não mereces viver. Soldados prendei-a com cordas e amarrai-a a uma mó de pedra. Mira Gaia! Mira, que miras pela última vez!

Narrador – O rei Ramiro dizendo isto lançou a rainha Gaia nas águas num local que ficou conhecido por Foz de Âncora. Depois voltou para a Galiza onde mais tarde casou e teve enorme descendência.

Vitória, vitória acabou a história!”

Pois, esqueci-me de dizer. A lenda acaba mal…


Adenda: a Afrodite criou um espaço onde podem acompanhar todas as Lendas que vão sendo dadas a conhecer. Aqui.

 

12 comentários:

Rui disse...

Gostei, Ni ! ... Realmente uma bela e curiosa lenda ! ...
Não esperava pela traição da Rainha Gaia ! ... Teve o castigo merecido ! :)

Gostei de conhecer a existência desse castelo próximo da Rua do rei Ramiro !
Na próxima vez que por lá passar vou estar atento a ver se há alguns vestígios, o que parece não ser o caso, por estar subterrado !?...

Obrigado Ni ! ... E o "Legendeiro" a crescer ! :))

AFRODITE disse...


Ora bolas para a lenda!! Acaba mesmo mal!
(podias ter avisado no início... evitava ter levado com um valente murro no estômago)
Já agora... e qual era a outra versão?? :D

Obrigada Ni por teres participado, mesmo estando atolada de trabalho!
Fico-te muito grata por isso.
Bom fim de semana
💙​

Elvira Carvalho disse...

Não conhecia e gostei da lenda. Acaba mal é certo, mas é assim que acabam na maior parte das vezes as histórias reais. Curioso que embora não conhecendo tive quase a certeza da traição da rainha quando ela manda a aia ir buscar "o homem"
Um abraço e bom fim de semana

NI disse...

Rui, quando fiz a peça fiquei literalmente furiosa. Não achei piada nenhuma atirarem-me fora do barco quando só queria o "meu mouro". Deve ter sido por isso que casei com um, ahahahahah

Beijinhos

NI disse...

Afrodite, a minha resposta ao Rui diz tudo.

Tem algum jeito? Claro que não!

Vou ver se descubro a 2º versão.

Beijinhos

NI disse...

Elvira Carvalho, antes de mais, bem vinda a este cantinho.

Sinceramente, gosto imenso da lenda da minha cidade. Mas como romântica que sou(?) gostava que tivesse um fim final feliz. :)

Beijinhos

Janita disse...

Agora é que me tramaste ó MI!!!
Afinal, e isso eu já sabia, os Reis mouros eram um perigo para os corações de qualquer rainha cristã. Já os Reis cristãos como o Rodrigo, eram bem ardilosos, e este até mostrou não ter coração ao mandar matar Gaia...
Lendas são Lendas e quem conta um conto acrescenta-lhe um ponto!!
Mas lá que tem enredo e história, tem!! Até tem Narrador e tudo. Gostei.

Beijinhos

NI disse...

Janita, o final podia ser bem melhor mas tens razão. O Rei Ramiro era muito ardiloso e, acrescento eu, um valente ciumento. :)

Ainda bem que gostaste.

Beijinhos

papoila disse...

Eu gostei muito, acabam sempre mais ou menos mal :)))
Obrigada pela participação.
bjs

NI disse...

papoila, mas não deviam. :)

Beijinhos

luisa disse...

Olá Ni, esta rainha Gaia pareceu-me um tanto inconstante. :) Um coração indeciso que a levou a perder-se.

NI disse...

Olá luisa. Antes de mais, bem vinda a este cantinho. E tenho uma alegria particular em receber alguém que tem o nome que a minha mãe tinha.

Quanto à rainha Gaia penso que estava a sofrer os efeitos do Síndrome de Estocolmo :)

Beijinhos

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso