terça-feira, 15 de novembro de 2011

Pensamento do ano...


Agora que 2011 está na recta final e aproxima-se a passos largos 2012, e face às expectativas do nosso País e aos políticos que temos, penso que esta será a frase do ano.


"A maior desgraça de uma nação pobre

é que em vez de produzir riqueza,

produz ricos"

Mia Couto

 
Espero estar enganada!!!
 
 

12 comentários:

Abobrinha disse...

Só estás enganada porque a porra do país nem ricos produz. Os de esquerda andam todos afoitos a tentar taxar os ricos, e ainda não se aperceberam que eles não abundam!

NI disse...

Abobrinha, como a venda de produtos de luxo aumentou 40% no nosso País, eles existem.

Mas os ricos não têm que se preocupar. No orçamento de estado eles não são afectados. Para lém de que a esquerda agora não manda nada pelo que podem "afoitar" à vontade.

Abobrinha disse...

Aumentou 40% possivelmente porque as lojas se implantaram cá. E também porque pessoal de classe média-alta e não só de luxo as compra.

A realidade de que fala o Mia Couto é diferente: é outro continente em todos os sentidos. O nosso drama é um pouco não ter ricos que cheguem, na minha modesta opinião. É que os ricos ganhariam esse dinheiro de algum modo, pelo que dariam dinheiro a ganhar. Agora o tipo que vai vendendo o que herda (até acabar!) para manter um estilo de vida aparentemente excitante, o que pede coisas emprestadas para ostentar um luxo que não é dele... isso não é ser rico. É, de certo modo, ser pobre.

A Minha Essência disse...

Oh, oh... mas não está visto que esta crise é a melhor para quem tem para investira? Claro que sim!! E com isto, (in)felizmente (sim, porque mal é de quem não tem. No entanto os que têm, enfim, não têem culpa (no geral), pois indo bem ao cerne da questão...), bem, mal de quem, mas que são equiparados com os grandes. Contudo, é só nas contas a pagar, porque tudo o resto, a exclusão é imediata! :S

Kiss

S* disse...

Assim nunca mais!

NI disse...

Abobrinha e Essência, não penso que a realidade seja muito diferente. É claro que há os ricos, os "novos-ricos" e os "pretensos ricos". Sempre foi assim e sempre assim será. Mas o que a história também demonstra é que uma sociedade não evolui se não houver uma classe média que trave o fosso entre os "ricos" e os "pobres". Porque deixemo-nos de ideias utópicas: sempre existiu, existem e existirão ricos e pobres. Agora, quem é rico não investe (a não ser na bolsa ou através de depósitos em paraísos fiscais), logo não paga impostos pois foge a tal controlo. E será legítimo pedir a quem tem muito dinheiro que invista em Portugal? Investir para quê se não há quem compre? Quem tinha algum para consumir e colocar de lado (classe média) mal tem para suportar os compromissos que tem. Se não há consumo interno, não se vende. Se não se vende, fecham-se as casas comerciais. Se estas fecham, fecham as indústrias. Resultado: mais desemprego. E andamos neste circulo vicioso.

S*, eu estou convicta que nunca mais vamos sair disto. Espero estar enganada.

Tinta Permanente disse...

As vendas dos produtos de luxo e média/alta não quebraram... quem quebrou as vendas foram os comerciantes de média/baixa.

Quem sustenta a pirâmide é a baixa, os de mão-de-obra barata e os consumidores. Quero ver para onde se viram os ricos quando a base da pirâmide desaparecer...

Puzz disse...

roubei esta citação para o meu facebook... espero que não te importes.

beijinho!

Abobrinha disse...

Se os ricos não estão a investir no que é produtivo, isso também se deve aos incentivos para não trabalhar. Nomeadamente oferecendo apoios sociais (que não temos capacidade de pagar, e que tivemos que nos endividar para pagar, com o resultado que se sabe) ao nível dos salários que (realistamente) podíamos oferecer.

O investimento em Portugal não será para produzir o que cá se compra, mas o que de cá se exporta.

Petra disse...

Infelizmente querida NI, duvido que estejas enganada....

NI disse...

Tinta, penso que quem tem dinheiro continua a safar-se. Vira-se para o mercado externo.

Puzz, está à vontade. Mesmo que o pensamento fosse meu podias fazer. :)

Abobrinha, terás a tua razão. Uma coisa é certa, somos o primeiro país da zona euro a entrar em recessão técnica. Curiosamente essa entrada coincide com o corte abrupto do consumo interno. E, acrescento, não tenho qualquer dúvida que quem já tem muito dinheiro vai ganhar muito mais com esta crise.

Petra, vamos fazer força para que eu não entenda nada disto e esteja a dizer um valente disparate. Para bem de todos nós.

Beijos a todos

só 1 mulher disse...

Lamento, mas penso que estás certa... os ricos continuarão ricos, os pobres, não há nada que se lhes possa tirar mais.. agora é "estourar" a classe média, a que ainda existe...

1 beijinho

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso