quarta-feira, 19 de agosto de 2015

O que a vida me ensinou...





Os meus pais morreram bastante cedo. Cedo de mais, acrescento eu.

É, pois, natural que tenham tido outras vivências, outra forma de estar na vida. Tal facto, inevitavelmente, marcou a minha educação.

 Assim, durante anos, os meus pais ensinaram-me que nada caía do céu para além da chuva, granizo, neve e de objectos que o vento arrastava quando não queria dançar sozinho.

Ensinaram-me que o pouco ou muito que tivesse tinha que ser obtido com o meu esforço e o meu sacrifício. Se eu queria vencer aí tinha de ser a melhor naquilo que fazia. Que o trabalho demonstraria isso mesmo.

Mas, como a vida me foi ensinando aos poucos, os meus pais estavam errados. 

É que uma grande maioria descobriu o princípio de David Lieberman :


"Para vencer, não precisa de ser o melhor
ou o mais brilhante,
só tem que fazer as coisas certas".


E decidiu segui-lo.

Mas a evolução não ficou por aí. Se para vencer não era necessário o esforço para ser o melhor, qual o sentido de fazer as coisas certas? E eis que alguém descobre o princípio de
André Suarès:



"A baixeza é o meio mais certo de alcançar o êxito"

E este princípio vingou.



Ai Moisés...tivesses vivido nos dias de hoje e não terias perdido tantos anos a escrever nas pedras....




A música de hoje? Ironia...


2 comentários:

Maria Eu disse...

Os teus pais estavam certos, quem está errado é o mundo absurdo em que vivemos.

Um abraço, Ni. :)

AFRODITE disse...


Olha que a vida nem sempre nos ensina as coisas certas... ou então somos nós que as aprendemos de forma errada devido a tanta coisa que nos limita, tais como oportunidades que não acontecem, atitudes e escolhas incorrectas, teimosia...

Não conheço esses nomes... mas para mim o que sempre foi o melhor princípio foi o de nos regermos pela nossa cabeça e viver de consciência tranquila.

Beijinhos serenos
(^^)

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso