segunda-feira, 31 de março de 2014

Ah, pois...

Imagem da net


"A solidão é muito bela,
mas quando se tem perto de si alguém a quem o dizer"
 
 Bécquer, Gustavo
 
 
 
E a música é esta. Tenham uma grande semana.
 
 

Pensamento do dia...

 
Numa altura em que os extremismos se acentuam, será bom que recordemos que...

Imagem da net
 
 

sexta-feira, 28 de março de 2014

O Sonho...

 
Imagem da net
 
 
"Até prova em contrário, todas as coisas são possíveis
e mesmo o impossível talvez o seja apenas nesse momento."
Pearl Buck
 

 
Sempre acreditei que a alavanca do mundo é o sonho e a capacidade de colocarmos em prática os meios para atingir os nossos sonhos.
 
Mas, à medida que vamos envelhecendo, vamos perdendo uma das maiores capacidades que o ser humano tem. A capacidade de sonhar.
 
Mas perdemos esta capacidade porquê? Por medo de falharmos? Por medo das consequências?
 
A idade passa por nós à mesma velocidade com que folheámos um livro. Mas se ao ler um livro sempre podemos voltar atrás, a vida não nos dá essa oportunidade.
 
E quantos, apesar de nunca terem desistido, quando, finalmente, arriscaram foi tarde demais...
 
Mas onde ficam os nossos sonhos? Vendemos a troco de segurança? Guardámos no baú das memórias?
 
Ainda se lembram dos vossos sonhos de criança?
 
Tenham um grande fim-de-semana e...tentem ser felizes!
 
A música de hoje só podia ser esta:

 
 
"When you're living like a legend
When your feelings are so true
When your life keeps getting better
Because  the world spins around you
Yes, you're living like a legend

One day, you'll be living your own dreams
and someday you'll be begging on your knees
And one day you'll see what I see
That is nothing but a lie
You must read between the lines

As I cruise along the journey
It's not easy anymore
Because they'll treat you a like a package
They will patch you as before
Yes, you're living like a legend

One day you''ll be living your own dreams
And someday you'll be begging on your knees
And one day, you'll see what I see
That is nothing but a lie
You must see it with your eyes.

There is still tomorrow
if you have the will
You got be true, got it by you, follow your soul
Keep it alive and up your goal

When you're living like a legend
When you're feelings are so true
When you're life keeps getting better
Because the world spins around you
Yes, you're living like a legend

One day, you'll be living your own dreams
And someday you'll be begging on your knees
And one day you'll see what I see
That is nothing but a lie
You must read between the lines

One day, you'll be living your own dreams
And someday you'll be begging on your knees
And one day you'll see what I see
That is nothing but a lie
You must read between the lines"
 

quinta-feira, 27 de março de 2014

Em contramão...


Imagem da net


"Não existe amores impossíveis,
e sim pessoas incapazes de lutar por seu grande amor."
(Anónimo)

 
E quem diz do amor, diz da amizade.
 
E, como se tal não bastasse, ainda existem aqueles que andam em contramão...
 
Ai meus queridos, organizem-se....lutem...
 
A felicidade permanente é utópica mas os momentos de felicidade estão ao alcance de um simples olhar..., de um simples olá...de um simples sorriso...de um simples abraço...
 
A música é esta porque não me canso de ouvir o Pedro (para ouvir bem alto).
 
"Voámos Em Contramão
(Pedro Abrunhosa/ Pedro Abrunhosa)

Leva-me ao fim da montanha,
Dá-me do vinho da Vida,
Estende o céu, faz a cama,
Onde me escondo da ferida,
E agora
Somos mais fortes que o chão.
Mostra-me a foz do teu rio,
Vem à nascente do meu,
Afasta a dor e o perigo,
Porque a distância doeu,
E agora
Voámos em contramão.

E há-de haver outro lugar,
E palavras p'ra dizer
Quando a terra abraça o mar
É como um Filho a nascer.
E há-de haver outra maneira,
De contar a quem não sabe,
Se me dás a Vida inteira,
Porque só vivi metade?

Leva-me de volta a casa,
Abre as portas do jardim,
Deita-me na tua cama,
Diz que sim, diz que sim...

Segue por este caminho,
Apanha luas de prata,
Um Beijo é o nosso destino,
Beijo que fere e não mata,
E agora
Somos mais corpo que dantes.
Não temos frio no fogo,
Trazes por dentro o verão,
Vejo-me em ti e descubro
Somos luz, sombras não,
E agora
Voámos em contramão.

E há-de haver outro lugar,
E palavras p'ra dizer
Quando a terra abraça o mar
É como um Filho a nascer.
E há-de haver outra maneira,
De contar a quem não sabe,
Se me dás a Vida inteira
Porque só vivi metade?

Leva-me de volta a casa,
Abre as portas do jardim,
Deita-me na tua cama,
Diz que sim, diz que sim...
Leva-me de volta a casa,
Abre as portas do jardim,
Deita-me na tua cama,
Diz que sim, diz que sim..."
 

Vale a pena pensar nisto...



" SINTO VERGONHA DE MIM

 Sinto vergonha de mim, por ter sido educador de parte deste povo, por ter batalhado sempre pela justiça, por compactuar com a honestidade, por primar pela verdade, e por ver este povo já chamado varonil, enveredar pelo caminho da desonra.
Sinto vergonha de mim, por ter feito parte de uma era que lutou pela democracia, pela liberdade de ser e ter que entregar aos meus filhos, simples e abominavelmente a derrota das virtudes pelos vícios, a ausência da sensatez no julgamento da verdade, a negligência com a família, célula-mater da sociedade, a demasiada preocupação com o ‘eu’ feliz a qualquer custo, buscando a tal ‘felicidade’ em caminhos eivados de desrespeito para com o seu próximo.
Tenho vergonha de mim pela passividade em ouvir, sem despejar meu verbo a tantas desculpas ditadas pelo orgulho e vaidade, a tanta falta de humildade para reconhecer um erro cometido, a tantos ‘floreios’ para justificar atos criminosos, a tanta relutância em esquecer a antiga posição de sempre ‘contestar’, voltar atrás e mudar o futuro.
Tenho vergonha de mim, pois faço parte de um povo que não reconheço, enveredando por caminhos que não quero percorrer…
Tenho vergonha da minha impotência, da minha falta de garra, das minhas desilusões e do meu cansaço. Não tenho para onde ir, pois amo este meu chão, vibro ao ouvir o meu Hino e jamais usei a minha Bandeira para enxugar o meu suor, ou enrolar o meu corpo na pecaminosa manifestação de nacionalidade.
Ao lado da vergonha de mim, tenho tanta pena de ti, povo deste mundo!"
 
Cleide Canton

 
Eu acrescento:
 
Tenho vergonha de mim pela passividade em assistir à utilização do nosso dinheiro para satisfazer a ânsia de dar a ganhar um "Audi", quando há famílias do nosso povo com fome.


Vamos lá ver seu eu entendo...


 
 
Hoje é dia 27 de Março, certo?
 
A Primavera entrou no dia 20 de Março, certo?
 
Segundo dizem os entendidos, verifica-se o aquecimento global da Terra, certo?
 
Então alguém me pode explicar porque raio estavam uns míseros 4 graus de temperatura quando saí de casa e chego ao trabalho e a temperatura parece que ainda está mais baixa?

É que eu não tenho o corpinho das meninas da imagem (pelos vistos ter um corpo como elas dá imunidade ao frio).
 

Imagem da net


Eu queria mesmo era estar na "ronronice"...


Nota - Já agora, prescindo que me digam que "frio é psicológico".

quarta-feira, 26 de março de 2014

Fosga-se....




Finalmente vi o "meu" FCP jogar.


Nota - Estou mortinha que o maridão benfiquista chegue a casa. Hoje deve vir caladinho...


Quer dizer...


 
Eu é que sou a "cota" e a filhota mais nova é que precisa de fisioterapia por causa de uma escoliose?
 
Está certo...
 
Quero ver como ela está quando chegar à minha idade!
 
 



Eu gosto imenso de si......não gosto é da sua profissão...


Imagem da net


 
Resquícios de um dia na capital, (vá-se lá saber porquê sempre que vou a Lisboa em trabalho acontece-me qualquer coisa menos boa), eis que às 8.30 de hoje estava de plantão na clínica dentária porque um dos meus poucos dentes...já era!
 
Claro está que o médico quando me viu encarregou-se de me dar um raspanete por ter estado dois anos sem mostrar os meus maxilares de australopiteco, (porque designar os meus maxilares como sendo próximo da era do Cro-Magnon seria um elogio que não merecem).
 
Incomodada por ele ter toda a razão respondi que gostava imenso dele mas detestava a sua profissão. Ao que ele retorquiu: "pode detestar a minha profissão mas ainda vai detestar mais quando ficar sem dentes".
 
Mas, na verdade, ele gosta tanto de mim como eu dele. Vai daí, lá esteve o desgraçado perto de hora e meia a tentar reconstruir um dente velhinho que nem a dona...
 
 

segunda-feira, 24 de março de 2014

Serenidade...


Imagem da net


"A serenidade vai além da lógica comum.
Como um analgésico, ela aplica um ponto final em todas as situações
e ultrapassa as barreiras sem qualquer vestígio de revolta ou inconformismo."
Antonio Sequeira




Ao longo da vida aprendi, com alguma dificuldade diga-se, duas coisas:
 
Deixar partir, com toda a serenidade, quem amo e fechar capítulos da minha vida.
 
Não foi um processo de aprendizagem fácil. Desenganem-se.
 
Nesta estrada da vida são muitos os desafios e vamos aprendendo a ultrapassá-los quando os temos que enfrentar. E enfrentar não é fácil porque exige luta. Muita luta até ao desfecho final.

Mas é essa entrega à vida e a forma como a enfrentámos que nos vais permitir encarar o desfecho de forma diferente.
 
Porque antes de qualquer desfecho houve um processo. Em que nos damos e tudo fazemos.
 
E quando assim é, não há revolta nem inconformismo.
 
Há, apenas, uma enorme serenidade.

Já agora, tenham uma grande semana!



sexta-feira, 21 de março de 2014

quinta-feira, 20 de março de 2014

Diz que me amas e serás Pai...




Ora muito bem...
 
Este "menino"...
 
Imagem daqui
 
 
... chama-se Ed Houben, é holandês e um homem super generoso!?
 
Porquê?
 
Segundo reza a lenda ele tem relações sexuais gratuitas com mulheres que querem engravidar. Pelos vistos em 12 anos já teve 98 filhos.
 
Muito bem Houben. Isso sim, é que é generosidade. Todos os homens deviam colocar os olhos em ti (digo olhos porque colocar qualquer outra coisa nas tuas mãos pode ter consequências...).

A notícia lida aqui acrescenta que "...Houben é guia turístico e auto-intitula-se «doador de esperma por caridade». As beneficiadas com a sua boa-vontade são casais de lésbicas, mulheres solteiras ou mesmo mulheres inférteis ou casadas com maridos inférteis. Começou a doar esperma gratuitamente em 2002. Mas quando a Holanda proibiu as doações anónimas de esperma, Houben passou a oferecer os seus serviços gratuitamente pela internet...". Só que, rapaz esperto, agora "... faz as doações de «maneira tradicional», porque, diz ele, «as hipóteses de engravidar são maiores». Os motivos de tanta generosidade, diz ele também, prendem-se com «a bela esperança de criar uma nova vida que será muito amada e bem cuidada»".
 
Pois, chama-lhe burro...

E...


Imagem da net


Hoje, quando forem exactamente 16.57 horas, vamos dar as boas vindas ao verde das árvores, à cor das flores e à "chatice" das alergias.
 
Bem vinda Primavera!
 
E como o nosso País sabe receber bem quem nos visita, amanhã...volta a chuva.
 
 
 

quarta-feira, 19 de março de 2014

A ti...


 
Já vai fazer 27 anos? Foi a última vez que comemoramos este dia?
 
 
Engraçado... É que ainda me recordo do teu olhar, umas vezes meigo, outras vezes pretensamente severo... mas lembro-me, sobretudo, do teu olhar de orgulho quando me vias...


Ainda me recordo quando à noite, pensando que já estava a dormir, me aconchegavas o lençol e me davas um beijo. E, eu, fazia de conta porque sabia que não gostavas de ser apanhado em flagrante.


Ainda me recordo dos nossos cafés a meio da manhã na Brasileira.


Ainda me recordo do primeiro livro que me ofereceste dizendo que a leitura era a luz dos ignorantes: "Grandes Esperanças". E fizeste-me ler os grandes autores portugueses desde cedo. Aos 14 anos, Eça, Júlio Dinis, Aquilino, Garrett, Herculano, Camilo, Quental, Torga, Redol, não eram desconhecidos para mim.


Ainda me lembro da primeira caneta que me ofereceste quando conclui a 4ª classe dizendo que seria o meu principal instrumento de trabalho. Era uma parker cinzenta e tinha o meu nome gravado. A mesma caneta com que fiz o meu último exame na faculdade. Foi a forma de te ter ao meu lado nesse dia.


Ainda me lembro dos primeiros passos de dança que me ensinaste. E sabes, desde que foste, nunca mais ninguém dançou comigo.


Mas lembro-me, sobretudo, de tudo aquilo que ensinaste. De teres dito que um caminho sem obstáculos não me levaria a parte nenhuma porque lutar pelos nossos sonhos fazia parte do nosso ADN.
 

Acredita pai, têm sido muitos os obstáculos mas continuo a percorrer o mesmo caminho, sem escolher os desvios mais fáceis....mas começo a ficar cansada... Talvez a viagem fosse mais fácil
se estivesses ao meu lado.

 
A música de hoje?  Porque sempre tiveste a mania de não te resignares. Nunca deixaste de te indignar face a injustiças. Nunca deixaste de lutar por aquilo que acreditavas mesmo quando te valeu andares com uns "homens de gabardine e chapéu" a vigiar os teus passos. Porque, bem lá no fundo, sempre gostaste de andar em contramão..., tal como eu, vamos ouvir esta música. Tenho a certeza que "vais" gostar.
 

Nota - Eu sei que a maioria do texto do presente post é repetido. Reescrevo-o todos os anos. Porque é desta forma que recordo e quero recordar o meu pai.
 
 

terça-feira, 18 de março de 2014

Quando a democracia é incompatível com a realidade...



Imagem da net
 
 
"Podemos ter democracia ou
 podemos ter riqueza concentrada nas mãos de uns poucos,
mas não podemos ter as duas coisas."
Louis Brandeis


Num País em que:
 
- O número de desempregados, de emigrantes e de pobres aumentou;
 
- O número de famílias insolventes ou com salários penhorados aumentou;
 
- A dívida aumentou;
 
- Se batem todos os recordes de venda de carros de luxo (segundo dados publicados em 2013 venderam-se 273 Porsches;14 Aston Martin; nove Ferraris, três Bentley e um Lamborghini)...
 
 
Fica-se com a certeza que a crise tem sido óptima para enriquecer meia dúzia à custa de alguns milhares!
 
A democracia, essa, foi "dar uma volta ao bilhar grande" porque estava cansada...
 

 

Ora aqui está algo que me dava um "jeitaço"...




 

Imagens da net
 
 
 
 
 

segunda-feira, 17 de março de 2014

Neste momento o que queria mesmo...




Imagem da net


1 - Era que saísse o raio da reestruturação dos serviços para saber o meu futuro profissional. Estou num impasse desde Outubro.
 
2 - Que o "Bruninho" viesse pedir uma manifestação pelos erros de arbitragem de ontem, (a coerência já acabou? Bolas, ninguém me disse nada).
 
3 - Que me explicassem como é possível um País ter um Senhor Presidente da República que obriga à destituição de um 1º Ministro alegando que o "povo" não aguenta mais austeridade e que permite a outro 1º Ministro que destrua o País. E o "povo", Senhor, e o "povo"? Impávido e sereno, porque são todos bons rapazes. Ninguém leva a mal. Pelo contrário, vão todos passar a Páscoa a Cabo Verde e Caraíbas (!?).
 
4 - Que o Sr. Marques Mendes explicasse como é que sabe das "discussõezinhas" entre os juízes de um Tribunal.
 
5 - Que a indignação tomasse o lugar do conformismo.
 
6 - Que hoje não fosse segunda-feira e amanhã terça-feira, e depois quarta-feira...ufa...nunca mais é sábado!
 
 
Fosga-se, acordei cá com um humor...
 
 
Imagem da net
 

sexta-feira, 14 de março de 2014

Hoje...

 
 
É mesmo só para vos desejar um grande fim-de-semana.
 
O tempo é escasso e, ainda por cima, passei a partir de ontem a ter mais um membro na "famelga".
 
Uma bela cadela rafeira de dois meses que alguém se lembrou de abandonar no meio da rua. A filhota mais nova lá usou da "chantagem emocional" para a adoptar. Mas também quem consegue resistir a uma cadela parecida com esta?
 
 
Imagem da net
 
 
Por falar em adopção (ou, melhor, em co-adopção), o interesse superior das crianças foi hoje mandado às urtigas. Até estou admirada como ainda não fizeram aprovar uma lei que faça voltar o nosso País ao tempo das cavernas...
 
 
Já vos desejei bom fim-de-semana? Já? Então está bem.
 
 

quinta-feira, 13 de março de 2014

Dúvida...




Não sei se devo retomar neste "estaminé" a rubrica "consultório sentimental, astros e afins".

Ou isso, ou começo a falar de reestruturações de dívida e reforma do Estado...


Cada pessoa é um ser...diferente!


E, acrescento eu, ainda bem.
 
Já imaginaram se todos nós fossemos produto de produção em série?
 
Fosga-se... eu cá nem imagino.
 
Posto isto, e a propósito de prendas e prendinhas, quem me conhece sabe, (ou devia saber), que:
 
Gosto de dar prendas e gosto de receber. Mas sempre encarei o termo "oferecer" como algo voluntário e sem ter como parâmetros o seu valor comercial e/ou "obrigacional" por socialmente correcto.
 
Quando ofereço uma prenda de anos a alguém quero transmitir essencialmente a seguinte mensagem:
 
 
"Durante o tempo que estive a escolher a prenda para te dar pensei em ti e no que significas para mim".
 
Ponto.
 
Daí que prefiro que me convidem para ir tomar um café e estar 10 minutos a conversar comigo do que me darem o objecto mais caro de uma loja qualquer.
 
Assim, quando no dia dos meus anos, depois de um dia de trabalho, me levam a um centro comercial e me dizem: "não tive tempo, nem sabia o que devia comprar, escolhe qualquer coisa", a resposta é só uma: "desculpa, mas não preciso de nada nem quero nada".
 
Lá acabei por receber um ramo de flores, (comprado enquanto fui repor a minha dose de nicotina), mas, sinceramente, não me diz nada. Assim não.
 
O que gostava? De um bolo com uma vela. De estar rodeada das pessoas que amo. De ver sorrisos no olhar enquanto cantam. De soprar uma vela. De pedir um desejo. Já lá vão muitos anos desde a última vez que pedi um desejo.
 
 
Imagem da net
 
 
Tenho um mau feitio? Pelos vistos...
 
 
Nota 1 - Apesar do mau feitio tive direito a duas prendas de duas amigas.
 
 
 

quarta-feira, 12 de março de 2014

E no final deste dia...




...esta frase cada vez mais faz sentido para mim.


"Amigos são a família que nos permitiram escolher"
 
William Shakespeare
 
 
E obrigada a todos vós que hoje fizeram questão de me fazer "companhia".
 
 
Imagem da net
 
 

Hoje é o meu dia...



 
"Em certa idade, quer pela astúcia quer por amor próprio,
as coisas que mais desejamos são as que fingimos não desejar."
Proust
 
 
A crer no meu cartão de cidadã, faço hoje 49 anos.
 
Não sei se será por astúcia ou por amor próprio, (cá para mim é um misto), mas hoje direi:
 
- Não me importo por ser mais um ano em que não comemoro os meus anos
 
- Não vou dar importância ao facto da "famelga" se esquecer que hoje faço anos
 
- Eu não esqueço
 
 
 
 
 
E como não li em parte alguma que não se pode festejar sozinha o dia de anos, desculpem lá qualquer coisinha mas vou para aquele canto dançar esta música.
 
 
 
 

terça-feira, 11 de março de 2014

As palavras que nunca te direi...


Imagem da net
 
 
"Ter saudade é estar na presença de tua ausência"
Hilda Richter



Mas há dias em que a tua ausência é mais presente.
 
Há dias em que um simples olá bastaria, para o sorriso voltar.
 
Mas a roda do tempo não pode parar... e até a saudade temos que mascarar...



Nota - Hoje estou para aqui virada. e quando um dos meus "peixes" teima em rodar ao contrário não há nada a fazer. Quanto à música, vamos até 1979 e ouvir e menina Rita Coolidge.

segunda-feira, 10 de março de 2014

Mãe, tenho uma novidade para ti...



Recebida por mail (enviada pela filhota)



Filha, destas novidades prescindo bem...
 
 
Nota - Anda uma mãe a tentar dar bons conselhos e depois vêm estes estudos destruir centenas de horas de psicologia do "ou" (para quem não saiba, "arrumas a cama, ou...").

sexta-feira, 7 de março de 2014

O diário da minha ausência...

 
 
Dia 6
 
Todo o dia em formação.
 
Perto da meia-noite, cansada, eis que me preparava para o merecido descanso quando uma dor se lembra de aparecer, acompanhada de outras indesejáveis comparsas que me obriga a levantar da cama quentinha e a ir fazer um passeio até ao hospital mais próximo...
 
 
Dia 7
 
Cheguei a casa com o raiar do dia. Depois de uma noite em claro, e "meia grogue" com antibióticos e afins, rumei a novo dia de formação. Felizmente terminou um pouco mais cedo.
 
Chegada a casa, "mais para lá do que para cá", fiz uma visita rápida aos blogues de eleição, e escrevinhei umas curtas frases antes de rumar para a cama. Finalmente...
 
Sempre ouvi dizer que descanso é meio tratamento.
 
 
P.S - Tenham um grande fim-de-semana. Eu, segundo a médica, tenho coisa para alguns dias...
 
 
 
 

quarta-feira, 5 de março de 2014

É uma vergonha assumir isto mas...


Imagem da net
 
 
A verdade é só uma: sou uma verdadeira piegas.
 
Mas não tirem conclusões precipitadas.
 
Talvez por pertencer àquele grupo restrito (?) de pessoas que só vai ao médico nas últimas, aqui a "je" aguenta bem a dor física.
 
Mas o caso muda de figura quando se trata de tirar sangue. Das duas uma: ou vai alguém comigo, ou é ver-me a sair pela porta da clínica quando vejo a técnica a abrir o pacotinho que traz aquela brincadeira a que deram o nome de agulha...
 
Armada em forte, (ou melhor, por não ter ninguém que fosse comigo), hoje lá entrei na clínica para tirar sangue. Quer dizer... entrar, entrei. Com cautela. Mas saí mas rápido que uma bala...
 
A técnica lá veio atrás de mim e a tentar convencer-me como se tratasse de uma criança de 2-3 anos, (só me faltava oferecer um "chupa"), e não de uma adulta que está a menos de uma semana de completar 49 anos de idade, que já teve duas filhas e duas intervenções cirúrgicas no curriculum.
 
"Gabo" a paciência da técnica e da colega que se viu obrigada a fazer de "mãezinha" enquanto me tiravam o sangue e agradeço o facto de nenhuma das minhas filhotas saber a triste figura que a mãe faz quando vai fazer um exame perfeitamente rotineiro.
 
Tristeza "Ni Maria"...tristeza.... 
 
 
 
 

segunda-feira, 3 de março de 2014

E a semana começa assim...


Imagem da net


"A recordação é o perfume da alma.
 É a parte mais delicada e mais suave do coração,
que se desprende para abraçar outro coração
e segui-lo por toda a parte"
George Sand


Só que, a maioria das vezes, optamos por esquecer.
 
Porque queremos esquecer.
Porque, se assim não for, ficámos presos ao passado.
E temos que viver o presente.
Já Robson Fernandes dizia que "quem vive do passado, deixa de viver a alegria do presente e perde a esperança do futuro"!
Mas, quantas vezes, o passado é o melhor refúgio para enfrentarmos o presente.
Talvez porque temos que entender o passado antes de avançar.
Talvez porque, muitas vezes, é a ânsia de recuperarmos o passado que nos faz viver o dia-a-dia...
E nesta altura dirão: " Ni, que raio de post para uma segunda-feira carnavalesca"!
E eu direi: "Que querem? Para além de ter visto o meu FCP bater no fundo e de ter estado toda a noite a ver a entrega dos Óscares, (vício de muitos anos), ainda tenho que constatar que pertenço aos 10% de trabalhadores da empresa que não se lembrou de meter um dia de férias".
Mas não perdi a parvoíce do romantismo e a música de hoje é mesmo daquelas bem lamechas. Os senhores "Air Supply".

 

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso