segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Parabéns...



Por ainda conseguirmos ser humanos...






Para sempre...




Hoje fiquei em casa sozinha e tenho aproveitado para arrumar papéis que se foram acumulando com o passar silencioso dos dias.

Entre os papeis está uma das melhores prendas que recebi no ano passado. Uma mensagem num postal de natal.

Uma mensagem que dei como uma certeza para sempre.

Mas o que é isso de "para sempre"? Algo imutável? Uma certeza irrefutável e infinita?

É que hoje aquela certeza não passa de uma simples mensagem escrita. De uma intenção que não se concretizou.

Ou ter-se-á concretizado e, hoje, não passa de um simples recordação?


Mas está escrito "para sempre". Tenho a certeza. Terá sido um erro de escrita? Uma mentira?


Penso que não...

O "para sempre", independentemente das mudanças e da transposição silenciosa dos dias, apenas significou "para sempre na memória"...



E como hoje estou numa de recordações, aqui fica um texto de Vinicius sobre a amizade. Não aquela amizade que fica na memória mas aquela que cresce todos os dias...


"Preciso de um amigo para não enlouquecer, para contar o que vi de belo e triste durante o dia, dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade.

Deve gostar de ruas desertas, de poças d´água e de caminhos molhados, de beira de estrada, de mato depois da chuva, de se deitar no capim.

Preciso de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já tenho um amigo.

Preciso de um amigo para parar de chorar. Para não viver debruçada no passado em busca de memórias perdidas.

Que bata nos ombros sorrindo e chorando mas que me chame de amigo, para que eu tenha consciência de que ainda vivo."

Vinicius de Moraes





Os Homens...



" Os homens bons, são feios.
Os homens bonitos, não são bons.
Os homens bonitos e bons, são gays.
Os homens bonitos, bons e heterossexuais, estão casados.
Os homens que não são bonitos, mas são bons, não têm dinheiro.
Os homens que não são bonitos, mas que são bons e com dinheiro, pensam que só estamos atrás de seu dinheiro..
Os homens bonitos, que não são bons e são heterossexuais, não acham que somos suficientemente bonitas.
Os homens que nos acham bonitas, que são heterossexuais, bons e têm dinheiro, são covardes.
Os homens que são bonitos, bons, têm dinheiro e graças a Deus são heterossexuais, são tímidos e NUNCA DÃO O PRIMEIRO PASSO!
Os homens que nunca dão o primeiro passo, automaticamente perdem o interesse em nós quando tomamos a iniciativa.


AGORA...
QUEM NESSE MUNDO ENTENDE OS HOMENS?

Moral da História:

Homens são como um bom vinho. Todos começam como uvas, e é dever da mulher mantê-los no escuro até que amadureçam e se tornem uma boa companhia para o jantar!"


domingo, 29 de novembro de 2009

A época do Natal começou...


Aproximámo-nos, a passos largos, da época a que decidimos dar o nome de Natal.

Quem me conhece sabe que esta, assumidamente, é a época que eu mais valorizo.

Já o disse aqui: tem sido no Natal que tenho perdido pessoas bem importantes para mim. E, ao contrário do que seria previsível, faço questão de viver cada Natal como se fosse o último.

Gasto tempos infinitos nos preparativos, desde a decoração da casa até à compra das prendas. Faço questão de embrulhar cada uma das prendas que dou para que um pouco de mim esteja lá.

Mas vejo o Natal como a época dos afectos.

O que nós somos e o que sentimos reflecte-se nesta época.

E eu gosto das pessoas. Confio nas pessoas.

Tenho muitas desilusões? Claro que sim. Mas prefiro ter desilusões do que perder a fé no ser humano.

Por isso, “dou-me” em todas as relações. E, também por isso, gosto de ter os meus amigos junto a mim nesta época.

Este ano vou ter que gerir algumas perdas que ocorreram ao longo destes últimos meses. A minha família está mais pequena e o meu círculo de amigos ficou menor.

Mas este ano alguns amigos fizeram questão de passar o Natal comigo.

E sei que outros que não estarão presentes, estarão comigo em pensamento.

Porque o Natal é isso mesmo: está no tempo e no lugar onde nunca imaginaríamos. Muitas vezes, na mais longínqua solidão e no canto mais escuro, assiste-se à magia da claridade que só os afectos nos transmitem.

Talvez por isso, para mim, o Natal é todos os dias e no mês de Dezembro limitámo-nos a pensar um pouco mais sobre a magia dos afectos...

É como um regresso a casa...uma viagem até ao nosso íntimo e às nossas memórias...






sexta-feira, 27 de novembro de 2009

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

As mentiras de acordo com o sexo!



Ora, considerando que a mulher é como o vinho do Porto, isto é, quanto mais velha melhor vai ficando, torna-se óbvio que a mentira do homem é muito mais traiçoeira e grave...

A mulher, essa, é sempre aquela que é demais...




Qual é o maior defeito da mulher?




O maior defeito da mulher é o homem
Júlio Dantas

Júlio, não sei se já te disse que és quase tão inteligente como as mulheres...

Hoje vamos falar de um tema bastante sério: vamos falar de sexo...

E hoje começamos por falar de um problema que afecta profundamente as mulheres... e sem cura à vista...

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Depois do prazer...



Hoje, ao arrumar uns documentos descobri um postal com a dedicatória que Alcione me fez quando a entrevistei para o programa de rádio que tinha.

Do espectáculo no Coliseu do Porto (já lá vão mais de 20 anos), recordo-me da sua interpretação neste tema (atenção, impróprio para quem não é romântico):



Oração para os incautos em matéria de amizade e amor...


Voltamos ao consultório sentimental para ajudar o L. que me mandou um mail pedindo a minha (nossa) opinião sobre qual a melhor forma de esquecer uma pessoa.



Como sou solidária, criei uma pequena oração que ele deve dizer, em sinal de penitência, durante um bom par de anos...






Peço a alguém

que afaste os males de amor

para o pólo norte e aí fiquem congelados


Sou forte e sei que vou esquecer

a dor que agora sinto

e que as feridas vão sarar...


Prometo nunca mais cair em tentação

e gostar de quem não merece




Se acredito na oração? Não.

O mais certo é caíres na mesma esparrela...

Mas sonhar que é possível esquecer uma dor ainda é de borla...

Vocês que são todos optimistas vão já dizer que é possível esquecer alguém enquanto se toma um duche frio...



Fosga-se...É homem! Está tudo dito


Que este gajo consegue incomodar tanto como o meu chefe quando chama por mim... (esta tem direitos de autor...)!!!


Coitada da criancinha...


Mas dos homens não se pode esperar muito mais...

video


Romantismo 2



"Não existe amores impossíveis,
e sim pessoas incapazes de lutar por seu grande amor."
(Anónimo)


Meus queridos, hoje preciso que levantem a minha moral (sempre é mais fácil do que levantar os meus 70 Kg de gordura).

Vamos lá... Comecem a elencar actos de verdadeiro romantismo.

E se alguém quiser ter um acto de romantismo para comigo...agradecida!

Entretanto, vou fazer de conta que estou a dançar este tema bem agarradinha...

Hoje estou para aqui virada!






terça-feira, 24 de novembro de 2009

Remorso?


O remorso é a única dor da alma,
que nem a reflexão nem o tempo atenuam.
Madame de Stael

Sempre defendi que quando tomámos qualquer decisão que tenha sido devidamente ponderada, não há lugar ao arrependimento e, concomitantemente, ao remorso.

E quando é que devemos considerar que uma decisão foi devidamente ponderada? Na minha opinião, quando, independentemente das consequências e do tempo que passou, não nos arrependemos da decisão que tomámos.

Recordo-me quando uma amiga minha me perguntou como é que sabia que estava pronta para iniciar a sua vida sexual. Respondi-lhe na altura que ela estaria pronta quando conseguisse responder a três questões: se gostava da pessoa, se era com ela que queria que fosse a primeira vez e se tinha a certeza que, independentemente da relação continuar ou não, nunca se arrependeria da sua decisão. Ela olhou para mim e disse que eram muitas questões. Talvez. Mas, para mim, era a diferença entre uma decisão devidamente ponderada ou uma decisão impulsiva.

Quando afirmámos que não nos arrependemos daquilo que fazemos é porque assumimos que todos os nossos actos/decisões foram, na nossa perspectiva, os melhores face às circunstâncias que os rodearam.

Mas, independentemente desta nossa convicção que se baseia naquela minha máxima de vida "nunca chores por aquilo que fizeste, mas por aquilo que poderias ter feito", pergunto: alguma vez sentiram remorsos de alguma decisão que tomaram? Mesmo que a vossa decisão tenha tido a melhor das atenções?

Ou será que tudo reside no medo de assumir que erramos e, pior ainda, não gostamos de dizer uma simples palavra: "desculpa-me".

É o desafio para hoje.

O confessionário está aberto.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Para resumir...




Filha mais nova com gripe.
Aspecto positivo: pelos vistos, mãe e pai são imunes;
Aspecto negativo: mãe teve que ir trabalhar e o pai é que ficou em casa.

Filha mais velha no hospital.
Aspecto negativo: o pai está numa reunião, a mãe a 45 Km de distância sem transporte. A mãe está à beira de um ataque de nervos porque apesar da filha ter quase 21 anos, queria estar à beira dela.
Aspecto positivo: o namorado da filha é um querido e não sai da beira dela, para além de manter a mãe informada.

Amanhã bem cedo, chefe da mãe à porta de casa para irem até Coimbra para uma reunião de trabalho.

Mãe a precisar URGENTEMENTE de férias!!!

Nota: A mãe meteu um dia de férias para gozar um fim-de-semana prolongado. O chefe não sabe e quando souber vai ter um ataque de caspa... A mãe está-se a borrifar. Há bons champôs à venda no mercado que deixam o cabelo limpo e saudável...







Até é inteligente...


Finalmente as 3 quarentonas e a cinquentona conseguiram estar juntas no almoço e, obviamente, saiu asneira...

A propósito de uma das quarentonas estar a namorar com um giraço de 32 anos, falava-se de atributos masculinos.

Eis o diálogo:

A quarentona sortuda:
- Ele tem 32 anos mas aparenta ter mais idade pelo que não se nota os 9 anos de diferença.

A quarentona que é casada com um gajo mais velho mas que aparenta menos idade:
- É verdade o meu ontem passou a ferro.

A primeira quarentona:
- Estás a ver? Ainda te queixas.

A cinquentona:
- Vocês já viram o cu daquela colega? Ainda dizem que é jeitosa...

A tal que parece mais velha:
- Bom, isso não sei. Apenas posso dizer que o meu marido até tem um cu jeitoso.

A quarentona que tem sempre muito cuidado com o que diz:
- Ai o meu tem tudo perfeito. Até é inteligente, vejam só....

O que eu gostava?




De voltar à idade da inocência.



À idade em que cada dia é um recomeço e uma aprendizagem.


À idade em que gostamos porque sim.


À idade em que os sonhos são a realidade que queremos alcançar.


À idade em que o nosso melhor amigo nos dá a mão sem a pedirmos.


À idade em que o nosso olhar é puro.


À idade em que o sorriso é genuíno.


À idade em que as desilusões não existem.




domingo, 22 de novembro de 2009

Perspectivas até aos 56 anos...


Na minha empresa vai haver uma reestruturação de serviços e consequente novo organograma.

Como sabem, o organograma de uma empresa não é mais do que um esquema representativo da organização de uma empresa onde se identificam as ligações horizontais de comunicação/informação e as verticais de chefia.

Mas na minha empresa o organograma assumiu uma nova vertente pelo que o poderíamos denominar como "organograma de taxos" porquanto não é elaborado a pensar na empresa e nos objectivos que pretende alcançar mas, isso sim, nas pessoas que têm de ocupar os lugares de chefia.

Apesar de algumas expectativas de que, finalmente, ao fim de quase 25 anos de serviço, o meu trabalho seria reconhecido, ainda não é desta que me vão dar uma "pancadinha" nas costas e dizer: " - Parabéns, os seus esforços e trabalho foram reconhecidos".

Considerando que na minha empresa ocorre uma reestruturação de serviços de 12 em 12 anos, poderei afirmar com toda a certeza que até perfazer 56 anos as minhas perspectivas de subir na carreira e, concomitantemente, de ver os meus bolsos reforçados com mais alguns euros, são nulas.

Só me resta que até lá tenha direito aos aumentos de 1 e 1.5% por cento que, uma vez por outra, lá se lembram de atribuir....



E agora vou terminar de fazer o presépio para não pensar em coisas tristes...

sábado, 21 de novembro de 2009

A verdadeira NI? Ou talvez não...

Estava para ir directamente para a cama porque hoje as limpezas ocuparam-me todo o dia e estou cansada.

Mas decidi abrir a minha caixa de correio para ver se tinha algum mail. Tinha vários mas um em particular chamou-me a atenção.

Uma amiga de longa data que acompanha o meu blogue, mas que nunca comentou, questionou-me porque razão eu persistia em esconder os meus verdadeiros sentimentos.

Recordou-me a conversa que tivemos há dois anos atrás sobre o mesmo assunto.

S., porque estou cansada e sem vontade de escrever, limito-me a fazer “copy/past” do post que coloquei depois daquela nossa conversa.

Só espero que daqui a dois anos não venhas com a mesma lengalenga até porque o mais certo é este blogue já não existir.

E para aqueles que frequentam esta sala de estar há pouco tempo, aqui fica um pouco da verdadeira “NI”:

“Esta manhã uma amiga manifestou o seu desagrado pelo facto de eu não demonstrar a minha verdadeira personalidade no que escrevo.

Para fundamentar a sua conclusão alegava que era perita em esconder sentimentos e/ou a demonstrar sentimentos contraditórios. Isto é, quando demonstro boa disposição e me entretenho em fazer os outros rir – quiçá com as minhas palhaçadas – é quando estou mais em baixo. Quando está tudo bem comigo, sou mais reservada.

Muito bem, nada melhor para começar o dia do que uma análise aos meus sentimentos.

Bom, a minha primeira reacção foi dizer que ela estava errada.


Como se não bastasse a crítica que me fez, ainda me obrigou a fazer uma série de testes de personalidade.

Para evitar discussões acedi a fazer os tais testes que, diga-se em abono da verdade, têm questões verdadeiramente surrealistas.

Devo confessar que fiquei um pouco perplexa com alguns dos resultados, admitindo, contudo, identificar-me com alguns deles.

Para não me acusarem de esconder o meu verdadeiro “eu”, para o bem e para o mal, eis o que os resultados ditaram:

  • Tendência a ser uma pessoa pessimista;
  • Falta de autoconfiança (isto está bonito);
  • Gosto de fazer amigos, mas não tomo a iniciativa de fazê-los, pois prefiro ser abordada e solicitada;
  • Quem se aproxima de mim é bem recebido;
  • Tenho medo de ser rejeitada;
  • Os outros vêem em mim uma personalidade empolgada, e impulsiva, um líder natural, que é rápida para tomar decisões, apesar de nem sempre serem correctas, corajosa e aventureira;
  • As pessoas gostam de estar na minha companhia (está melhor, mais um bocadinho e sou a mulher perfeita) por causa do entusiasmo e da confiança que transmito (estamos entendidos, tenho falta de confiança mas consigo transmitir aos outros?!?!?!?);
  • Todos me procuram, porque não sou maçadora (só para mim);
  • Sou diplomática e meço as palavras antes de soltá-las ao vento e ferir as pessoas (isto é verdade);
  • Sou alegre e romântica (olha a novidade), e apego-me às pessoas com facilidade. Não tenho dificuldade em manter os amigos, pois sou muito fiel. Todo mundo gostaria de ter uma amiga como eu: prestativa e disposta a ajudar a qualquer hora do dia ou da noite (pois....). Faço tudo o que posso para ajudar o próximo e às vezes dou-me mal por causa disso (isto é capaz de ser verdade).

Bom, e esta, pelos vistos, sou eu.

Para o bem e para o mal.”


É verdade, a parte de ajudar a qualquer hora do dia e da noite? Esqueçam....vou para a cama que estou estourada e o telemóvel está desligado...

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Porque hoje estou numa de recordar...




Para este fim-de-semana deixo-vos com o mesmo pensamento que coloquei à dois anos atrás.

"Há pessoas que nos falam e nem as escutamos,
há pessoas que nos ferem e nem cicatrizes deixam
mas há pessoas que simplesmente aparecem em nossas vidas
e nos marcam para sempre."


Cecília Meireles


Um bom fim-de-semana para todos...


E para quem tiver tempo para dar umas boas gargalhadas, aqui fica um vídeo. Divirtam-se...



video


Esquecer...



Adorava esquecer...


Esquecer aquilo que teimo em não esquecer.


Esquecer aquilo que teima em não desaparecer.


Será que tenho que esperar pela velhice para conseguir?



quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Obrigado a todos...



É um número como outro qualquer.

Mas é bom saber que esta sala de estar, mesmo por breves instantes, recebeu tanta gente.

Já agora, a visita n.º 50 000 foi brasileira.

Obrigado a todos...


E este tema é em homenagem à selecção:





Excesso de peso...


O primeiro estudo feito a nível nacional sobre obesidade concluiu que quase 52 por cento dos portugueses tem excesso de peso.

Porreiro, tinha que estar com a maioria naquilo que menos interessa.

Alerta da Direcção Geral de Saúde...




" Se , apenas limpando as mãos com álcool, se elimina o risco do vírus da Gripe A, ingerindo bebidas alcoólicas, então, ele nem se aproxima!!!"


Todos ao bar fazer profilaxia!

Aos abstémios: façam um esforço, é uma questão de saúde pública!

Mãe desnaturada...


Esse foi o epíteto com que a minha filha mais nova me presenteou.

Vamos aos factos:
Quer ela, quer eu, temos o bonito hábito de gostar de andar descalças.

Até aqui, tudo bem...
Agora, eu não sou doida para andar aos pontapés às paredes!!!

Tenho lá culpa que ela tenha mandado o pé contra a parede do quarto.

A parede, coitada, estava quieta. Não se mexeu nem se meteu com ela. Ela é que mandou o pé contra ela.


Ora, continuando, isto foi no domingo. Olhei para o dedo mindinho e estava pisado. Decisão: colocar o dedo em água fria e um pouco de "trombocid".

Segunda-feira, continua a queixar-se. Vamos ao hospital da Arrábida porque tínhamos conhecimento que o hospital Santos Silva estava a abarrotar com a nova moda: a Gripe A.

Chegados ao hospital...tudo cheio. Não aceitavam mais marcações.
Mais um dia a trombocid.

Terça-feira, já não sentia tantas dores e o inchaço desaparecera. Entretanto, de partida para Vidago, os conselhos maternais para que colocasse à noite o pé em água fria.


Quarta-feira, 15.00 horas, de regresso de Vidago e perto das portagens da Maia, toca o telemóvel: "Mãe, tenho que ir ao hospital. Não aguento as dores". Olho para a minha cara-metade que com o olhar (efeito de estarmos juntos há 23 anos) me diz que a leva ao hospital.


Quarta-feira, 20.30 horas, pai e filha vêm-me buscar ao trabalho.

- "Então fofa? O que disse o médico?"
- "Mãe desnaturada. Tenho o dedo partido...."

Quinta-feira, 7.15 horas: - "Então filhota? Dormiste bem?"

Com o longo cabelo à frente dos olhos, nem olhou para mim. Apenas disse:

- "Não falo contigo..."

Quase que aposto que quando lhe voltar à ideia aquelas sapatilhas da Adidas que custam um absurdo, ela vai-se agarrar ao meu pescoço e dizer que sou a melhor mãe do mundo. Ou não fosse ela balança...

Na vida é tudo relativo...


Ao fim da tarde, um ginecologista aguarda a sua última paciente, que não chega.

Depois de 30 minutos de espera, ele supõe que ela já não virá e resolve tomar um gin tónico para relaxar antes de voltar para casa.

Instala-se confortavelmente num maple e começa a ler o jornal, quando toca a campainha.

É a paciente que chega, toda esbaforida, a pedir desculpas pelo atraso.

-Não tem importância - responde o médico. Olhe, eu estava a tomar um gin tónico enquanto a esperava. Quer um também, para relaxar um pouco?

-Aceito com prazer - responde a paciente, aliviada.

Ele serve-lhe um copo, senta-se na sua frente e começam a conversar sobre banalidades.

De repente, ouve-se um barulho de chave, na porta do consultório. O médico tem um sobressalto, levanta-se bruscamente e diz:

-A minha mulher!...... Rápido, tire a roupa e abra as pernas!

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Sinceramente...



Estava a contar com uma derrota!

Hoje os meninos portaram-se bem.

Só vi o jogo depois do golo porque o meu coração está primeiro...


Nota: E, uma vez mais, coube a um jogador do FCP marcar o golo.

O telemóvel...


Já aqui afirmei que não sou, de todo, dependente do telemóvel. Encaro-o como uma ferramenta que pode ser, eventualmente, útil.

Mais, ainda, faz-me uma imensa confusão (para não dizer "nervoso miudinho"), ver pessoas com dois ou mais telemóveis e manterem-se ocupadas com os mesmos horas e horas.

Mas passemos à frente...

Um dos problemas com que me deparo sempre que vou a Vidago é a dificuldade de comunicar via telemóvel.


Tentei mandar uma mensagem ao chefe para lhe transmitir uma informação importante. Resultado: Pendente!!!

Tentei falar com as minhas filhas para saber se estavam bem dado que não me acompanharam. Resultado: Indisponível!!!

A verdade é que acabei de chegar ao meu local de trabalho e a mensagem que mandei ao chefe deve estar presa no trânsito porque ainda não chegou.



Mas, por falar no telemóvel ocorreu-me um pensamento:

Já pensaram que telemóveis é o único tema em que os homens se gabam de ter o mais pequeno?

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Sinceridade acima de tudo...


Porque a sinceridade é a base de qualquer relação...

Esta é dedicada ao JP...


" Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra, é bobagem.
Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela...

Um dia nós percebemos que as mulheres têm instinto "caçador" e fazem qualquer homem sofrer ...

Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável...

Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples...

Um dia percebemos que o comum não nos atrai...

Um dia saberemos que ser classificado como "bonzinho" não é bom...


Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você...


Um dia saberemos a importância da frase: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas..."

Um dia percebemos que somos muito importante para alguém, mas não damos valor a isso...

Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas ai já é tarde demais...
Enfim...

Um dia descobrimos que apesar de viver quase um século esse tempo todo não é suficiente para realizarmos
todos os nossos sonhos, para beijarmos todas as bocas que nos atraem, para dizer o que tem de ser dito...

O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutamos para realizar todas
as nossas loucuras... Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação.

Mário Quintana

Adeus colega da sueca...

Não tinha um feitio fácil.

Mas sempre tive tendência para gostar de pessoas complicadas. Talvez porque eu própria seja complicada. Ou, simplesmente, como dizia o meu pai, tenho a capacidade de ver apenas o que as pessoas têm de bom.

Na verdade, sempre tive uma óptima relação com um dos meus parceiros da sueca. Sempre que o seu mau feitio começava a aflorar eu olhava para ele com um sorriso e dizia um disparate qualquer que o fazia retroceder.

Morreu sexta-feira em França onde foi tentar ultrapassar uma doença que desde Agosto o debilitava.

Hoje, ao final do dia, irei até Vidago para me despedir do meu colega da sueca mas, acima de tudo, do homem que sempre me respeitou.

A lembrança que retenho é o sorriso com que ele me recebia quando chegava cansada da viagem e me apertava contra o peito com aqueles braços duros do trabalho do campo, mas suaves no afecto que sei que tinha por mim...

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Pensamento da semana...


"Eu não me importo de vir trabalhar...
...Mas ter que esperar 7 horas pra voltar pra casa é demais."

Esta é especialmente dedicada às meninas que sobem profissionalmente à custa de tudo menos do trabalho e aos meninos que têm poder decisório e que gostam de se fazer rodear de incompetentes.

A posição de sentada é só para despistar...

Ah, é verdade: estou a ser boazinha...




Este é um pedido a todos os amigos...

Infelizmente, pelo facto de ser portadora de uma doença auto-imune não posso ser dadora.


O pedido é para quem seja da Área Metropolitana do Porto e possa ser dador (a), perca um pouco do seu tempo e contribua nesta iniciativa.


Trata-se de um jovem, filho de uma colega de trabalho, que já perdeu o pai há pouco tempo com o mesmo problema.


Tiago, estou convicta que entre nós alguém te vai ajudar a sorrir de novo...


Obrigado a todos os que possam colaborar!


E aqui ficam os dados:

“Ser dador de Medula é antes de mais uma intenção de salvar alguém.”

DOE MEDULA. SALVE UMA VIDA.
CAMPANHA PARA INSCRIÇÃO DE DADORES DE MEDULA ÓSSEA

17 de Novembro | ICBAS-UP
Quem pode ser dador?


Todas as pessoas saudáveis, com idade entre 18 e 45 anos e peso superior a 50 kg
Para mais informações contactar AEICBAS
Tel: 223389251 | E-mail:geral@aeicbasup.pt

As três coisas sagradas...


Só havia três coisas sagradas na vida:

a infância, o amor e a doença.

Tudo se podia atraiçoar no mundo,

menos uma criança, o ser que nos ama e um enfermo.

Em todos esses casos a pessoa está indefesa.
Miguel Torga


Será que a traição nas outras situações é admissível?


Mais ainda, quem ama é um ser indefeso?


Boa semana...



domingo, 15 de novembro de 2009

Mentira caridosa...




- Ainda pensas nele?

- Todos os dias sinto a falta dele...

- Sabes? Tenho a certeza que ele também sente a tua falta.

- Achas?

- Não acho. Tenho a certeza...

As incertezas e a indiferença doem! Bastante.

Mesmo que por breves momentos, fazer regressar o brilho aos olhos de alguém é gratificante.

Mesmo que seja através de uma mentira.

Porque quem abandona sem nada dizer;

Quem manifesta indiferença perante a dor de alguém;

Quem prossegue a viagem da vida abandonando alguém na rua depois de o ter atropelado, sem sequer ter saído do carro e oferecido a mão para ajudar a levantar... Não pode pensar em ninguém a não ser em si próprio.

Mas a mentira valeu por aquele sorriso no olhar que há tantos meses estava apagado...apesar daquela pequena lágrima que teimosamente aflorou...

"It's so easy to break a heart
It's so easy to close your eyes"





Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso