sábado, 31 de outubro de 2009

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Pensamento para o fim-de-semana




Se tens medo da solidão, não te cases
Anton Tchekhov



Comentem e, bom fim-de-semana

Desafio...



Este fui "sacar" descaradamente aqui que me mandou para aqui .


Obviamente, como portista que sou, só podia dar azul.


Aqui fica o resultado:




Entra e sai...



Tentei encontrar uma imagem que transmitisse a ideia de entrar e sair mas...nem vos digo o que fui encontrar...


Quando, na verdade, este post apenas pretende esclarecer que não desapareci e que só estou à espera de ficar sozinha no gabinete.


É que quando o meu colega está, eu saio. Quando ele sai, eu entro.


Se não fosse ridículo eu diria que estávamos numa de sedução.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Como escolher um homem menos mau...Lição n.º 4




E eis que chegámos à penúltima lição deste curso intensivo.

Como é que sabemos que um homem é menos mau?

1. Tem que ser verdadeiro e realista. Isto é, ter uma forma realista de lidar com o trabalho, as contas, as pessoas. Não quererá conquistar o mundo como D. Quixote, mas desejará ser o melhor que pode e sabe.

2. Não será nem dependente, nem dominador. Quererá, isso sim, uma relação de partilha.

3. Não usa nem manipula a mulher mas respeita-a pelo que a sua sedução é algo natural e nunca ensaiada e falsa.

4. Quer que a mulher se sinta feliz. Ajuda-a a alcançar as suas metas com apoio e nunca com controlo.

5. Sabe escutar quando a mulher fala porque não é egocêntrico.

6. É honesto nos seus afectos, nos seus medos e nas suas necessidades.

7. Quer ter uma relação sólida e comprometida e adopta um estilo de vida que reflecte ausência de medo em se comprometer num vínculo permanente.


Minhas queridas, como é fácil de concluir, e salvaguardando as excepções previstas na lição n.º 3, é impossível reunir num só homem estas qualidades.

Desta forma, e porque seria impensável deixar as minhas amigas frustradas, na última lição darei as dicas para formar um homem como deve ser, porque a última coisa que eu desejo é que vos aconteça isto...





O que fazer...



Quando sentimos a falta de alguém?

Quando a saudade, em vez de amenizar, vai aumentando?

Quando nos sentimos perdidos sem a sua presença?

Quando precisamos de saber que mesmo no silêncio somos por ela entendidos?


"...Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas a amada já...
Saudade é amar um passado que ainda não passou,
é recusar um presente que nos machuca,
é não ver o futuro que nos convida...
Saudade é sentir que existe o que não existe mais...
Saudade é o inferno dos que perderam,
é a dor dos que ficaram para trás,
é o gosto de morte na boca dos que continuam...
Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
aquela que nunca amou.
E esse é o maior dos sofrimentos: não ter por
quem sentir saudades, passar pela vida e não viver.
O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido..."

Pablo Neruda

Esta é para ti...


Alguém disse:

"... é na ausência que descobrimos os afectos. Porque a ausência nos diz a quem fizemos falta... quem verdadeiramente se preocupa connosco, enfim, para quem somos verdadeiramente importantes".


Victor.

Tu és verdadeiramente importante para mim.

Não és apenas o meu ex-cunhado. És meu amigo.

Obrigado por isso.

Parabéns.


Peço desculpa por este post não estar aberto a comentários.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Como escolher um homem...menos mau...Lição n.º 3



Evitar os homens que:


1. Te fazem sentir pior do que já estás;

2. Começam com aquele argumento falacioso de "preciso mais de espaço";

3. Têm mais esposas e amantes do que os sapatos que tens vindo a coleccionar ao longo dos anos;

4. Têm mais credores que amigos;

5. Estão sempre a falar da ex (apesar de garantir que a odeia).


E eis que vemos reduzido o grupo de escolha a uns míseros 2,5%.


Na próxima lição vamos aprender a descobrir estas aves raras....


É óbvio que os princípios enunciados até ao momento não se aplicam quando se depararem com este homem...



ou este!!!


Só para dar dois exemplos.

Nestes casos, e só nestes casos, o conselho que dou é mandarem o bom senso às urtigas!!!

Definitivamente....



Mais um defeito a juntar aos muitos que já tenho: não nasci para PARASITA.

Desde que cheguei já li um livro e já joguei ao solitário.

Alguém tem mais ideias para fazer passar o tempo até cerca das 19.00 horas?


Nota 1 - O meu gabinete mais parece uma pocilga com pastas e dossiers pelo chão;

Nota 2 - O meu parceiro está muito calmo. Ainda não consegui decidir se é por ter medo de mim;

Nota 3 - O trabalho está a avolumar e vou gostar de saber como tudo isto vai terminar. Como quem se lixa sempre é o mexilhão, temo que isto vá acabar muito mal!

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Como escolher um homem...menos mau...



Toda a mulher inteligente sabe que o homem ideal não existe. Muito menos o príncipe encantado.

Mas, perguntar-me-ão: no meio desta desgraça não há um homem que se aproveite?

Hoje dá-se aqui início a um curso intensivo de como arranjar um homem menos mau.


Lição n.º 1:

Homens a evitar:

  • Todo aquele que seduz qualquer rabo de saia;
  • Todo aquele que foge dos compromissos como o "diabo foge da cruz";
  • Todo aquele que escolhe o melhor restaurante da cidade e, no final, com um sorriso no rosto afirma que se esqueceu da carteira;
  • Todo aquele que bebe como se fosse morrer amanhã;
  • Todo aquele que presta mais atenção ao que passa nas mesas ao redor que em ti;
  • Todo aquele que só sabe falar de si mesmo, manifestando completo desinteresse sobre a tua vida e os teus interesses.
Chegados aqui, facilmente chegamos à conclusão que já foram excluídos à partida cerca de 90% da população masculina.

Na segunda lição iremos ver como tratar dos restantes 10%.


A verdade alivia, ou magoa?


Miguel de Cervantes afirmou:

" A verdade alivia mais do que magoa.
E estará sempre acima de qualquer falsidade
como o óleo sobre a água.
"

O desafio é saber se será sempre assim.

Haverá alguma situação em que vocês prefiram desconhecer a verdade?

E quando sabem que a "vossa" verdade vai fragilizar, ainda mais, outra pessoa? Utilizam a "mentira piedosa"? Já a utilizaram? Em que situação?

Ou, independentemente das consequências usam sempre da verdade?



Resumo...Para evitar dizer asneiras

1 - A minha filha virtual passou a noite em minha casa. Iremos almoçar juntas antes de ela ir gozar umas merecidas férias.

2 - Já tenho companheiro de quarto. Pediu-me para não lhe fazer a vida negra?!?!?!?!?!?

3 - Veio a chefe do meu companheiro de quarto pedir-me para não lhe fazer a vida negra?!?!?!?!?!?!

4 - Se mais alguém vem ter comigo a dizer a mesma coisa acho que lhe mando qualquer coisa à cabeça.

sábado, 24 de outubro de 2009

Privilegiada? Não! Uma vencedora...


Não te julgues um “incompreendido”, porque todos o somos. Dizeres-te incompreendido é supores-te privilegiado, com direito à compreensão alheia. Não te digas incompreendido. Vê antes se te compreendes a ti.

Virgílio Ferreira, in Pensar


Por opção, aproveitei a minha estadia em Bragança para estar algumas horas sozinha. Precisava de reflectir sobre tudo o que se tem passado nos últimos meses.

A necessidade que eu sempre tive de encontrar fundamentos e razões para tudo o que me acontece impede-me, muitas vezes, de relativizar o que é, de facto, importante e de fechar capítulos na minha vida.

Já o disse muitas vezes, este último ano terá sido o mais difícil para mim. Em termos pessoais, familiares e profissionais. O exercício que tentei fazer foi no sentido de saber até que ponto eu era responsável por tudo o que me aconteceu. Quem me conhece sabe que me entrego por inteira a tudo o que faço, vivo e sinto. Talvez por isso sinta as perdas de uma forma peculiar.

Mas, uma coisa é perder.. Outra coisa, bem diferente, é tentar encontrar razões e fundamentos quando não existem. A vida demonstra-nos que muitas coisas acontecem só porque têm de acontecer. Independentemente de contribuirmos, ou não, para um determinado resultado.

Nesta viagem pela minha própria incompreensão da vida cheguei à conclusão que por muito que façamos há sempre o incerto e o imponderável. Variantes para as quais não há justificação.

Não é importante saber porque perdemos. O importante é saber que perdemos. Sem drama. Sem subterfúgios.

Quiçá, por pura ironia, se conclua que enquanto perdedores saímos vencedores na arte de viver a vida de forma intensa.

Não tenho que me envergonhar por viver de forma intensa os meus afectos e as minhas emoções, porque é essência daquilo que sou. É isso que me individualiza enquanto ser humano. É assim que gosto de ser.

Talvez por isso, estou preparada para enfrentar a perda que, soube hoje, vou ter que enfrentar segunda-feira.



terça-feira, 20 de outubro de 2009

As palavras estão gastas...



A partir de amanhã e até sábado estarei em Bragança em trabalho.

Esperam-me dias cansativos mas a boa companhia e o programa nocturno que este ano destinaram para os congressistas vão permitir que relaxe um pouco destas últimas semanas.

E, já agora, vejam se limpam o pó a esta sala de estar de vez em quando.

Amanhã de manhã deixo a chave debaixo do tapete para vocês entrarem.

Em cima da mesa está um chocolate para o meu querido amigo Calvin que amanhã faz anos.

Para os outros deixo um livro de poemas de Eugénio de Andrade.

Se quiserem ouvir música, é só ligar o aparelho que está no móvel da direita.

Fiquem bem. Vou ficar a pensar em vocês.


Às vezes tu dizias:
os teus olhos são peixes verdes!
E eu acreditava.
Acreditava, porque a teu lado todas as coisas eram possíveis.
Mas isso era no tempo dos segredos.
Era no tempo em que o teu corpo era um aquário.
Era no tempo em que os meus olhos eram os tais peixes verdes.
Hoje são apenas os meus olhos.
É pouco, mas é verdade.
Uns olhos como todos os outros. J
á gastamos as palavras.
Quando agora digo, meu amor...
já não se passa absolutamente nada.
E, no entanto, antes das palavras gastas,
tenho a certeza de que todas as coisas estremeciam
só de murmurar o teu nome no silêncio do meu coração.
Não temos nada para dar.
Dentro de ti não há nada que me peça água.
O passado é inútil como um trapo.
E já te disse as palavras estão gastas.


Ou a virtude de ser cobra...



David Lieberman afirmou:

"Para vencer, não precisa de ser o melhor
ou o mais brilhante,
só tem que fazer as coisas certas".


Devo dizer que concordo inteiramente com esta afirmação.
Apenas acrescentaria àquele pensamento um outro da autoria de André Suarès:


"A baixeza é o meio mais certo de alcançar o êxito"


Olhem à vossa volta. Nunca tiveram esta mesma sensação?


segunda-feira, 19 de outubro de 2009

A travesia no deserto...




Os que ainda têm paciência para passar nesta sala de estar já se aperceberam que tenho andado meia caladita.

Impõe-se uma justificação.

Nos últimos tempos muitas são as pessoas que me têm dito que eu tenho um feitio irascível e/ou insuportável.


Tais afirmações fizeram-me parar um pouco para pensar.

Sinceramente, nunca integrei na minha longa lista de defeitos o feitio difícil e/ou irascível. Pelo contrário.

Sempre me inclui no rol das pessoas que, teimosamente, remam contra a maré. Que não desistem perante as adversidades da vida. Que se levantam tanto mais depressa quanto maior e forte é a queda.

Sempre pensei que só quem deixa de lutar fica amarga por já não ter sonhos e objectivos e viver, apenas e tão só, em função da vida de terceiros.


Será que as perdas pessoais que sofri ao longo dos últimos meses me transformou numa pessoa amarga?

Porque razão? Porque deixei de acreditar? Porque deixei de lutar?


Apenas sei que tenho que tenho que ser eu. Tenho que me encontrar. Tenho que iniciar o quanto antes a minha travessia no deserto... porque eu não sou assim...


domingo, 18 de outubro de 2009

O Desejo...




Se tentarmos definir o desejo verificamos que existem várias noções consoante estejamos no campo da metafísica, da filosofia ou mesmo epistemologia.

Também poderemos analisar o desejo do ponto de visa cultural. O desejo pode assumir diferentes formas de ver e sentir de acordo com a aculturação que sofremos ao longo da vida. Nem todas as culturas assumem o desejo da mesma forma.


Mas Jonathan Swift reduziu a questão de uma forma simples num pensamento que ficou célebre:

"No homem, o desejo gera o amor. Na mulher, o amor gera o desejo."


Será mesmo assim?



Deixa lá...no teu caso também bebia!

Clicar na imagem


É o que dá estar na cama doente.

Já não tenho idade para ter gripe...


sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Análise e prognóstico....


Não dormi toda a noite com a tosse. Se o HN1 é pior do que esta tosse, é bom que não o tenha. Já me dói a garganta de tanto tossir e não há nada que faça esta brincadeira passar.


Mandei os parabéns a uma pessoa. Não respondeu. Provavelmente mudou de número. Ou, então, fez de conta.

Fui comemorar a entrega do trabalho a um restaurante à beira-mar na Póvoa de Varzim. Ementa? Linguado grelhado e batatas à murro. Como estou doentinha portei-me bem e bebi água.

Vou ter uma reunião daqui a pouco e espero que acabe rápido que já não sinto meu corpo. Ainda tenho que ir fazer as compras para a festa de anos da minha herdeira mais nova que amanhã faz 12 anos.

Já agora, acham normal que uma miúda de 12 anos convide para uma festa de pijama 7 rapazes?

Está bem que ela sai à mãe e sempre preferiu ter amigos do sexo masculino. Mas 7?

A verdade é que se conhecem desde os 3 meses de idade e mais parecem irmãos. Assim, e mesmo doente, vou ter amanhã 8 filhos em casa (e isto porque não conto com a mais velha).

Prognósticos? Perguntem-me no domingo como correu...


quinta-feira, 15 de outubro de 2009

O casamento do meu melhor amigo...




Quem passa por esta sala de estar já ouviu falar do filme que terei visto para cima de 50 vezes (eu assumo que tenho problemas no meu 5º piso pelo que evitem qualquer comentário quanto a este ponto).

Hoje pretendo explorar uma das cenas do filme "O casamento do meu melhor amigo". Quem já viu o filme sabe que a história anda à volta de uma mulher que é convidada para madrinha de casamento do seu melhor amigo e que chega à conclusão, nas vésperas da cerimónia, que está apaixonada por ele.

Numa das cenas do filme vimos Michael O'Neal (interpretado por Dermot Mulroney), com dúvidas quanto ao passo que vai dar. Um dos argumentos que ele dá à sua melhor amiga, Juliane Potter (interpretada por Julia Roberts, é que, e ao contrário do que é "normal", nem sequer existe uma música que identifique o amor entre o casal.

Segundo Michael todo o casal que se ama tem que ter a sua música.

Tudo isto para dizer que está lançado o próximo desafio.

Qual é a vossa música?

Antes que me perguntem...aqui vai a minha resposta:

Alguns acontecimentos importantes da minha vida têm associada uma música. Curiosamente, não tenho qualquer música associada à minha relação. Mas, a verdade, é que prescindimos bem da música pois estamos casados há quase 23 anos. Apenas poderá ser um facto curioso se tivermos em conta que conheci o meu marido numa rádio.

Fico a aguardar as vossas músicas...



30...o número mágico!!!


Pelo menos será o tempo que tenho para descansar até que tenha que me debruçar, de novo, sobre o projecto que acabou de ser entregue.

Amanhã é dia de comemoração. Fui convidada para ir almoçar à Póvoa de Varzim e o chefe autorizou que me esquecesse do relógio.

Agora é preparar-me para a minha viagem até Bragança onde, apesar de ter que participar num Colóquio, vai dar para desanuviar um pouco.


Entrei em velocidade de cruzeiro...

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

É só para dizer...




Que estou noutra noitada.

Começa a ser frustrante ter o trabalho concluído e vir um espertinho solicitar alterações de última hora.

Resultado? Bom, uma maratona de reuniões que terminou há cerca de uma hora e a reformulação de todo o trabalho.

Se acabar à hora de ontem já me dou por satisfeita.

Confesso, estou absolutamente estourada...


Adenda às 00.11 horas - Sei que ontem tinha prometido responder a todos vós. Mas, na verdade, o trabalho vai demorar mais tempo do que contava. Como o prazo de entrega do mesmo termina às 10.00 horas pode ser que tenha um momento livre para dar um salto aos vossos blogues e responder aos vossos comentários. Até lá, descansem e sejam felizes...





Desafio...


O grupo de trabalho era constituído por duas miúdas simpáticas, afáveis, amáveis, inteligentes, jeitosas (ou "podres de boas") e Sir Lancelot.

Já passava da 1.30 da manhã quando decidem parar de trabalhar.

Sir Lancelot, fazendo apanágio de bom pai de família, vai direitinho para casa.

As duas miúdas decidem fazer um desvio antes de ir para casa.

Pergunta:

O que andavam a fazer aquelas duas miúdas às 2.00 horas da manhã em Espinho?

Quem é do Norte deve saber a resposta.

Quem não é...invente!

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Se não sou burra....pareço!!!


8.05 horas - Entrada no local de trabalho


13.35 horas - Almoço


14.05 horas - Regresso ao local de trabalho


19.50 horas - Pausa para comer qualquer coisa


20.20 horas - Regresso ao local de trabalho


Previsão para regressar a casa - Nenhuma


Se recebesse horas extraordinárias podia ir para um SPA descansar...como não recebo apenas peço para ainda ter tempo de ir a casa tomar um banho e mudar de roupa!


Adenda às 23.51 - Amanhã prometo responder a todos. A noite promete...


Em fila indiana! Sem olhar para trás...


Esta recebi por mail. Para meditar... e comentar!




Clicar na imagem

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

O motivo pelo qual a(o) amo...




Carlos Drummond de Andrade afirmou que existem vários motivos para não se amar uma pessoa e um só para amá-la, sendo que é este que prevalece.


É o desafio desta noite para quem acredita no amor.


Qual o motivo que vos leva a amar uma pessoa? Ou têm mais do que um?


Já agora, três motivos para não amarem...



Não vou falar de nada...


Podia falar de temas sérios?
Podia. Tenho dois ou três temas na gaveta que podia abordar.

Podia colocar um post para descomprimir?
Podia. Tenho mais algumas anedotas e umas quantas imagens para colocar.

Podia responder às questões que me colocam via e-mail?
Podia. Já começo a ganhar algum jeito como astróloga.

Podia falar de namoros? Podia. Parece que um vírus infectou as mulheres com quem convivo.

Podia falar da saudade que sinto? Podia, mas de que adianta se não é partilhada.

Podia falar do infinito da tristeza? Podia, mas de nada ia adiantar.


Podia ... mas não vou falar de nada.



Já passaram sete meses?



Pensamos sempre que temos todo o tempo do mundo.

O tempo para corrigir o que fizemos de errado.

O tempo para dar um abraço a quem gostamos.

O tempo para dar um simples afago com o olhar.

O tempo para nos despedirmos com um sorriso.

Temos tempo. Todo o tempo do mundo...


Mas, tal como Paulo Geraldo disse:

"Temos muito tempo... Mas o tempo é qualquer coisa que se corta num golpe súbito de tesoura, quase sempre sem aviso. Três semanas, três anos, trinta anos... O tempo é apenas tempo. É água que escorre entre os dedos das mãos.
A verdade é que não temos muito tempo.
Enquanto cometemos a tolice de ir vivendo como se fôssemos viver... sempre, a nossa vida está às escuras, à espera de um acto de coragem que lhe dê cor e sentido."

sábado, 10 de outubro de 2009

Quais são os 4 maiores desejos do homem?


A resposta não é difícil.

Vejamos:

1. Ser tão bonito quanto a mãe dele acha que ele é.
2. Ter tanta mulher quanto a mulher dele acha que ele tem.
3. Ter tanto dinheiro quanto os amigos dele acham que ele tem.
4. Ser tão bom de cama quanto ele acha que ele é.

Só gostava de saber...




Que mal é que vos fiz para me fazerem sofrer desta maneira.

Fosga-se... é mesmo preciso sofrer até ao fim?

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Homem gordo e mulher gorda...


Este foi o título da mensagem que publiquei à exactamente um ano.

E este foi o texto:

"Vá-se lá saber porquê mas a verdade é que, na maioria das vezes, os meus almoços resultam em situações hilariantes.

Como sempre fui almoçar com a Pinxexa. A nós juntou-se uma boa amiga e um colega de trabalho que em termos de gordura a mais rivaliza comigo.

O tema "igualdade dos sexos" surgiu naturalmente a meio da refeição.

Eis quando o nosso colega, virado para mim, se sai com uma frase absolutamente fantástica e que provocou umas valentes gargalhadas:

"A mulher gorda é rejeitada à partida, enquanto o homem gordo é rejeitado durante a luta".

Pensei para comigo: Bolas, nem na gordura há igualdade."

O almoço de hoje foi substancialmente diferente.

A boa disposição reinava numa mesa de 7 pessoas.

Excepto uma que, apesar dos esforços dos restantes comensais, mantinha-se num mundo à parte...

Mas, se pensar bem, o tema é actual:

Afinal, há ou não igualdade na gordura?

Bom fim-de-semana e tentem ser felizes...

Chucha Grande...

Alguém me sabe dizer que tipo de maleita é esta da "chucha grande"?

É que as outras ainda entendo...



Clicar na imagem

O desejo...



O mundo dos afectos é muito complicado...


A luta pelos nossos sonhos, respeitando os meios para os atingir, é legítima e constitui a essência daquilo que somos e do que queremos.


A diferença entre viver e sobreviver é, precisamente, a capacidade que cada um de nós posui para lutar pelos nossos sonhos.


Quando deixamos de sonhar, deixamos de lutar.


Quando deixamos de sonhar, deixámos de viver. Apenas sobrevivemos.


Mas existem situações no mundo dos afectos em que nos deparámos com uma variante com a qual não contávamos.


Quando sonhámos ter algo que, por uma ou outra razão, não podemos ter.


E tudo o que nos é proibido é mais desejado. Faz parte da natureza humana.


Públio Siro dizia que "nada desejamos tanto como aquilo que não nos é consentido".


O que fazer nesta situação?


E vocês? Já desejaram algo que não vos era consentido? Se sim, como fizeram?


quinta-feira, 8 de outubro de 2009

O meu maior pecado foi...


William Shakespeare afirmou:

"Alguns elevam-se pelo pecado, outros caem pela virtude"

Como devem estar a imaginar, e bem, estou-me a borrifar para as vossas virtudes. Devem ser às centenas e, acreditem, fico imensamente feliz.

Mas o que eu quero mesmo saber é qual foi o vosso maior pecado. Então se foi mais que um...espectáculo!!!


Dou um doce...

A quem conseguir adivinhar o que estou a fazer neste preciso momento...

Já agora, um desafio: como se dá os parabéns a quem não terá prazer em receber os mesmos? Eu e esta minha mania da contradição...

Adoro....

Clicar na imagem para ampliar


A forma como o meu 5º piso reage a algum tipo de medicamentos.

Pertenço àquele tipo de pessoas que passam anos sem tomar qualquer medicamento pelas seguintes razões:

1. Não gosto;

2. Quase todos podem potenciar um problema que tenho;

3. Devido ao efeito que alguns deles têm sobre o meu 5º piso.

Se estou com uma dor de cabeça tomo um café com uma casca de limão.

Se estou constipada, bebo um chã de limão.

Se a minha querida amiga úlcera quer festa, entro na festa até ela se cansar.

Ora, como senti que o meu 5º piso me estava a ganhar aos pontos, eis que pergunto ao farmacêutico o que podia tomar para andar mais calminha.

Ele disse que seria suficiente um relaxante muscular. Relaxante muscular? Mau...Mas os meus músculos andam muito calmos. Não os tenho sujeitado a qualquer tipo de actividade.

Mas, enfim, se o segredo é relaxar os músculos, vamos lá com isso.

Hoje fiquei a saber que o farmacêutico é um néscio. Relaxante muscular?

Mas a única coisa que eu fiz até ao momento foi fazer rir todo o pessoal.

Acreditam que estava eu a tomar o pequeno-almoço, chega o meu chefe e dois minutos depois ele estava a rir-se à gargalhada com o que eu dizia.

Depois disso foram as minhas duas queridas quarentonas.

Sento-me, um colega vem-me cumprimentar e sai do gabinete às gargalhadas.

Fosga-se, mas o que é que eu estou a tomar?

Não sei, mas vou querer só para mim. Estou a adorar!


quarta-feira, 7 de outubro de 2009

O Ciúme...


Marcel Proust afirmou:

"É espantoso como o ciúme, que passa o tempo a fazer pequenas suposições em falso, tem pouca imaginação quando se trata de descobrir a verdade."

O desafio está lançado:

1. Já manifestaram cúme?

2. Se sim, qual o acto menos racional que fizeram por ciúme?


Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso