terça-feira, 31 de março de 2009

Até posso estar na "mó de baixo"...

Mas depois deparo-me com uma mensagem destas.


Eu sei que é exagerado e que este post era desnecessário.


Mas que querem? Para além de contente, fiquei orgulhosa por ter uma amiga assim.

Coloquem quatro mulheres a falar de chouriços à hora de almoço e dá asneira na certa...


Uma - Eu no Natal ofereci um chouriço ao vigilante da escola das minhas filhas.

As outras - O quê? Foste oferecer um chouriço a um homem?

A mesma - Qual é o problema? Embrulhei em papel vegetal e coloquei um cordel?

As outras - Embrulhado em papel vegetal?

Passado um bom bocado:

Uma das outras - Desculpa, mas olha que é muito suspeito teres colocado um cordel. Era para ir e vir?

A mesma - Vocês são umas mal-intencionadas. Estão a precisar de um retiro...

Quer dizer: ela oferece um chouriço a um homem. Embrulha-o em papel vegetal. Ata-o com um cordel e nós é que precisamos de um retiro. Haja paciência....


Já tinhas idade para não acreditar na fada dentinho....


Na pausa para fumar falou-se de desejos.

Não os desejos carnais (esses são temas habituais entre a classe dos fumadores veteranos da minha empresa), mas daqueles simples desejos que formulamos em épocas especiais.

Vocês ainda se recordam do que desejaram ao bater das doze badaladas?

Eu pedi dois desejos.

Não, não foi o euromilhões. Mas, agora que penso nisso, ainda bem que não pedi pois pode ser que se concretize.

É que em apenas três meses consegui que os dois desejos formulados se esfumassem... O que eu pedi?

Que ao longo de 2009 conseguisse manter os meus poucos mas bons amigos e a família unida.

Acho que para o ano me vou contentar a beber um bom champanhe.



Não sei se foi a conversa que tive ontem à noite com a minha amiga Djinn mas, a verdade, é que cada hora que passa aumenta a necessidade de me refugiar na "minha ilha" e repensar tudo o que aconteceu até hoje...

segunda-feira, 30 de março de 2009


Tenho falado muito nos meus defeitos.

Chegou altura de falar de uma das minhas virtudes porque, quer acreditem, ou não, tenho algumas.

Considero que a minha melhor virtude é a capacidade que tenho de me manter em pé perante as adversidades.

Como diria Clarice Linspector, "Eu sou mais forte do que eu".

E vocês? Qual é a vossa maior virtude?

É oficial


Em primeiro lugar estou doente.


Em segundo lugar, estou a precisar de colo...



Nota - E não é que fui descobrir uma música que fala de colo?
Abobrinha, fica descansada. Apesar de aparecer o nome de Roberto Carlos, quem canta é o Leonardo (que vai dar ao mesmo, ahahahahahahah).

domingo, 29 de março de 2009

Se...




O nosso tempo é temporário;



Sózinhos tentámos fazer parte da multidão;



Os dias são feitos seguindo planos que vão mudando, segundo a segundo, pela inconstância daquilo que não controlamos.




Porque passamos parte do tempo a esconder aquilo que verdadeiramente somos e aquilo que verdadeiramente sentimos?








sexta-feira, 27 de março de 2009

E onde é que está aqui a menina às 19.55 h?



Exactamente no mesmo sítio onde estava às 8.14 h.



No trabalhinho.



Que bom!....



Já agora, bom fim-de-semana.




2ª pergunta para o fim-de-semana


E esta nasceu de uma das minhas pausas para fumar.

Quando alguém se diz muito nossa amiga e desaparece sem dizer nada, isso quer dizer...

Pergunta para o fim-de-semana


O que nos leva a estar pendentes de um "olá como estás"?

quinta-feira, 26 de março de 2009

Desistir?


Bob Marley afirmou:

"O difícil não é lutar por aquilo que se quer,
e sim desistir daquilo que se mais ama.
Eu desisti.
Mas não pense que foi por não ter coragem de lutar,
e sim por não ter mais condições de sofrer"


Já vos aconteceu desistir de um amor?

Porquê?

Por falta de coragem de lutar ou porque não queriam sofrer mais?

Carta Aberta

Antes que comeces a contra-argumentar, deixa-me dizer-te que tens razão.



Eu sei que não te tenho tratado da melhor forma.



Mas repara:



- Quem é que já não teve desilusões amorosas? Tudo bem, eu excedi a dose mas que porra a culpa não é só minha;



- Quem é que já não viu partir para sempre pessoas importantes? Também tinha que calhar a mim, não achas?




Já sei o que estás a pensar. Que tudo o que acabei de dizer é uma grande verdade mas nem toda a gente fuma como uma chaminé e toma café como se fosse água.



Espera aí...mas não tenho direito a ter alguns escapes? Há vícios piores.


Mais a mais, tenho tido desilusões como o caraças nos últimos tempos e prescindia bem das tuas brincadeiras.



Portanto, e em conclusão, o que te venho pedir é que deixes de me pregar os sustos que me tens pregado, até porque só estás a piorar a situação.



Eu sei que não dá nenhum trabalho colocar o comprimido debaixo da língua, mas, caso não saibas, é um medicamento, certo? Um medicamento tem contra-indicações, certo?



Esta tua postura só indicia um profundo sentimento de vingança. Isto é, como te sentes mal há que prejudicar outros.



Ora, isso não está correcto.



Espero, sinceramente, que reconsideres essa tua atitude até porque dás uma dor do caraças no peito.



Cordialmente


NI

quarta-feira, 25 de março de 2009

Vocês recordam-se...





Daquela pessoa que disse adeus sem se despedir?



Não é que me veio pedir ajuda?



Esperem aí...mas eu só sirvo para ajudar?



Acho que preciso de desaparecer por uns tempos


Oh Lucílio, só te falta ser excomungado...

Senhor Padre João Eleutério, tem umas piadas muito giras, sim senhor.


O problema é que nem todos têm o seu sentido de humor refinado e depois dá nisto.


Estou a imaginar aquelas beatas a olhar para si quando afirmou:

"Aproveito para vos anunciar que, enquanto for responsável por esta paróquia, não faço intenções de baptizar nenhum menino chamado Lucílio. Queiram dispor para tais propósitos dos serviços de uma paróquia vizinha. Ide em paz e que o Senhor vos acompanhe".

Eu em paz vou, até porque a fábrica já fechou e não vou ter nenhum filho. E, mesmo que tivesse, não se chamaria Lucílio. E, mesmo que tivesse, não seria baptizado. Isso é uma escolha que cabe a cada um. Não vou impor uma fé ou uma religião a alguém que ainda não tem ideias formadas sobre a matéria.


Quem quiser ler a notícia pode fazê-lo aqui.


De certeza que conhecem este tema em muitas versões.

Mas esta é, sem qualquer dúvida, a que me faz ficar arrepiada.

Então nesta altura....

Raios!


I Will Always Love You - Dolly Parton

Temos pena....

Confesso que não consigo lidar com alguns sentimentos e/ou atitudes.



Rejeição, indiferença e falta de respeito.



Nas últimas semanas tive que lidar com a rejeição e a indiferença. Magoou, magoa e magoará mas sinto que nada posso fazer. São opções de terceiros que fogem do meu controle.



Agora, falta de respeito? Aqui "pia mais fino".


Vem isto a propósito de umas obras que estão a ser efectuadas em frente a minha casa. Toda a gente tem direito a construir. As obras causam sempre algum incómodo mas há que tomar medidas para minorar os inconvenientes.



Pelos vistos este princípio não faz parte da atitude do "chico-esperto" responsável pela obra.



Anteontem chego a casa por volta das 20.30 h. e deparo-me com a rua toda esventrada sem qualquer sinal de obras e uma vala aberta mesmo em frente à minha garagem. Tudo bem. Seria, porventura uma obra necessária e não valorizei.



Ontem, chego a casa à mesma hora e constato que não tinha televisão, telefone e internet.



Os "meninos" tinham andado a brincar com as infra-estruturas de telecomunicações.


Obtido o contacto telefónico, explicou-se que necessitava da internet para um trabalho que tinha que ser entregue hoje de manhã às 9.00 horas.



Quem atendeu disse que era tarde e não podia fazer nada. Que ia tentar ver hoje o que se passava.


O quê? Nem um pedido de desculpas? Nem o que "posso fazer para ajudar a ultrapassar o problema que eu causei?"



Ora muito bem, menino "chico-esperto". Esta manhã, tens a fiscalização camarária à tua espera. Talvez para a próxima respeites os direitos das outras pessoas.

terça-feira, 24 de março de 2009

Abobrinha, minha querida...

É só para dizer que apesar de todos os esforços encetados não consegui o telefone do Joaquim.

Mas não fiques triste...





Lá vou eu armar-me em astrólogo de trazer por casa


E, ainda por cima, não levo um tostão.

É verdade.

Querem saber o futuro da vossa relação?

Só preciso de saber os vossos signos. Prometo que respondo a todos.

Só não prometo acertar. Mas, sendo de borla, não podem ser exigentes.

E antes que comecem com ideias, aviso, desde já, que não existe livro de reclamações nem passo recibo verde.

Já agora, se souberem a vossa hora e local de nascimento até vos digo qual o vosso signo ascendente. Querem mais? Paguem....


Nota - E desta vez quero que o(a) amigo(a) de Vigo, que me visita todos os dias, participe.



segunda-feira, 23 de março de 2009

Há coisas que nunca mudam...


Ou, talvez sim...

Sempre fui uma pessoa muito extrovertida e alegre.


Com os anos fui tentando controlar esta minha forma de ser porque, e ao contrário do que possa parecer, esta minha forma de estar na vida trouxe-me alguns dissabores.


Hoje, por força dos "pontapés da vida", sou uma pessoa mais reservada mas continuo meio endiabrada.


Gosto dos meus tempos solitários. Ou melhor, preciso da minha solidão porque é nela que vou buscar a minha força para enfrentar as partidas que a vida gosta de me pregar.

Mas há algo que por mais anos que viva não consigo mudar: acreditar no outro. Acho que hoje em dia isto é uma completa estupidez. Anda meio mundo a enganar meio mundo.
Mais, ainda, a minha experiência na barra dos tribunais era por si só suficiente para eu ter um pouco de juízo.

Mas lá ando eu, feita inocente, cantando e rindo pelo trilhar da vida.

Levo uma sapatada! Sinto-me a maior infeliz do universo... No dia seguinte estou a dar uma gargalhada e a cometer os mesmos erros.


Posto isto: o que é que eu gostaria de mudar em mim?

Não me batam, mas para além da gordura acumulada nos abdominais, não mudaria nada...


E vocês? Gostam de ser como são? O que mudariam?




sábado, 21 de março de 2009

Só para que conste....Só não acerto no euromilhões.


Confirma-se.


Alguém disse adeus sem se despedir.


E todos aqueles que me conhecem sabem que quando corto...corto de vez. Para sempre.


Assumo: é um dos meus terríveis defeitos. Custa-me muito chegar a uma decisão quando se trata de cortar relações com alguém mas quando corto é definitivo.


E lamento profundamente. Era uma das pessoas mais importantes da minha vida. E, sinceramente, não sei bem qual será o meu futuro sem a presença dela.
E eu só queria saber porquê...


Pensamento para o fim-de-semana


É fácil viver no mundo conforme a opinião das pessoas.

É fácil, na solidão, viver do jeito que se quer.

Mas o grande homem é aquele que, no meio da multidão,

mantém com perfeita doçura a independência da solidão.

Ralph Waldo Emerson

sexta-feira, 20 de março de 2009

E dividir o mal pelas aldeias?


Estava eu na minha pausa sabática a fumar quando alguém reparou que a minha cara representava bem o meu actual estado de espírito e disse:



" A Dr.ª ultimamente anda muito triste. Deixe lá, é preciso sofrer e passar mal para valorizar as coisas".


Fosga-se....

Oh meu amigo, não vou negar que é um pensamento com o seu quê de verdadeiro mas que dava jeito distribuir o "mal" pelas aldeias, lá isso dava. É que isto de calhar sempre aos mesmos chateia...


Mas como diz a música que se ouve de fundo: ainda existe um sonho para sonhar...



E não é que foi logo calhar uma das minhas Top 10?

Recordam-se de eu ter falado daquela sensação de alguém nos estar a dizer adeus sem nunca se ter despedido?




Volto ao mesmo assunto.



As minhas noites de insónias não contribuem para os 80 milhões de euros gastos em medicamentos. Nunca tomei nada para dormir. Já me basta ser viciada em cafeína e nicotina.



Mas o que se passa ao longo das 5-6 horas em que estou deitada sem dormir? Leio, até os olhos gritarem de cansaço.



Depois, no silêncio da escuridão, penso.



Agora que escrevo isto acho que um dos meus maiores defeitos é pensar. A vida é bem mais simples quando nos deixamos conduzir como autómatos na máquina bem oleada do dia-a-dia.



É que, pensar obriga-nos a descobrir o que somos, o que fizemos, o que queremos e para onde vamos.



E, por vezes, não gostamos das conclusões a que chegámos, principalmente quando desconhecemos os motivos para uma ou outra atitude.


Como a desta madrugada...



quinta-feira, 19 de março de 2009

Só para que conste:

1º São quase 20.00 horas e ainda estou no trabalho.



2º Estou farta de estudar a problemática da delegação de competências.



3º Hoje, pelo andar da carruagem, não janto antes das 22.00 horas e quero ver o Sporting de Braga a vencer o PSG.



4º Devo estar perto de uma depressão para escrever um post desta natureza.



Já passaram duas décadas? Não dei conta...


Ainda me recordo do teu olhar, umas vezes meigo, outras vezes pretensamente severo... mas lembro-me, sobretudo, do teu olhar de orgulho quando me vias...


Ainda me recordo quando à noite, pensando que já estava a dormir, me aconchegavas o lençol e me davas um beijo. E, eu, fazia de conta porque sabia que não gostavas de ser apanhado em flagrante.


Ainda me recordo dos nossos cafés a meio da manhã na Brasileira.


Ainda me recordo do primeiro livro que me ofereceste dizendo que a leitura era a luz dos ignorantes.


Ainda me lembro da primeira caneta que me ofereceste dizendo que seria o meu principal instrumento de trabalho.


Ainda me lembro dos primeiros passos de dança que me ensinaste. E sabes, desde que foste, nunca mais ninguém dançou comigo


Mas lembro-me, sobretudo, de tudo aquilo que ensinaste. De teres dito que um caminho sem obstáculos não me levaria a parte nenhuma.


Acredita pai, eles têm sido muitos mas continuo a percorrer o mesmo caminho....



Nota - Eu sei que o presente post é repetido. Escrevi este texto há um ano atrás. Mas todos os dias é desta forma que me recordo do meu pai e de quão ingrata e traiçoeira a vida é...

Porque...





Love dont come easy

Its a game of give and take...


As insónias voltaram, estou feita...

quarta-feira, 18 de março de 2009

Gosto de recordar...






Os abraços que dei.

As palavras que disse com carinho.

As mensagens silenciosas em trocas cúmplices de olhares.

O sorriso comprometido.

As longas conversas sem troca de palavras.


Porque os afectos também nos ajudam a crescer.


"A recordação é o perfume da alma.
É a parte mais delicada e mais suave do coração,
que se desprende para abraçar outro coração
e segui-lo por toda a parte"

George Sand


Só que, a maioria das vezes, optamos por esquecer. Porque queremos esquecer.




terça-feira, 17 de março de 2009

De rei dos azeiteiros já ninguém nos tira a fama...


Ah, pois não.

No concurso mundial de azeites biológicos da Biofach 2009, realizada em Nuremberga, na Alemanha, no final do passado mês de Fevereiro, o primeiro prémio foi para um azeite biológico alentejano virgem extra, produzido na zona de Serpa.


Já agora, o azeite considerado o melhor do mundo numa prova cega entre mais de 70 concorrentes, até tem nome a condizer: "Risca Grande".


Eu só imagino o que a Abobrinha não escreveria a propósito desta notícia...

Desafio: Vamos esquecer os homens...




E marcar uma noitada só para mulheres.

Há algumas meninas que estão a precisar...

Aceitam-se sugestões.


O uso do preservativo e o aumento do problema...

"Não se pode resolver (o problema da sida) com a distribuição de preservativos....pelo contrário, a sua utilização agrava o problema". Quem fez esta "brilhante" afirmação aos jornalistas foi o Papa Bento XVI a bordo do avião da Alitália que o levará até Yaounde, nos Camarões.


Só se esqueceu de dizer como é que se resolve o problema. Com a abstinência?

Já Paulo Francis dizia que "a ignorância é a maior multinacional do mundo".


Então quando a ignorância está ligada a dogmas fundamentalistas....



segunda-feira, 16 de março de 2009

Adeus?


Sabem aquela sensação de alguém nos estar a dizer adeus sem nunca se ter despedido?


Isto não está nada bem! Digo eu...

Saudade...


"Há momentos na vida em que sentimos tanto a falta de alguém que o que mais queremos é tirar essa pessoa de nossos sonhos e abraçá-la."

Clarice Lispector

Já tiveram essa sensação?

Pensamento da semana...





"Eu escrevo sem esperança de que o que eu escrevo altere qualquer coisa. Não altera em nada... Porque no fundo a gente não está querendo alterar as coisas. A gente está querendo desabrochar de um modo ou de outro..."

Clarice Lispector


Ou, apenas porque precisa de desabafar... esperando que alguém nos ouça! Porque a vontade de desistir é enorme...


domingo, 15 de março de 2009


Quero dar-te a mão.

Preciso de a dar. Mas como? Como, se me vais arrastar até ao fundo?

Como foi possível?

Eras mais forte que eu. Superaste tantas dificuldades e sempre com um sorriso!

Não me acuses de não te dar a mão!

Mas se eu te der a mão, da forma que exiges, eu caio contigo.

Tenho que ser forte e deixar-te só … mas sinto que já me estou a deixar a arrastar...
Nota - Peço desculpa por este post não estar aberto a comentários

sexta-feira, 13 de março de 2009

Quem sou eu?




Tal como a Tinta a quem, escandalosamente, roubei a ideia, eu sou...



Uma tartaruga!
Este animal é o símbolo da sabedoria. Você sabe melhor do que ninguém que "devagar se vai ao longe" (é melhor fazer tudo com calma e direitinho para não tomar o caminho errado, não é mesmo!?!). Este seu jeito de levar a vida lhe traz uma baita experiência, que poderá ser compartilhada com os outros. A tartaruga sempre carrega muita bagagem nas costas. Lembre-se: você tem a voz do conhecimento. Quando ela recolhe a cabeça, muitos pensam que é covardia, mas na verdade, daí vem todo seu poder de concentração.

O teste faz-se
aqui.



Obrigado


Não sei se, com excepção da sabedoria,

os deuses imortais ofereceram ao homem

alguma coisa melhor que a amizade.

(Cícero)


Abobrinha, Cristina, Djinn, Dona do Tacho, Paulo Lontro, Pinxexa e Requiem, obrigado por terem partilhado comigo de uma forma especial o dia de ontem.


A filematologia ou a ciência do Beijo...


Lembram-se de num post anterior termos falado do nosso primeiro beijo?


Mas, afinal, beijar tem muito que se diga.


Não é só lábios juntinhos ou dança de línguas.


Os cientistas acreditam que um simples beijo pode determinar o futuro de uma relação. Mais, ainda, combate a depressão.


E, mais uma vez, lá vêm outras vez as feromonas e tudo terminado em "monas" como "Figueiró dos Vinhos".


Mas como o saber não ocupa lugar, vejamos a notícia assinada pelo Nelson Marques do “Expresso”:


“...Afinal, porque beijamos? Simples: porque queremos. Porque nos rendemos aos afectos e nos deixamos levar pelos impulsos românticos. E, contudo, explicam os cientistas, o fenómeno é muito mais complexo que a simples comunhão de duas bocas, seja no entrelaçar das línguas ou, com menos saliva, na união de dois lábios (ou, para ser mais rigoroso, dois pares de lábios). Por isso criaram a filematologia, a ciência que estuda o beijo e as suas funções...

...Por detrás de cada gesto escondem-se não só um emaranhado de reacções orgânicas, mas também uma miríade de motivações que nem sempre são óbvias. Beijamos por paixão, mas também por costume, educação, respeito e até por mera formalidade. A própria forma como beijamos varia de acordo com o que queremos expressar.

Segundo o antropólogo inglês Desmond Morris, as origens do beijo estão num instinto bem mais primário: o das mães primatas mastigarem a comida e a passarem às crias através da boca, um costume que sobrevive ainda em algumas tribos do Planeta. O gesto, especula Morris, terá evoluído para uma forma de confortar crianças esfomeadas quando a comida escasseava e, mais tarde, para demonstrar amor e carinho.

Para outros cientistas, beijar está ligado ao complexo processo de escolha de um parceiro. Quando duas pessoas se beijam, trocam uma série de informações (gustativas, mas também olfactivas, tácteis, visuais e até de postura) que, inconscientemente, as ajudam a perceber o grau de comprometimento do outro na relação. O gesto pode revelar até que ponto se está perante a pessoa ideal para formar família, sendo por isso uma acção fundamental para a sobrevivência das espécies.

...Beijar activa a libertação de feromonas que, ao serem detectadas, de forma inconsciente, pelas mulheres, as ajudam a escolher os parceiros que terão uma melhor descendência... Aqui funciona a lei de que os opostos se atraem: elas preferem homens com um CMH diferente do seu, uma escolha influenciada pela Natureza: juntar parceiros com diferentes genes do sistema imunológico fortalece as defesas da geração seguinte, melhorando, assim, as hipóteses de sobrevivência da espécie.

Talvez por isso, a ciência tem demonstrado que o primeiro beijo pode ajudar a afastar o que as forças do romantismo uniram... Segundo um estudo publicado na revista científica "Evolutionary Psychology", 59% dos homens e 66% das mulheres admitiram já ter perdido o interesse por alguém após o primeiro beijo.

A investigação revela outros dados interessantes, que vêm confirmar alguns estereótipos sobre os comportamentos sexuais dos dois géneros: os homens utilizam mais o beijo como um meio para atingir um envolvimento sexual e estão mais predispostos a ter sexo sem beijar, com alguém que considerem beijar mal ou mesmo com alguém por quem não se sintam atraídos. Já as mulheres, intuitivamente, tendem a usar o beijo para avaliar o estado da sua relação e o grau de comprometimento do seu parceiro.

O estudo revelou outro dado curioso: os homens preferem beijos mais molhados e com mais contacto de língua. A opção, percebe-se agora, não é ingénua. A saliva masculina contém grandes quantidades de testosterona que podem afectar a líbido das mulheres. Os cientistas baralham outra hipótese: a dos homens terem uma menor capacidade de detecção química e sensorial, precisando por isso de mais saliva para fazer a sua avaliação da parceira.

Igualmente complexa é a equação anatómica e fisiológica de um beijo. O acto põe em acção diversos músculos, cujo número varia em função da intensidade... Outras revelações: a pressão exercida pode atingir os 12 quilos, os batimentos cardíacos disparam dos 70 para os 150 por minuto e são trocadas pelos menos 250 bactérias.

... Por paradoxal que possa parecer, pode também ter efeitos terapêuticos, por exemplo, no combate à depressão. Segundo um estudo realizado no Reino Unido, beijar estimula o cérebro a libertar endorfinas, substâncias químicas que funcionam como uma espécie de 'opiáceo' natural do organismo, proporcionando sensações de prazer, euforia e bem-estar que ajudam a combater a depressão. Quanto mais excitantes e apaixonados os beijos, maiores os benefícios para a saúde. Além disso, baixa os níveis de cortisol, conhecida como a hormona do stress, e pode até funcionar como uma forma de 'vacinação' natural dos bebés: ao beijar o seu filho recém-nascido, a mãe transmite-lhes, de forma diluída e progressiva, os seus germes, desencadeando as defesas do organismo do bebé.

Indiferentes às dissertações científicas, beijamos, sobretudo, pelo prazer de beijar. Porque é, afinal, disso que se trata: de um prazer magnético em que duas almas se unem. Que importa o resto?”

quinta-feira, 12 de março de 2009

Que bom!

Faço anos mas ainda estou no trabalhinho.

Raios e coriscos....

Então não sou mulher de confiança!...



Nunca confie na mulher que diz a verdadeira idade,
pois se ela diz isso...
Ela é capaz de dizer qualquer coisa.

Oscar Wilde



Então não confiem. A partir de hoje estou a seis anos do meio século de existência.


Fosga-se!!!!!!!!!!!!

Ah, é verdade. Sou capaz de dizer qualquer coisa desde que sejam disparates. Mas a minha idade já me permite tais devaneios.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Será que cada um de nós é poeta? - 2ª parte

Devem estar recordados do desafio que foi lançado a propósito do pensamento de Platão:

"Não há ninguém, mesmo sem cultura,
que não se torne poeta
quando o amor toma conta dele"


Apesar da dificuldade que o ser humano tem em demonstrar os seus sentimentos, a verdade é que houve quem tivesse a coragem de escrever.

Escolham o melhor. Votem no texto que mais gostaram.


Pinxexa:
"Não são os teus olhos, a tua boca, as linhas de teu rosto, nem teu corpo sedutor...É mais do que a tua imagem.São os teus pequenos gestos, os teus silêncios, as tuas palavras sábias, a tua partilha, o teu olhar que me acaricia, os teus sonhos, a tua entrega, o teu ser...É a tua alma que tão bem toca na minha.É para além do Homem, do Amigo, do Amante...o meu Cúmplice."

Sadeek:
Meu grande amor
Tenho de fazer de poeta
Mas o que eu mais queria
Era dar uma queca!

Eva:
Sou tua. Tão tua que culpo os deuses por me darem um corpo, porque nele estou prisioneira nos instantes em que não me abraças. Tão tua, que todas as palavras que não te digo me arranham a garganta até que as soltes com um beijo. Tão tua, que esse sol que agora se põe fere o meu olhar mais do que o teu

Joaninha:
Beijos
Ainda te leio quando não te devia ler,
Ainda te vejo como não devia ver.
Ainda te sinto, ainda te quero e ainda te amo,
Ainda e sempre sou escrava do teu sorriso.
Submissa ao teu andar, ao teu olhar, ao teu ruído.
Ainda me perco nas tuas mãos que me provocam
Ainda me sinto fraca sempre que elas me tocam.
Ainda te desejo, ainda te vejo, ainda te sonho
Sujeita às sensações que os lábios me evocam.
as tuas águas profundas atiro o meu anseio
Que é o de sentir o calor possante do teu peito.
É de mergulhar em ti ás cegas de um só salto
E ter o meu coração pelo teu escravo feito!

Eu mesma:
"só te deixarei de amar no dia em que esta fotografia falar...."


Cristina:
Estou feliz. E quando me sinto assim... feliz... não sou capaz de escrever (ou falar) sobre amor. Limito-me a fechar os olhos e sentir. A sentir o sol que irradia dentro de mim, mesmo que, na rua, esteja a trovejar.A sentir o arco-íris em todas as minhas palavras, mesmo naquelas que não precisam ser ditas.Quando estou assim... feliz, simplesmente... os dias parecem maiores e as noites mais estreladas.Quando estou assim... feliz... sinto a tua presença na brisa, nos raios de sol, nas gotas de chuva, na claridade da lua...E depois tudo muda quando estás comigo. Porque quando me dás a mão, quando sinto o teu perfume (mesmo que à distância), o mundo fica desfocado. Como numa foto antiga. Como numa fotografia onde só tu existes e nada mais importa.

Rita:
Fome de ti. Ânsia dos meus braços a abraçar-te. Olhos buscando os teus por toda a parte. Sede dos teus beijos, doces como mel. Febre das minhas mãos na tua pele. O meu corpo incessante a procurar-te. Nada existe que a fome de ti mitigue e farte.

Homem neossexual? O que é que as meninas preferem?

"Nem delicado nem bruto demais. O homem ideal deve ser uma mescla de virilidade e sensibilidade"


Esta é a conclusão de um estudo que o jornalista Nelson Marques dá a conhecer no Expresso e pela sua importância para as meninas que frequentam este estaminé, coloco na íntegra. Os meninos também poderão dizer da sua justiça.

Metro, tecno, uber ou neossexual? O que é que as meninas preferem?

A discussão está lançada.

"Esqueça o metrossexual, que esbateu as diferenças de comportamento entre os dois sexos. Segundo um estudo encomendado pela Axe, elas preferem um homem capaz de encontrar um equilíbrio entre a virilidade e a sensibilidade. Que realce o seu lado mais forte e tradicional mas sem receio de ser sensível e emocional. Chamam-lhe neossexual e é o preferido de 80 por cento das 2800 mulheres, com idades compreendidas entre os 18 e 35 anos, inquiridas pela empresa de estudos de mercado argentina Datos Claros em 14 países da Europa, América do Norte, América do Sul e Ásia.

"É possível perceber que as mulheres, que dedicam tempo e energia a cuidar do corpo e da aparência física - para desenvolver o seu papel da mulher no jogo de sedução - recusem homens que decididamente entram na área do extremo cuidado corporal e se posicionam no jogo de sedução, que pertence às mulheres", explica um dos autores do estudo, o sociólogo colombiano Jaime Carmona.

Segundo o trabalho, no lugar do metrossexual, que abraçou atitudes antes apenas reservadas às mulheres, está a emergir uma nova identidade masculina, que passa pela recuperação de alguns valores do passado. "O neossexual é um homem que resgata as suas raízes mais viris mas que não proíbe o lado afectivo. Um homem síntese dos modelos anteriores que, seguindo o seu instinto, está à altura das necessidades da mulher actual".

Símbolo desta nova masculinidade é o cabedal, popularizado em ícones como James Dean ou Elvis Presley. Este material representa a mistura de firmeza e flexibilidade, de tradição e modernidade, que se espera do homem neossexual.


Números:

72 por cento das mulheres inquiridas preferem um homem forte e decidido, que saiba o que quer.

85 por cento afirmaram que as seduz que o homem as beije com paixão e as leve à cama sem hesitar. Preferem um homem que tome a iniciativa na hora da sedução e que as faça sentir desejadas.

60 por cento não gostam que eles demorem mais tempo que elas a arranjar-se. Não se trata de não se cuidarem, mas sim de não passar mais tempo que elas em frente ao espelho.


Diferentes modelos de masculinidade:

Metrossexual: Homem que vive extremamente focado em si próprio, descobrindo o seu lado mais feminino. Traduz-se num homem cosmopolita e sem quaisquer complexos nas suas atitudes e actividades. Um dos maiores ícones é o futebolista britânico David Beckham.

Tecnossexual: É uma evolução do modelo anterior. Homem que ainda toma muito em consideração o seu lado feminino mas vive numa obsessão constante por computadores e novas tecnologias.

Ubersexual: Representa o regresso ao macho varonil, de aspecto bem masculino, não obcecado com a imagem. Personalizado em homens como Bono, vocalista dos U2, ou Arnold Schwarzenegger, governador da Califórnia.

Neossexual: É o casamento perfeito entre virilidade e sensibilidade, o sonho da maioria das mulheres"

Amizade?!


Eu avisei a minha querida amiga Djinn que iria plagiar o último post que publicou.

É um pensamento de Confúcio sobre os vários tipos de amizade e retrata o que sinto neste momento.

Sem mais nenhum comentário:

«Três tipos de amizade são vantajosos e três tipos de amizade são nocivos. A amizade com um homem que fala sem rodeios, a amizade com um homem sincero, a amizade com um homem de grande saber, esses três tipos de amizade são úteis. A amizade com um homem acostumado a enganar por uma falsa aparência de honestidade, a amizade com um homem hábil para adular, a amizade com um homem que fala bonito, esses três tipos de amizade são nocivos.»

Confúcio, in 'A Sabedoria de Confúcio'


terça-feira, 10 de março de 2009

Porque me sinto assim...


Esta manhã, instintivamente, coloquei no blogue a música que me acompanhava nas minhas longas e solitárias tardes de Verão na praia de Moledo.


Estar só num gabinete durante 8-10 horas por dia acarreta, inevitavelmente, muitas horas de solidão, apesar de intercaladas, aqui e ali, com uma pausa para fumar e tomar um dos muitos cafés diários.


Ter um trabalho solitário como o meu tem algumas vantagens mas pode estupidificar uma pessoa e, por incrível que pareça, cansa. Imenso...


Desabafo do dia....





Gostava de ter a capacidade de adulterar o tempo e fazer com que esta semana passasse!

segunda-feira, 9 de março de 2009

Desilusão...


Alexander Pope afirmou:

"Feliz do homem que não espera nada,

pois nunca terá desilusões"

A vida tem-me ensinado a não esperar demasiado do ser humano. Mas sempre fui uma péssima aluna na disciplina da vida. Se houvesse atribuição de notas levaria uma negativa sem qualquer margem para dúvidas.


E, talvez por isso, as minhas maiores desilusões resultam do facto de eu acreditar no "outro". De acreditar que a amizade não é uma palavra vã.


Mas é uma crença que se aproxima de forma perigosa da ingenuidade...


Mas esta sou eu. E vocês? O que vos desilude mais?


domingo, 8 de março de 2009

Porque hoje me apetece....



Relembrar uma frase de um dos meus fimes de eleição, "Notthing Hill":


"After all...I'm just a girl, standing in front of a boy, asking him to love her."


E vocês? Têm alguma frase/deixa de um filme que gostem?

Violência sobre as Mulheres


No ano passado escrevi que ficaria feliz quando não houvesse necessidade de existir o "Dia Internacional da Mulher" pois tal significaria que a igualdade de oportunidades era uma realidade.



Infelizmente, no último ano não só se assistiu a um aumento das desigualdades (basta ver quem são os mais afectados pelo desemprego), como se constata um aumento de casos limite de violência doméstica .


É, pois, oportuno, recordar o Relatório da AMNISTIA INTERNACIONAL sobre a violência doméstica em Portugal publicado em 24 de Janeiro de 2007, apenas e tão só, porque se mantém perfeitamente actual.


«Mulheres (In)Visíveis
A AI Portugal lançou no dia 2 de Outubro de 2006, o Relatório «Mulheres (In)Visíveis», integrado na Campanha Internacional “Acabar com a Violência Sobre as Mulheres”, e que procurou recolher os dados nacionais disponíveis sobre as violações dos direitos humanos das mulheres em Portugal.


Esta pesquisa coloca o problema da violência doméstica como o mais grave e persistente crime silencioso a que as mulheres estão sujeitas, na medida em que se tomou consciência que os dados apresentados são apenas a ponta do iceberg. Como tal a AI considera inadiável alertar, investigar, e cooperar no âmbito deste fenómeno.Com este relatório a AI Portugal lança as suas bases de trabalho no contexto do combate à violência doméstica, iniciando assim um projecto que visa dar um contributo para a erradicação deste problema.


Esta investigação permitiu perceber que:



1. Tem sido desenvolvidos esforços no sentido de providenciar formação adequada por parte dos órgãos policiais, em parceria com ONGs que lidam com estes problemas, para um mais eficaz acompanhamento das vitimas;
2. Existe uma grande dificuldade em obter dados concretos no que diz respeito à quantidade de casas-abrigo em funcionamento no país. No entanto, é apontado frequentemente pelas entidades/organizações que lidam com este assunto, a inexistência de um número suficiente para fazer face aos casos de violência doméstica, assim como uma lacuna na abrangência do total do território nacional. Além disso, a gestão e os critérios de aceitação das vítimas são pouco claros, na medida em que não são comuns;
3. Os casos totais divulgados aumentaram de 2004 para 2005. No entanto este aumento pode não reflectir o aumento de casos de facto, mas a sensibilização da sociedade em geral e a possibilidade de qualquer pessoa poder fazer uma queixa desta natureza, visto ter passado a ser considerado crime público;
4. O grau de parentesco entre a vítima/agressor é maioritariamente o de cônjuge – 57% a 87% dos casos verificados;
5. Os distritos que apresentam maiores ocorrências são Lisboa e Porto, o que pode significar não uma maior incidência nestes distritos, mas uma maior sensibilização e/ou informação das populações;
6. Os crimes mais frequentes são a Ofensa à Integridade Física e os Maus-Tratos Psicológicos;
7. Pela análise das estatísticas divulgadas pelas autoridades, verifica-se que em média, em 10% dos casos de violência doméstica, são utilizadas armas de vários tipos, incluindo armas de fogo.
8. A forma mais recorrente na violência doméstica é a violência física de facto, com o uso de murros e pontapés. A coacção, as ameaças e a difamação são também preocupantemente recorrentes;
9. As mulheres vítimas de violência continuam a dirigir-se mais frequentemente a ONG’s, do que a apresentar queixa oficial nos órgãos policiais.»

sexta-feira, 6 de março de 2009

Pensamento para o fim-de-semana...



Sentimos saudade de certos momentos da nossa vida e

de certas pessoas que passaram por ela.

Carlos Drummond de Andrade


E vocês? Sentem saudade de algum momento ou de alguém?


quinta-feira, 5 de março de 2009

Vou desabafar...




Porquê?


1 - Cheguei agora a casa o que contabiliza 13 horas no gabinete a fazer um parecer (retirando os minutos que perdi nos blogues mas isso não interessa nada);


2 - O raio da gripe não me larga, apesar das doses industriais de Ilvicos, Antigripines e afins. Cá para mim são feitos de farinha e água;


3 - Está um frio de rachar;

4 - As minhas plaquetas ou começam a fazer o trabalho delas ou dou-lhes um arraial de porrada;

5 - As minhas hormonas ou ficam quietinhas ou não respondo pelas consequências.

Desabafei...



Porque me pediram...e estou numa maratona aqui no trabalho

Aqui fica a letra do tema que se ouve de fundo:


Are those your eyes
Is that your smile
Ive been looking at you forever
Yet I never saw you before
Are these your hands holding mine
Now I wonder how I could have been so blind
And for the first time I am looking in your eyes
For the first time Im seeing who you are
I cant believe how much I see
When youre looking back at me
Now I understand what love is, love is
For the first time

Can this be real
Can this be true
Am I the person I was this morning
And are you the same you
Its all so strange
How can it be
All along this love was right in front of me
And for the first time I am looking in your eyes
For the first time Im seeing who you are
I cant believe how much I see
When youre looking back at me
Now I understand what love is, love is
For the first time

Such a long time ago I had given up
On finding this emotion ever again
But youre here with me now
Yes I found you somehow
And Ive never been so sure
And for the first time I am looking in your eyes
For the first time Im seeing who you are
Cant believe how much I see
When youre looking back at me
Now I understand what love is, love is
For the first time
For the first time




Para a semana, em dia indeterminado, faço anos.

Sempre gostei do meu dia de anos e ficava contente quando as pessoas se recordavam desse dia.

Ontem, ao receber uma prenda de anos adiantada dei por mim a pensar que vão ser 44 anos e, pela primeira vez, visualizei claramente que faltam seis anos para atingir meio século de vida.

Porra!

Mas eu não me sinto com essa idade. Nem de longe nem de perto. Tudo bem, a carinha e o corpo já apresentam as cicatrizes da vida mas o meu espírito recusa-se a acompanhar os efeitos das estações sucessivas.

Acho que o melhor mesmo é não estar cá para a semana!...



quarta-feira, 4 de março de 2009

A que cidade pertenço....

Já que estamos em maré de testes, aqui vai outro que fui "pescar" à Gugui.





You Belong in Dublin



Friendly and down to earth, you want to enjoy Europe without snobbery or pretensions.

You're the perfect person to go wild on a pub crawl... or enjoy a quiet bike ride through the old part of town.

Abobrinha, junto-me a ti e à Boop...





Faça você também Que
gênio-louco é você?
Uma criação de O Mundo Insano da Abyssinia


Será que cada um de nós é Poeta?


A Abobrinha, a propósito do dia dos namorados lançou um desafio que consistia em escrever uma quadra que fizesse corar quem inventou o dia dos namorados.


O objectivo foi amplamente ultrapassado. Os participantes demonstraram todo o sentido de humor típico de um bom português.


Copiando a ideia (qualquer dia a Abobrinha coloca-me um processo por plágio), vou lançar um desafio mas com um objectivo diferente. Será que cada um de nós é um verdadeiro Poeta e consegue escrever frases únicas que demonstrem os nossos sentimentos?


Platão afirmou:


“Não há ninguém, mesmo sem cultura,

que não se torne poeta

quando o Amor toma conta dele”


Devo confessar que em 44 anos nunca me escreveram uma carta de amor e/ou um poema. Acredito que devo ser das poucas mulheres da minha geração a quem isto aconteceu.


Mas, na verdade, o ser humano não se atreve a dizer o que sente. Seja por timidez ou porque o mundo dos afectos é tão complicado que muitas vezes somos incapazes de nos expressar.


Daí o desafio.


Toca a perder a timidez e escrevam aqui um poema ou uma quadra que gostariam de escrever à pessoa que amam. Se não amam, inventem...


Depois votaremos na melhor.


Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso