terça-feira, 30 de setembro de 2008

Até ao meu regresso...





Portem-se bem..... E coloquem em prática a nota que se encontra na coluna da direita e que acompanha o tema musical de fundo.

Só têm a ganhar....

Pouca terra, pouca terra...devagar, devagarinho





Ora muito bem.

Recordam-se da minha viagem até Leiria para o 1º Jantar Blogueiro?

Amanhã inicio uma nova aventura na companhia da CP. Só que, desta vez, a companhia vai ser de tal forma forte que mais parece uma verdadeira paixão.

Tenho que estar amanhã em Torres Vedras para participar num Congresso até sábado. Até aqui, tudo bem.

Vou ficar alojada num hotel a 19 Kms do local do Congresso, o que não dá muito jeito mas aguenta-se até porque o hotel fica num local paradisíaco e vale bem a pena a distância que vou ter que percorrer diariamente.

Mas a viagem, essa sim, fica na memória de qualquer um.

Vejam só:

8.57 h - Partida das Devesas (Vila Nova de Gaia)

9.56 h - Chegada a Coimbra B

10.02 h - Partida de Coimbra B

10.50 h - Chegada a Bifurcação de Lares

11.16 h - Partida de Bifurcação de Lares

13.06 h - Chegada a Caldas da Rainha

13.39 h - Partida de Caldas da Rainha

14.24 h - Chegada a Torres Vedras

Isto é, de Vila Nova de Gaia a Torres Vedras é necessário apanhar um Intercidades, um Urbano e dois Regionais.

Total de horas gastas numa viagem de pouco mais de 200 Kms, isto se não houver atrasos: 5.26 h. Digam lá que não é uma delícia.

Se tivermos em consideração que vou ter que andar com as malas às costas porque a minha cara-metade já não vai, então o argumento é do melhor.


Eu só não queria era ser a protagonista de tal guião.....


Entretanto, e porque estamos a pouco mais de 15 dias do 2º Jantar Blogueiro, comecem a inscrever-se para o email indicado e a escolher os comes e bebes.

O Pensador explica tudo aqui.




segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Velocidade





Hoje senti a necessidade de desabafar e escrevi sem parar.


Escrevi sobre o quanto estou magoada mas, acima de tudo, da profunda desilusão que sinto neste momento. Uma autêntica catarse.


Mas, quase no final, parei...


E enquanto via da janela do meu local de trabalho o Alfa a passar a alta velocidade, apercebi-me que a vida passa por nós sem parar. A alguns de nós nem boleia dá, obriga-nos a calcorrear todos os caminhos a pé se a queremos acompanhar.


E ela, a vida, não tem culpa de eu sofrer de uma incapacidade crónica: a de continuar a acreditar no ser humano.


E faço questão de continuar a ser assim.


Não é uma ventania que me vai fazer parar. Tenho ainda muito que andar...sem boleia.



Vou sofrer mais desilusões? Paciência. Foi esse o caminho que livremente escolhi.





domingo, 28 de setembro de 2008

sábado, 27 de setembro de 2008




Tenho estado há já algumas horas na cama. Febre, tonturas e afins, assim me obrigaram.

Não estava para pegar no computador. Mas, às 20.00, com a abertura dos telejornais, fui confrontada com uma notícia esperada mas que me deixa triste.

Era só o meu actor favorito.

Era só o actor principal de um dos meus filmes de eleição (Gata em telhado de zinco quente).


Eram só os olhos mais bonitos do cinema.

Não sei o que hei-de dizer, a não ser...

Adeus Paul.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Bom fim-de-semana




Um bom fim-de-semana para todos e pensem nisto:


'Frequentemente, nós subestimamos o poder do carinho, de um sorriso, de uma palavra amável, de um ombro amigo, dar ouvidos, de um elogio honesto, quando todos têm o poder de transformar uma vida.'
( Leo Buscaglia )




quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Mais informações sobre o jantar blogueiro

O Pensador está a tratar dos comes e bebes (logo, não me responsabilizo por qualquer problema com casamentos e afins).




Quanto a alojamento, ficam aqui alguns links para pesquisarem o que pretendem:



*Hóteis

*
Estalagens e Hospedarias



Quem não quiser gastar dinheiro em alojamento, também há solução: trazem um saco cama e dormem na praia (eu acho que vou escolher esta última opção).




O prazo de inscrições termina no dia 08 de Outubro e deverão ser feitas para o mail deste blogue que se encontra indicado no lado direito.


Aos inscritos, oportunamente, será dado um número de telemóvel para dúvidas que surjam.

Dá-se um doce....ou a 2ª parte de "Esta não posso partilhar"





Imaginem que alguém vos conta uma situação que vos magoa.


Imaginem que se põem a tentar imaginar essa situação.


Imaginem que não conseguem tirar essa ideia.


É imaginação a mais?


Agora vejam como eu ando....


Dou um doce a quem me tirar estas ideias do 5º piso.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Jantar Blogueiro II - Póvoa de Varzim

Vamos lá avançar!

A data previsível para o encontro blogueiro é dia 18 de Outubro. Estão de acordo?

Oportunamente serão dadas informações sobre alojamento para aqueles que se deslocarem de longe.

Gostaríamos de saber se preferem que o jantar seja à escolha ou se, pelo contrário, pretendem que a ementa seja previamente fixada.

Ficamos a aguardar.

Jantar Blogueiro II

Pontapé de partida para o Jantar Blogueiro II.

O primeiro foi no Sul.


O segundo será.....no Norte (ou há igualdade ou não há).


Sugere-se:

Local: Póvoa de Varzim.

Data: 2ª quinzena de Outubro

Anfitrião: Pensador


Digam da vossa justiça....



Aqui fica uma imagem da Póvoa.


Há poucos dias afirmei que um dos motivos que me faziam gostar de um tema musical era a minha identificação com a letra.

O tema que acompanha o blogue durante o dia de hoje é um desses exemplos. Faz parte da banda sonora de uma das minhas séries preferidas "Anatomia de Grey".


Não costumo colocar letras de música neste blogue. Mas aqui fica.


The Story:

>



All of these lines across my face
Tell you the story of who I am
So many stories of where I’ve been
And how I got to where I am
But these stories don’t mean anything
When you’ve got no one to tell them to
It’s true…
I was made for you



I climbed across the mountain tops
Swam all across the ocean blue
I crossed all the lines and I broke all the rules
But baby I broke them all for you
Because even when I was flat broke
You made me feel like a million bucks
You do
I was made for you


You see the smile that’s on my mouth
It’s hiding the words that don’t come out
And all of my friends who think that I’m blessed
They don’t know my head is a mess
No, they don’t know who I really am
And they don’t know what
I’ve been through like you do
And I was made for you…


All of these lines across my face
Tell you the story of who I am
So many stories of where I’ve been
And how I got to where I am
But these stories don’t mean anything
When you’ve got no one to tell them to
It’s true…
I was made for you




The Story - Brandi Carlile

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Ciúme...




O tema que abre hoje o blogue não é despropositado.

Detesto sentir-me vulnerável.

A minha vulnerabilidade surge quando sinto que os princípios em que acredito são afectados.

Posto isto,

Não sou uma pessoa ciumenta.

Aliás, nunca fiz uma cena de ciúmes.

Há quem diga que só tem ciúmes quem ama. A ser assim, nunca amei.

Mas defendo outra perspectiva.

A perspectiva da confiança. Quando se confia não há lugar ao ciúme.

O problema é quando a confiança é seriamente abalada.

E vocês, meus amigos, são ciumentos?

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Virgem para o casamento....






O Expresso noticia hoje que "Algumas francesas procuram, todos os anos, recuperar a virgindade perdida. São sobretudo muçulmanas ou católicas convictas às portas do casamento, mas também vítimas de violação que mais procuram os serviços das clínicas que realizam a himenoplastia. Uma cirurgia que reconstitui o hímen".


Acrescenta, ainda, o semanário de que "o tema assume especial relevância numa altura em que um tribunal superior francês analisa o pedido de anulação de um casamento, depois do marido ter descoberto que a sua mulher, afinal, não era virgem".

Vamos lá ver: Eu até respeito aquelas mulheres que, por opção e convicção, se recusam a manter relações sexuais antes do casamento. Mas, depois de as terem fazem a operação para quê? Para "comerem o companheiro por lorpa"? Começam bem uma relação...

E, já agora, será que aquele "gentleman" que entendeu pedir o divórcio pela facto da mulher não ser virgem, manteve-se "puro e casto"?

Por favor, tirem-me deste filme!....

Alguma ideia?




Último dia de férias.



As arrumações estão concluidas.



Lá fora chove.



A filha mais velha já começou as aulas pelo que só a vejo no próximo sábado.



Acabo de saber que não tenho que fazer o jantar porque a cara metade e a filha mais nova só chegam por volta da meia-noite. Logo, mais um dia em que me vou contentar com uma boa dose de café.



Estou a pensar sériamente em ir para a cama ler um livro, ou, simplesmente, pensar na "morte da bezerra". O que acham? Têm outra ideia?


sábado, 20 de setembro de 2008

Um homem tem medo que uma mulher o ame?



Conforme devem estar recordados, no último inquérito queríamos saber se a distância ajuda a esquecer ou, pelo contrário, faz aumentar a saudade.


Para 62% dos participantes a "distância apenas faz aumentar a saudade".


A maioria decidiu, está decidido.



Chegou a altura de lançar outro inquérito.


Bertolt Brecht escreveu: "Um homem tem sempre medo de uma mulher que o ame muito".


Será assim mesmo? Mas, medo porquê? Vamos lá votar. Se alguém souber porquê também pode comentar.



Nota - Escolhi para acompanhar este post um tema de Yanni que, para mim, representa de forma sublime a paixão entre duas pessoas.





Yanni - Reflections Of Passion.wma -

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Relatório semanal

Emagreci 3 Kg.

E ????????????

Voltaram as insónias...

Que bom...

Adenda:

Pelos vistos ultrapassei as 100 visitas diárias ao estaminé (metade são minhas) e faltam 3 visitas para as 15.000. Dou um doce ao 15 000 visitante.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Qual a vossa idade?





Confúncio uma vez apresentou a seguinte questão:


" Qual seria a sua idade se você não soubesse quantos anos você tem?"



Já sabemos que a maioria dos amigos que param neste estaminé são trintões pela certidão de nascimento. Mas, de facto, com que idade é que vocês se sentem?



Queria ser sereia mas....saiu tubarão


Podem-me ver....ao longe


Ora aqui ficam duas fotografias de Melgaço.


A primeira foi tirada da janela do quarto do hotel. Era a paisagem que eu via sempre que me levantava.


A segunda é a "je" na zona histórica de Melgaço.





Para ti Pinxexa....


Hoje tive uma boa notícia.
Depois de várias situações traumáticas que não cabe, aqui e agora, desenvolver e, apesar de todas as dificuldades, a minha amiga está prestes a alcançar o que sempre desejou: ficar com a pessoa que ama.
Parecia impossível. Só a perserverança, o querer, o espírito de sacrifício, o bom senso e o acreditar até ao fim, permitiu chegar a este desfecho.
E tenho um orgulho imenso em ser tua amiga.
Como gostas tanto dos Il Divo como eu, a música é para ti, porque acreditaste até ao fim.




Hero - Il Divo

What a fool I was...

De que falam duas mulheres, ainda por cima amigas, às 23.30 da noite?


Falam de homens...what else.


Esta noite falávamos daquela convicção tipicamente masculina de que as mulheres não conseguem nada sem um homem ao lado, ou melhor, da mania que os homens têm de que são o centro do universo para nós mulheres, de que só nos falta rastejar para obter a atenção deles, enfim, de que tudo gira à volta deles.


Já aqui disse que prefiro ser feminina a ser feminista mas, depois de uma análise cuidada, eheheheh, chegámos à conclusão que, de facto, em matéria de emoções o homem acaba por ter atitudes mais irracionais que a mulher.



Vem esta lenga a lenga a propósito de uma cena que ambas recordamos do filme My Fair Lady com a inconfundível Audrey Hepburn a desempenhar magistralmente o papel de Eliza (mais tarde recriada por Julie Andrews num musical da Brodway).



Para quem não conhece, fica um extracto do diáologo entre Eliza e o Prof Higgins do filme "My Fair Lady":



" Eliza - What a fool I was, what dominated fool, to think that you were the earth and the sky. What a fool I was, what an elevated fool, what a mutton-headed dote was I! No, my reverberated friend, you are not the beginning and the end.


Professor Higgins -You impetant hussy there's not an idea in your head or a word in your mouth that I haven't put there.


Eliza - There'll be spring every year without you. England still will be here without you.There'll be fruit on the tree.And a shore by the sea. There'll be crumpets and tea without you. Art and music will thrive without you. Somehow keats will survive without you. And there still will be rain on that plain down in Spain, even that will remain without you.I can do without you. You, dear friend, who taught so well. You can go to Hartford, Hereford and Hampshire.They can still rule with land without you. Windsor Castle will stand without you. And without much ado we can all muddle through without you.



Professor Higgins - You brazen hussy.


Eliza - Wihtout pulling it the tide comes in,without your twirling it the Earth can spin, without your pulling it, the tide comes in without your twirling it, the earth can spin, without your pushing them, the clouds roll by, if they can do without you, ducky, so can II shall not feel alone without youI can stand on my own without you. So go back in your shellI can do bloody well. Without... "


Só para que conste, porque já estou à espera da reacção masculina, a culpa deste post é inteirinha da Djinn. Ela é que puxou a conversa. Eu estava confortavelmente a ouvir música e a pensar na "morte da bezerra".


Para quem quiser ver, ou rever, a cena, aqui fica o link: ="http://www.youtube.com/v/Qt5dV3fejk8&hl=en&fs=1

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Acho que só faltava eu...




É claro que aproveitei a ocasião para fazer algumas plásticas, mas os olhos e os lábios, esses são iguaizinhos, ahahahahah




A Música...

Já todos sabem que a música ocupa um espaço importante na minha vida.

Tive a felicidade de vir cumprido um sonho. Durante sete anos trabalhei em rádio onde tive total liberdade para produzir os programas que apresentava.

Esta tarde recebi um mail perguntando-me qual era a minha música favorita e o (a) cantor (a) favorito (a).

Eis uma pergunta que nunca conseguirei responder. Quem gosta de música gosta de todos os estilos e, dentro destes, poderá ter as suas preferências.

Umas vezes gosto da música, outras vezes da voz que as interpreta e, outras ainda, talvez mais importante, porque me identifico com as letras.

Mas a questão colocada, porque merecia uma resposta, obrigou-me a fazer uma viagem através do tempo e tentar estabelecer uma lista de preferências.

Mas, no final de tal viagem, optei por escolher uma cantora que interpretava temas com os quais sempre me identifiquei.

Rita Coolidge. Porquê esta música? Porque me identifico com a letra desde sempre. Ainda hoje se mantém actual. Só a consegui encontrar no Youtube.

Sei que não respondi à pergunta mas vale a intenção.



A ausência....







Apenas uma curtas palavras.

Impus a mim própria um afastamento temporário.

A principal razão foi o cansaço. Estes últimos tempos não foram fáceis, a todos os níveis.

Optei por ir uma semana sozinha para um local calmo. Fui até Melgaço. Dormi, li, nadei e fiz algumas caminhadas. Fez-me bem. Recuperei algumas energias.

Mas este afastamento permitiu, igualmente, saber que no mundo da blogosfera podemos encontrar verdadeiros amigos.


Alguém disse que "... é na ausência que descobrimos os afectos. Porque a ausência nos diz a quem fizemos falta... quem verdadeiramente se preocupa connosco, enfim, para quem somos verdadeiramente importantes".



Houve, de facto, quem se preocupasse comigo.


Foi gratificante ler algumas mensagens que me enviaram por mail.


Foi aconchegante falar com alguns outros.


A todos os que se preocuparam comigo, obrigado.





Se Fue - Laura Pausini

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Os verdadeiros atletas olímpicos

Foi abertura de telejornais.

Tema de debates intensos.

Motivo de “castigo exemplar” (?!) à conta do princípio saloio bem português de “quem se lixa é a arraia-miúda”.

Mas, pergunto eu, (desculpem lá mas estar de férias dá-me para fazer perguntas tolas): porque raio é que ao fim de quatro dias já temos duas medalhas, vários 4ºs e 5ºs lugares e não se fazem as parangonas na comunicação social.

Porque razão estes atletas, que sabem como ninguém ultrapassar barreiras e que encarnam o verdadeiro espírito olímpico, não merecem a mesma atenção da comunicação social (salvo honrosas excepções)?

De facto, ao pé daqueles atletas, somos mesmo pequeninos….

quarta-feira, 10 de setembro de 2008



O silêncio dos montes interrompido pelo sussurrar do rio que corre sem olhar a obstáculos.

Eis a minha companhia nos últimos dias. As saudades de casa são muitas mas precisava de descansar.

Assim ficarei por mais alguns dias, a recuperar a força anímica que, aos poucos, foi desaparecendo.

Aos amigos que se têm preocupado comigo e com a minha ausência, e que não deixam de falar comigo diariamente, obrigado.


Nota - Estou algures no meio destes montes

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Pausa sabática



A minha querida Amiga Cristina colocou um post a propósito das relações que se criam através da Internet e que "acabam por unir pessoas que, de outro modo, nunca se encontrariam".


Não poderia estar mais de acordo com ela.

E, por isso,

Sou daquelas pessoas que não consigo estar sem estar. Quero com isto dizer que quando me envolvo em algo é por inteiro. Como consequência, quando tenho que cortar com algo tem que ser um corte total e definitivo.

Vem tudo isto a propósito da necessidade que sinto em me afastar. Penso que já não tenho mais nada para dar.

Mas, e voltando ao post da Cristina, como cortar com pessoas que já são tão importantes para nós? Não sei. Tão simples quanto isto. Já tentei uma série de vezes e volto sempre.

Se me perguntarem, neste momento, o que vou fazer não sei responder. Se me perguntarem qual é a minha intenção direi que vou fazer uma pausa sabática. Quanto tempo vou aguentar? Um ano? Um mês? Uma semana? Um dia? Também eu gostaria de saber...





quarta-feira, 3 de setembro de 2008

É mesmo isto....




Hoje, uma amiga escreveu estas palavras:


Não são os teus olhos,

a tua boca,

as linhas do teu rosto,

nem o teu corpo sedutor.

É mais do que a tua imagem.

São os teus pequenos gestos,

os teus silêncios,

as tuas palavras sábias,

a tua partilha,

o teu olhar que me acaricia,

os teus sonhos,

a tua entrega,

o teu ser.

é a tua alma que tão bem toca na minha.

Para além do Homem,
do Amigo,
do Amante...
o meu cúmplice.




Gostava de ter sido eu a escrever. Por vezes, as palavras que queremos dizer escapam por entre o turbilhão de sentimentos...

Obrigado Amiga por me deixares publicar algo tão pessoal.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

O que custa mais?




O NUNCA MAIS de não ter quem se ama torna-se tão irremediável

quanto não ter NUNCA MAIS de se ter quem morreu.

E dói mais fundo - porque se poderia ter,já que está vivo(a),

mas não se tem, nem se terá...


Caio Fernando de Abreu

E para vocês? O que custa mais?





Bubbly - Colbie Calliat

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso