quarta-feira, 31 de outubro de 2007

terça-feira, 23 de outubro de 2007

O primeiro milagre já foi aquilo só custar 80 milhões!


Talvez com o intuito de dar mais relevo ao "Dia International da erradicação da Pobreza",procedeu-se no passado dia 12 de Outubro a inauguração da nova Igreja da Santissima Trindade. Trata-se de uma obra de uma inegualável beleza e genialidade,cujas caracteristicas fazem lembrar de certa forma uma "óstia" gigante,matando assim a fome espiritual de milhões e milhões de fieís espalhados pelos 4 cantos da terra.


De accordo com o Portugal Diário os custos da nova Igreja da Santíssima Trindade (já contabilizando os acessos..), deverão ascender a 80 milhões de euros,que vem a ser o dobro do inicialmente previsto!
Poderão algumas pessoas considerar este número um pouco escalabroso,mas na minha opinião não estamos perante nada de anormal, pois trata-se de uma prática muito difundida nestas terras lusitanas. Outrora Jesus Cristo multiplicava os peixes e os pães,e hoje talvez pela influência dos tempos modernos,multiplicam-se os "euros"...

Da autoria do arquitecto Alexandros Tombazis,a igreja tem uma lotação de 9000 lugares sentados e é iluminada exclusivamente por um luz natural que é projectada a partir da cobertura através de um mecanismo próprio.
Tombazis destaca as obras de arte presentes na igreja, em especial o painel de 500 METROS QUADRADOS EM OURO E TERRACOTA do esloveno Pe. Ivan Rupnik que se encontra por detrás do altar, como contribuição para uma igreja "SIMPLES e inspiradora".


"Veja monsenhor! veja a simplicidade expressa nestes 500 metros quadrados de ouro...quase conseguimos sentir a presença de Deus.."~

Entretanto,pelo mundo fora,não se assiste a nada de novo que seja merecedor de destaque.
Nem sequer os 800 milhões de seres humanos que vivem diariamente na miséria total e as 38 mil crianças que morrem todos os dias devido à fome...



"apesar de ser a primeira migalha de pão que conseguiu meter na boca nestes últimos 8 dias,Kalu ficou extremamente feliz quando soube que em Portugal as pessoas vão ter a possibilidade de poderem assistir à missa sentadas e já não vão ser obrigadas a apanhar chuva.."


"Mali ficou radiante com a noticia da construcção da nova Igreja de Fátima. Com um brilho nos olhos,confessou-nos que enquanto houver construcções desta magnitude,haverá uma esperança de ela e o seu filho conseguirem sobreviver, apanhando Terracota em troca de uma côdea de pão.."


Não sei se é verdade,mas dizem que graças a nova igreja de Fátima,doravante vai passar a existir mais milagres...

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

domingo, 21 de outubro de 2007

Este Post é dedicado ao Pensador e à minha doce Teresa

"Há pessoas que nos falam e nem as escutamos, há pessoas que nos ferem e nem cicatrizes deixam mas há pessoas que simplesmente aparecem em nossas vidas e nos marcam para sempre."


Cecília Meireles

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Desafio Pink Ant

Hello, Fabulous Lady!

THIS IS A TOAST ... TO US : FOR THE MEN WHO HAVE US, THE LOSERS WHO HAD US, AND THE LUCKY PEOPLE WHO WILL MEET US!! You have been hit. You have been considered one of the 10 most fabulous ladies on my blog's friends list. Once you have been hit, you have to hit 10 fabulous ladies. If you get hit again you know you're really fabulous. If you fail to forward this, you'll have ugliness for 10 years. So hit 10 fab ladies on your blog's friends list and let them know they are truly fabulous. SEND THIS TO 10 AMAZING LADIES , INCLUDING THE ONE WHO SENT IT TO YOU!!!

E as felizes contempladas são:

1.º Teresa

2.º D. Carlota

3.º Miúda Stressada

4.º Tulicreme

5.º Condessa&Camareira(contam como uma, pois são colegas de blogue. Penso que não se vão importar em ficar juntinhas...)

6.º Pinxexa

7.º Pensadora

8.º Jasmim

9.º 2 idiotas super hiper ri fixes

10.º Juani


O Channel 4 irá brevemente transmitir o RIBA Stirling Prize 2007 (concurso que visa destacar e premiar obras de referência em termos de arquitectura moderna).

Actualmente, o Channel 4 tem a decorrer uma "votação" no seu site para encontrar o edifício que mais agrada ao público.

Pela primeira vez, uma obra portuguesa aparece em destaque nesta votação - a Casa da Música.


http://www.channel4.com/4homes/microsites/S/stirling_prize/2007/vote.html

Botem, carago…

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

"SENHOR, dai-me sabedoria para entender alguns colegas, porque se me dais força, parto-lhes a cara!!!"

"Foto de Jean Charles foi manipulada, diz advogada"


«Publicado em 17.10.2007, às 22h30
Uma foto de Jean Charles de Menezes foi manipulada para sugerir dificuldades policiais na sua identificação, disse nesta quarta-feira (17) uma advogada no tribunal britânico que investiga a morte do brasileiro, após os atentados de julho de 2005 contra a capital inglesa.
Jean Charles de Menezes, 27 anos, foi morto à queima-roupa em uma estação do metrô de Londres (Inglaterra) em julho de 2005, duas semanas após quatro terroristas suicidas matarem 52 pessoas na rede de transportes da capital britânica.
O brasileiro morreu no dia 22 de julho, um dia após uma série de atentados frustrados, quando a polícia o confundiu com o terrorista Hussain Osman.
A polícia metropolitana de Londres está sendo processada por supostas infrações na operação que acabou com a vida do jovem brasileiro.
Os advogados da polícia apresentaram uma fotomontagem com os rostos de Jean Charles e Osman para mostrar sua semelhança, mas a advogada da acusação Clara Montgomery diz que a imagem foi "redimensionada" e que "não apresenta as dimensões corretas".
O assessor forense Michael Jorge disse ao júri que a imagem de Jean Charles de Menezes usada pela polícia parece ter sido modificada para melhorá-la, o que deu a impressão de perda de definição em relação à foto original.
Fonte: Diário do Grande ABC»


------------------------------------------------------------------------------------------------

«British police accused of manipulating photo of man shot in subway
Last Updated: Wednesday, October 17, 2007 2:39 PM ET
CBC News
A composite image of a man mistakenly shot by British police and one of the bomb plotters who targeted London's transport system two years ago, "was manipulated so as to mislead," a court heard Wednesday at the Old Bailey.
The composite, produced by London's Metropolitan Police, was meant to show the similarities between the two men and to bolster arguments that police might have had problems distinguishing between the two.
British police officers shot to death an unarmed Brazilian man in the aftermath of the July 2005 subway bombings. Jean-Charles de Menezes, 27, was killed at Stockwell station on July 22, just a day after a second suicide bombing attempt on London's subway system.
While no police officer was charged in the shooting, the Metropolitan Police as a whole has been charged with breaking health and safety laws. The police force denies the charges.
But prosecutor Clare Montgomery told the court that the police composite image had been altered "by either stretching or resizing so the face ceases to have its correct proportions."
Forensics consultant Michael George testified that the police composite appeared to have a "greater definition" than the two images used to produce it, reports the BBC.


He showed the jury an alternative composite in which the two faces had different skin tones and their mouths and noses were not aligned.
The Metropolitan Police composite was compiled using a 2001 identity card photograph of de Menezes and a photo of Hussain Osman taken by police in Rome, where he was arrested.
De Menezes, an electrician who had been in the country for three years, lived in a building that was under surveillance because it was believed to house a suspect wanted in connection with the unsuccessful bombings of July 21.
Just two weeks earlier, near-simultaneous explosions during the morning rush hour killed 52 people as well as the four suicide bombers.
When de Menezes left his apartment, he was believed to be that suspect and subsequently tracked to the station. He ran into a waiting train car, where he was gunned down.
Police told the coroner that de Menezes was shot seven times in the head and once in the shoulder.»






Tribute to Jean Charles de Menezes

Esperemos que haja Justiça para Jean-Charles de Menezes e para a sua família.

The Jean Charles de Menezes Family Campaign:

http://www.justice4jean.com/

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

SER GORDA É SER FEIA?

Vamos ser claros:

Na sociedade actual existe um novo conceito de beleza: uma mulher para ser bonita tem que ser magra. Só assim é aceite socialmente.

Mas se aceitarmos que a magreza é condição “sine qua non” para se ser aceite socialmente, chegamos, inevitavelmente, a uma outra constatação: todas aquelas que não são magras são feias, logo, excluídas.

Vem isto a propósito de uma reportagem no”Notícias Magazine” de 14.10.2007 sobre um trabalho de Joana Novaes, psicóloga do Núcleo de Doenças da Beleza do Centro de Investigação e Atendimento Psicológico da Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Segundo a especialista, num artigo intitulado “Ser Mulher, ser feia, ser excluída”, “a gordura é uma das atribuições mais representativas de feiura na cultura actual...ser feia é uma das mais penosas formas de exclusão social. E ser feia é não ter o corpo e a estética socialmente aceites, ou seja, ser magra, jovem e saudável...”.

Acrescenta a autora: “É o difícil peso da gordura, a dor da feiura”.

No referido artigo, são apresentados dois grupos de “gordos”: o grupo dos “obesos benignos” e os “obesos malignos”. O primeiro grupo é constituído pelas gordas bem dispostas que “parecem querer desculpar-se da inadequação física através de uma convivência social agradável”, são as denominadas gordas toleradas. No segundo grupo teremos aquelas que não se preocupam em agradar e a consequência é serem imediatamente excluídas.

Devo confessar: tenho 10 quilos acima do peso que é recomendado para a minha altura e para a minha idade. Mas este “acréscimo” sempre me “perseguiu" desde pequena. Cresci acompanhada por esses magníficos epítetos que as crianças (as tais que nunca têm maldade), são peritas em dizer: “lá vem a baleia”, “lá vem a balofa”.

Assumo: sempre tive complexos de inferioridade pelo facto de ser “gorda”. Talvez não os tivesse se vivesse no século XIX pois seria considerada uma mulher formosa.

Com o tempo fui percebendo que apesar de ter outro tipo de atributos os mesmos não eram suficientes para colmatar o “defeito” de ser gorda. E, ainda hoje, é assim. Quer se queira, quer não, o nosso corpo é o nosso cartão de visita.

Mas, interiormente, sempre me recusei a ser excluída. Optei, então, por pertencer ao “grupo das gordas benignas”, começando por gozar com o meu próprio “defeito”. Quando era “brindada com aqueles epítetos, respondia: “não faz mal, o homem tem mais que apalpar”. Umas vezes ganhava a batalha (principalmente quando respondia aos rapazes, dado que que na flor da adolescência começavam a pensar se não estariam a perder uma grande oportunidade). Mas com as raparigas (ai essa eterna vontade de sermos as nossas próprias inimigas, sempre prontas a humilhar a mais próxima não vá ser uma oponente forte numa competição estéril), ainda era mais gozada.

Hoje, e apesar de manter os meus complexos de inferioridade, permito-me saber escondê-los de uma forma mais “requintada”. A idade também ajuda a lidar com estas situações.

Hoje em dia, já consigo brincar com a empregada de uma loja quando pretendo vestir uma saia que fica entalada na anca, dizendo que a costureira se enganou a cortar o tecido.

Mas os complexos estão cá (são a minha imagem de marca), mas quero pensar, apesar de ainda não ter constatado, que esta frase de Jan Paulhan corresponde à verdade:

"Pode-se amar até a loucura uma mulher feia, por encantos que superam os encantos da beleza."

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Petição:NÃO!à cedência dos Direitos de Propriedade Intelectual dos Artistas através de Contrato de Trabalho ou Instrumento de Regulamentação Colectiva

Enviaram-me um e-mail a solicitar a assinatura e a divulgação:



"To: Assembleia da República Portuguesa

Ex.mo Senhor Presidente da Assembleia da República,
Todos nos congratulamos com as iniciativas legislativas, quer da Oposição, quer do Governo e da maioria, que visam solucionar as questões emergentes da especificidade da actividade laboral das profissões artísticas. Elogiamos Governo pelo sinal de coragem política para, ao fim de décadas de desregulação do sector, vir agora confrontar a magnitude dos problemas de insegurança e precariedade, desemprego e falta de protecção social que afectam os Profissionais do Espectáculo.
No entanto, a total despropósito num diploma que procura melhorar as condições de protecção dos Artistas, Profissionais do Espectáculo, a Assembleia da República, por opção legislativa do Governo, e concretamente no Artº17 da Proposta de Lei 132/X, vem impor a regulação, através de Contrato de Trabalho ou Instrumento de Regulamentação Colectiva, dos Direitos de Propriedade Intelectual decorrentes da actividade artística, a coberto de uma alegada, e não provada, limitação ao princípio constitucional da liberdade de exercício individual de Direitos.
Esta solução apenas interessa aos Empregadores, nomeadamente as Televisões, e prejudica objectivamente os Artistas e duas décadas da sua luta pela consolidação das normas que regulam os Direitos de Propriedade Intelectual dos Intérpretes ou Executantes, culminando com a aprovação no Parlamento, por unanimidade, da Lei 50/2004, que consagra nomeadamente a Gestão Colectiva Necessária como a única forma de garantir o livre, equilibrado e efectivo exercício dos seus Direitos individuais.
Com efeito, longe de recatarem a pureza do preceito constitucional e salvaguardarem o interesse do Titular de Direitos, os ataques à Gestão Colectiva agora propiciados viriam reinstalar a situação de vergonhosa iniquidade anterior a 2004, em que os Artistas se viam forçados e coagidos, por estado de necessidade, a cederem a titularidade e remuneração dos seus Direitos, sob pena de verem coarctado, esse sim um preceito constitucional fundamental, o seu Direito a exercer uma profissão, situação a que a Lei 50/2004 veio também pôr cobro com manifesto enfado das Indústrias de Edição, de Radiodifusão e de Exploração de Conteúdos.
Assim, os Peticionários abaixo assinados requerem à Assembleia da República e demais Órgãos de Soberania:
1. A eliminação do Artº.17 da Proposta de Lei 132/X, assim como de qualquer outra forma de regulação dos Direitos de Propriedade Intelectual decorrentes da actividade artística à margem do disposto no Código do Direito de Autor e Direitos Conexos.
2. A manutenção, em todas as instâncias legislativas, no presente e no futuro, das formas de Exercício Colectivo previstas no Artº.178 do Código do Direito de Autor e Direitos Conexos.

Sincerely,


sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Petição contra a discriminação dos pais casados ou viúvos em sede de IRS - 1º comunicado


Porque concordo, na íntegra, com esta Petição decidi colocar neste blog para quem estiver interessado em subscrever a mesma.

"Exmos Senhores


O código do IRS prevê que todos os pais, à excepção dos casados ou viúvos, possam deduzir até 6.500 EUR por filho.

Esta situação de discriminação contra os pais casados ou viúvos já dura há imensos anos, tendo sido objecto de imensas reclamações, intervenções na comunicação social, etc, sem que tenha merecido por parte dos governantes a mínima atenção.

Isto está certo? Faz sentido?

Muitos casais têm, lógica e legitimamente, optado por não se casarem ou por se separarem a fim de não serem vítimas desta discriminação.

Num gesto de cidadania responsável, optamos por levar à mudança da lei, uma vez que leis iníquas não contribuem para a dignificação do povo a que se destinam, pelo contrário.

Nesse sentido, está a decorrer na internet uma petição ( http://www.forumdafamilia.com/peticao) para ser entregue ao Presidente da Assembleia da República, Primeiro-Ministro e Ministro das Finanças, para acabarem com esta discriminação.

A fim de não prejudicar as finanças públicas, é sugerido que esta dedução passe a ser igual a metade do actual valor (ou seja, 3.250 EUR por filho) para todos os pais, independentemente do seu estado civil, uma vez que, infelizmente, hoje em dia o número de filhos de pais casados ou viúvos já é só metade do número total de jovens e crianças, ou seja, é igual ao número de filhos de pais com outro estado civil.


Assine e divulgue!


Qualquer pessoa pode assinar esta petição, desde que concorde com o seu conteúdo!

Não discriminamos ninguém, nem baseado no estado civil nem na idade!

Os seus filhos, mesmo menores, também podem e devem assinar. Eles são as principais vítimas desta lei!


Fórum da família, 5 de Outubro de 2007"

Salvem o Salão Nobre do Conservatório Nacional


O Salão Nobre do Conservatório Nacional foi construído em 1881, segundo projecto do Arquitecto Eugénio Cotrin e tem os tectos pintados por José Malhoa.
Não se procederam a quaisquer obras desde os anos 40 do Séc XX.
O nosso património precisa de ser protegido. É a memória de todos nós. Os cidadãos não podem ficar indiferentes perante tal incúria.
O movimento FORUM CIDADANIA LX pôs uma petição a circular na Internet dirigida às seguintes entidades: Presidente da República, Presidente da Assembleia da República, Primeiro-Ministro, Ministra da Educação, Ministra da Cultura e Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, pedindo que SALVEM O SALÃO NOBRE DO CONSERVATÓRIO .
Pela defesa da memória do nosso País, assine e divulgue.
Texto da Petição:
"Descrição/História:

Inaugurado em 1881 segundo projecto do arquitecto Eugénio Cotrim e dispondo de um tecto pintado por José Malhoa, o Salão Nobre do Conservatório Nacional foi palco de importantes eventos como a célebre polémica entre Luis de Freitas Branco e Ruy Coelho, verdadeiro julgamento público sobre a atribuição de um prémio de composição à 1ª sonata para violino e piano de Luís de Freitas Branco, à primeira audição em Portugal da integral das sonatas para piano de Beethoven a cargo do eminente pianista Vianna da Motta, à primeira audição em Portugal de obras como o Pierrot Lunaire de Schöenberg, Canção da Terra de Mahler (versão de câmara), Il Mondo Della Luna de Avondano ( 1ª audição moderna), etc.
Sujeita nos anos 40 do séc. XX a amplas obras de remodelação e inclusão de um órgão de concerto, esta sala dispõe de uma acústica ímpar gabada por artistas como Karl Leister (clarinetista solista da Orquestra Filarmónica de Berlim), Anthony Pey (solista inglês de grande nomeada), e os cantores Peter Schreier, Sarah Walker e Mara Zampieri, etc. e outros têm seleccionado este salão para efectuarem gravações de discos.

Petição:

Exmo. Senhor Presidente da República
Exmo. Senhor Presidente da Assembleia da República
Exmo. Senhor Primeiro-Ministro
Exma. Senhora Ministra da Educação
Exma. Senhora Ministra da Cultura
Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lisboa
Desde os anos 40 do século passado que não se têm efectuado obras no Salão Nobre do Conservatório Nacional, e 62 anos de constante utilização para concertos, audições e aulas deixaram as suas marcas, encontrando-se actualmente o Salão Nobre com um dos balcões laterais suportado por varões de ferro (para não cair), um número considerável de cadeiras totalmente destruídas, tectos com buracos, cortinas rasgadas, camarins em precárias condições, etc. Enfim num adiantado estado de degradação que ameaça chegar ao ponto de não retorno.
Como se trata de um equipamento cultural indispensável não só para as actividades do Conservatório Nacional mas também como pólo dinamizador não só do Bairro Alto mas de toda a cidade de Lisboa, desde há anos que, insistentemente, se reclama, aos organismos competentes, obras!, tendo mesmo sido publicado concurso público para esse efeito (DR - 3ª Série nº 239 de 15/12/2005 – Recuperação do Salão Nobre, galeria, palco, sub-palco, salas de apoio e cobertura-1ª fase - empreitada 135/05); o qual, no entanto, viria a ser subitamente cancelado (!), não se sabendo até à data as razões desse cancelamento.
O salão Nobre do Conservatório Nacional com os seus magníficos tectos Malhoa não poderá aguentar mais tempo sem obras de recuperação.
É preciso salvá-lo sob pena de estarmos a pactuar num crime de lesa-património.
Os cidadãos subscritores desta petição apelam assim à sensibilidade de V.Exas.
para que sejam tomadas as iniciativas necessárias e urgentes que permitam salvar o que tem que ser salvo. Por favor!"
Link da Petição:
Website:

segunda-feira, 8 de outubro de 2007



PARA ALÉM DO MAR


UM DOCE E TERNO OLHAR


PARA ALÉM DO INFINITO


A VERDADE DE TE AMAR


NOS MOMENTOS DE PAIXÃO


RELEMBRO AQUELA LÁGRIMA DE VERÃO


O VENTO A COMANDAR O TEU ANDAR


UM SONHO EFÉMERO


O MEU PASSO SOLITÁRIO


ANSEIA AGARRAR A TUA SOMBRA


PARA ALÉM DO MAR


PARA ALÉM DO TEU TERNO OLHAR

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Geração Rasca?

Ontem à noite tive oportunidade de ler um texto de Nuno Markl ( para a geração dos 30 ). Não resisti a colocar neste blog o texto integral.


Permitia-me, contudo, a fazer um curto comentário.


Conforme referi numa das minhas mensagens nos "Grandes Portugueses", tem sido comum considerar as gerações mais novas como "incapazes", "rascas" e outros epítetos. ´



Recordo-me bem do que se dizia da minha geração (a dos 40). Na nossa juventude também eramos "incapazes" e "rascas". Mais parece que tais epítetos são como que um título da nobreza, hereditário e vitalício.



Mas, na verdade, das gerações mais novas têm brotado pessoas absolutamente excepcionais.



E a geração dos 30 não foge à regra.


Quem se der ao trabalho de ler algumas das revistas científicas verá muitos trabalhos, reconhecidos internacionalmente, assinados por jovens portugueses (por exemplo, muitos dos principais desenvolvimentos a nível de genética têm sido conduzidos por jovens portugueses).


Outro exemplos: trabalhos a nível de engenharia e da robótica; nas artes (por exemplo um dos cartoonistas com nome firmado nos EUA é português), etc.


E a geração dos 20 não será diferente.


Penso que os jovens vivem num período muito mais complicado do que a geração anterior.

Muito mais competitivo. Os desafios são imensos.


Mas vale a pena partilhar o texto de Nuno Markl, quanto mais não seja para recordar um pouco da juventude não só da geração dos 30 mas, também, da minha geração: os 40.



"A juventude de hoje, na faixa que vai até aos 20 anos, está perdida. E está perdida porque não conhece os grandes valores que orientaram os que hoje rondam os trinta.


O grande choque, entre outros nessa conversa, foi quando lhe falei no Tom Sawyer. "Quem? ", perguntou ele.Quem?! Ele não sabe quem é o Tom Sawyer! Meu Deus... Como é que ele consegue viver com ele mesmo? A própria música: "Tu que andas sempre descalço, Tom Sawyer, junto ao rio a passear, Tom Sawyer, mil amigos deixarás, aqui ealém..." era para ele como o hino senegalês cantado em mandarim.


Claro que depois dessa surpresa, ocorreu-me que provavelmente ele não conhece outros ícones da juventude de outrora.


O D'Artacão, esse herói canídeo, que estava apaixonado por uma caniche; Sebastien et le Soleil, combatendo os terríveis Olmecs; Galáctica, que acalentava os sonhos dos jovens, com as suas naves triangulares; O Automan, com o seu Lamborghini que dava curvas a noventa graus; O mítico Homem da Atlântida, com o Patrick Duffy e as suas membranas no meio dos dedos; A Super Mulher, heroína que nos prendia à televisão só para a ver mudar de roupa (era às voltas,lembram-se?); O Barco do Amor, que apesar de agora reposto na Sic Radical, não é a mesma coisa. Naquela altura era actual... E para acabar a lista, a mais clássica de todas as séries, e que marcou mais gente numa só geração :O Verão Azul. Ora bem, quem não conhece o Verão Azul merece morrer. Quem não chorou com a morte do velho Shanquete, não merece o ar que respira. Quem, meu Deus, não sabe assobiar a música do genérico, não anda cá a fazer nada.


Depois há toda uma série de situações pelas quais estes jovens não passaram, o que os torna fracos: Ele nunca subiu a uma árvore! E pior, nunca caiu de uma. É um mole. Ele não viveu a sua infância a sonhar que um dia ia ser duplo de cinema. Ele não se transformava num super-herói quando brincava com os amigos. Ele não fazia guerras de cartuchos, com os canudos que roubávamos nas obras e que depois personalizávamos.Aliás, para ele é inconcebível que se vá a uma obra. Ele nunca roubou chocolates no Pingo-Doce. O Bate-pé para ele é marcar o ritmo de uma canção.


Confesso, senti-me velho... Esta juventude de hoje está a crescer à frente de um computador. Tudo bem,por mim estão na boa, mas é que se houver uma situação de perigo real, emque tenham de fugir de algum sítio ou de alguma catástrofe, eles vão ficar à toa, à procura do comando da Playstation e a gritar pela Lara Croft.Óbvio,nunca caíram quando eram mais novos. Nunca fizeram feridas, nunca andaram afazer corridas de bicicleta uns contra os outros. Hoje, se um miúdo cai, está pelo menos dois dias no hospital, a levar pontos e fazer exames a possíveis infecções, e depois está dois meses em casa fazer tratamento a uma doença que lhe descobriram por ter caído. Doenças com nomes tipo "Moleculum infanticus", que não existiam antigamente.No meu tempo, se um gajo dava um malho muitas vezes chamado de "terno" nem via se havia sangue, e se houvesse, não era nada que um bocado de terra espalhada por cima não estancasse.Eu hoje já nem vejo as mães virem à rua buscar os putos pelas orelhas,porque eles estavam a jogar à bola com os ténis novos. Um gajo na altura aprendia a viver com o perigo. Havia uma hipótese real de se entrar na droga, de se engravidar uma miúda com 14 anos, de apanharmos tétano num prego enferrujado, de se ser raptado quando se apanhava boleia para ir para a praia. E sabíamos viver com isso. Não estamos cá? Não somos até a geração que possivelmente atinge objectivos maiores com menos idade?


E ainda nos chamavam geração "rasca"...Nós éramos mais a geração "à rasca", isso sim. Sempre à rasca de dinheiro,sempre à rasca para passar de ano, sempre à rasca para entrar na universidade, sempre à rasca para tirar a carta, para o pai emprestar ocarro. Agora não falta nada aos putos.Eu, para ter um mísero Spectrum 48K, tive que pedir à família toda para se juntar e para servir de presente de anos e Natal, tudo junto.


Hoje, ele é Playstation, PC, telemóvel, portátil, Gameboy, tudo.Claro, pede-se a um chavalo de 14 anos para dar uma volta de bicicleta e ele pergunta onde é que se mete a moeda, ou quantos bytes de RAM tem aquela versão da bicicleta. Com tanta protecção que se quis dar à juventude de hoje, só se conseguiu que 8 em cada dez putos sejam cromos. Antes, só havia um cromo por turma. Era o totó de óculos, que levava porrada de todos, que não podia jogar à bola e que não tinha namoradas. É certo que depois veio a ser líder de algum partido, ou gerente de alguma empresa de computadores, mas não curtiu nada."

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

A Magia das Touradas!

Hoje venho vos falar das Touradas...

Sei que muita gente está contra este tipo de espectáculo,mas na minha opinião a Tourada tem uma beleza dificil de igualar...

Adoro Touradas!!!!! porque elas permitem-me ficar deliciado quando sinto o sofrimento e a agonia dos Toiros!!!

Mas quando digo "sofrimento dos Toiros",não estou a referir-me a este tipo de Sofrimento:



Nem estou a referir-me a esta classe de Toiros:



Não!...na verdade,adoro as touradas porque ocasionalmente as coisas correm mal e assistimos a algo verdadeiramente mágico!!!



Algo tão mágico,que por vezes perdemos a noção da realidade e o prazer que nos envolve,chega a ter uma conotação quase sexual!!



Se eu fosse cristão,diria que é nessas alturas que se consegue sentir a "mão de Deus"...hehehe...

Uma "mãozinha" que recentemente voltou a fazer sentir-se no Campo Pequeno quando um Toiro bastante conhecido no mundo da Tauromaquia... parece ter ficado zangado de ver o seu cavalo ser corneado por "outro" Toiro presente na arena e quis desafiar o mesmo, de pé,para um duelo entre "iguais"!
Já viram?...como se fosse alguma vez possivel o Toureiro chegar aos calcanhares do Toiro!



Quem tem coragem para dizer que as Touradas não são lindas? Quem?

Haverá coisa mais bonita do que ver estes animais a voarem pelos ares?

Bem...para vocês não pensarem mal de mim e ficarem chateados comigo,vou assumir a minha faceta mais moderada..
É assim..
Eu não tenho nada contra a paixão que algumas pessoas nutrem pela tourada.
Na verdade até aprecio bastante quando os "forcados" dominam o "animal" com muita força,destreza e coragem!
E para mim,a Tourada teria imensa piada e não seria tão nojenta,se envolvesse apenas o Homem e o Animal e não metesse Sangue pelo meio!
Pergunto..
Que raio de piada existe em ver um animal a esvaziar-se em sangue?
As pessoas sofrem e é uma forma de descarregar toda a raiva que sentem dentro delas,é isso?

E porque levam os filhos a assistir a essas atrocidades?
Vivemos num mundo sangrento e por isso temos que ensinar os nossos filhos a tomarem o mais cedo possivel o gosto do sangue,é isso?

Pergunto-vos...
Quando mostram aos vossos filhos,um toiro com o dorso crivado de lanças e a garganta engasgada de sangue,não estarão os pais a transmitir esta imagem e esta mensagem aos seus filhos?



Para meditar...

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso